NotíciasReportagens

Saiba tudo sobre os câmbios automatizados (parte 2, dupla embreagem)

Fotos: Divulgação

Até bem pouco tempo atrás, nossa única opção de câmbio automatizado de dupla embreagem ficava com o VW JettaTSi, custando acima de R$ 85.000. Mas a Ford lançou o EcoSport com o câmbio Powershift, e pretende equipar o New Fiesta nacional com o mesmo tipo de câmbio, popularizando ainda mais a tecnologia da dupla embreagem.

O funcionamento desse tipo de câmbio difere do automatizado de embreagem simples justamente por causa do duplo sistema de embreagem, aonde um dos discos se encarrega das marchas pares (2ª, 4ª e 6ª)e o outro das marchas ímpares (1ª, 3ª, 5ª e ré). Nesse caso, quando uma marcha está engatada, a outra se encontra pré-engatada, fazendo com que os tempos de troca de marcha sejam ínfimos e sem trancos.

Outra diferença está nas posições do câmbio, que usa os mesmos PRND dos câmbios automáticos convencionais. Em um câmbio automatizado de dupla embreagem, não é necessário aliviar o pé nas trocas de marcha, pois isso só deixaria a troca mais lenta, sem nenhuma vantagem prática. Como as embreagens atuam de forma independente, não há corte do fluxo de potência para o motor, ou seja, não há corte na aceleração.

Como não há interrupção da aceleração, o motorista de um carro com câmbio automatizado de dupla embreagem pode desfrutar de acelerações e retomadas mais rápidas e, além disso, o consumo de combustível se torna melhor com o fluxo contínuo de aceleração. Cabe lembrar que o funcionamento aqui é diferente do automático do tipo CVT, que possui infinitas relações de marcha e entrega um fluxo contínuo mais próximo do ideal.

Atualmente a maior desvantagem do câmbio automatizado é o seu custo, que supera inclusive o custo de algumas caixas automáticas convencionais, mas isso deverá ser resolvido em parte com o aumento na produção trazido pelos novos Ford equipados com esse câmbio.

Uma vez que os câmbios automatizados de dupla embreagem são mais suaves, mais rápidos e mais eficientes que os automáticos convencionais, a tendência é que cada vez mais montadoras adotem esse tipo de caixa para os seus modelos aqui no Brasil, assim como vem ocorrendo na Europa há algum tempo.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo