NotíciasReportagens

Qual o impacto das obras viárias no seu veículo?

Fotos: Divulgação

odo motorista reconhece os benefícios de dirigir em uma pista recém-capeada. O conforto e a sensação de segurança é notável até mesmo para os passageiros. No entanto, antes das obras ficarem totalmente prontas, elas podem apresentar algumas complicações que prejudicam tanto o desempenho do veículo quanto o bem-estar dos motoristas.

Antes das obras começarem, por exemplo, é necessário que a camada antiga do asfalto seja removida para receber o novo material. Nessa fase em que fica repleto de irregularidades e outros detritos, como pequenas pedrinhas, o piso pode causar alguns danos para o carro. A suspensão e os pneus podem ser os principais prejudicados.

A pintura e a lataria também podem sofrer algumas baixas: os pedregulhos que ficam na pista podem atingir a superfície do veículo causando pequenos amassados e arranhões. Em casos mais graves, podem atingir o vidro e causar até mesmo pequenas rachaduras.

Saúde do motorista

Além de prejudicar o veículo, o estado das obras viárias incompletas pode trazer alguns problemas também para a saúde do motorista. Além do estresse do trânsito nas grandes cidades, a trepidação pode trazer dores musculares principalmente para quem está no controle do automóvel, em razão do contato direto com o câmbio e a direção, que sofrem altas vibrações em pisos irregulares.

Como se prevenir

O ideal é sempre evitar os trechos de rodovias e ruas que estão em obras. Porém, nem sempre é possível fazer um trajeto diferente para chegar ao destino desejado. Assim, dirija com cautela e deixe seu veículo bem equipado. Algumas oficinas mecânicas já oferecem o serviço de “encapar” o veículo, oferecendo uma proteção contra riscos e outros acidentes, como respingos de tinta e poeira. Caso algum desses incidentes aconteça, é só retirar a película protetora e substituí-la por uma nova, mantendo a pintura antiga intacta.

Quanto aos pneus, optar por modelos adaptados para condições mais abrasivas, como o Pirelli Phantom ou o Run Flat, podem ajudar a diminuir a trepidação. Fazer a calibragem semanalmente e fazer o rodízio deles também garantem maior durabilidade para os modelos dos compostos.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo