NotíciasPrimeira Volta

PRIMEIRA VOLTA – Subaru apresenta oficialmente os novos Legacy e Outback 2016

New Subaru Legacy

O evento foi organizado pela Subaru para apresentar à imprensa brasileira, oficialmente, o novo sedã Legacy e o novo crossover – ou “crossuv”, como a marca prefere chamar – Outback. A apresentação foi conduzida pelo diretor da Subaru do Brasil, Flávio Padovan, dentre outros executivos da marca.

A chegada dos novos Legacy e Outback no Brasil comemora, ao mesmo tempo, 25 anos do lançamento da primeira geração do sedã e 20 anos do crossover. Com layout interno exatamente igual, Legacy e Outback se diferenciam, obviamente, pelo perfil da carroceria, design externo, suspensão e público-alvo. Ambos são equipados com o motor 3.6 6 cilindros Boxer a gasolina com 256 cv de potência e 35,7 kgfm de torque a 4.400 rpm conjugado à transmissão CVT Lineartronic com simulação de trocas de marchas e modo manual com paddle-shifts atrás do volante. Há ainda 3 modos de condução selecionáveis: Intelligent, Sport e Sport Sharp, este mais esportivo.

IMG_7704

A Subaru destacou a presença de itens de série comuns a todos os modelos, dentre eles os apresentados. Multimídia com tela touch, ar digital dual zone com saídas para o banco traseiro, farol de xenon, sistema keyless de abertura das portas e partida sem chave, câmera de ré, bancos e portas revestidos em couro e teto solar elétrico fazem parte do pacote, mas é imperdoável a falta de GPS.

New Subaru Outback

Legacy e Outback contam ainda com generoso espaço interno. O sedã tem 4,80 m de comprimento, 2,75 m de entre-eixos, 1,50 m de altura e capacidade de 506 litros no porta-malas, enquanto o crossover tem comprimento de 4,82 m, altura de 1,67 m, mesmo entre-eixos e leva 1.048 litros no porta-malas sem o banco traseiro rebatido – número que nos parece otimista demais. Enquanto no Legacy o uso da tração é mais voltado à performance e segurança no asfalto, a Outback teve altura do solo (21,3 cm) e ângulos de entrada (18,6º) e saída (23,1º) revistos para garantir tranquilidade aos ocupantes em qualquer situação de solo, desde rodovias asfaltadas com curvas até trechos com terra ou lama, além do X-Mode, sistema que auxilia o motorista em partidas em rampas ou controla freios e acelerador em descidas íngremes.

O novo Subaru Legacy 2016 chega ao Brasil com preço sugerido de R$ 152.900,00 e terá como principais concorrentes Passat, Azera e Camry. O novo Outback, por outro lado, praticamente não tem concorrentes diretos, fazendo frente às vezes a SUVs, às vezes a crossovers ou peruas. Seu preço sugerido é de R$ 159.900,00. A garantia oferecida, assim como para qualquer modelo Subaru 0km vendido na rede no país, é de 5 anos.

IMG_7703

Um line-up enxuto, mas muito bem direcionado para os clientes da marca, fez com que as vendas da Subaru no Brasil crescessem 55% em relação a 2014, e isso com vendas contabilizadas somente até o mês de novembro. Os novos Legacy e Outback chegam para implementar a linha, atendendo, segundo a marca, as expectativas de um público que não compra carros por causa de status ou motivados pela onda do momento, mas para si mesmos, pelo prazer de dirigir. Até o ano passado eram 9 concessionárias no país, número que aumentou para 12 este ano e tem previsão de 20 pontos de venda até o fim de 2016.

PRIMEIRA VOLTA

São Paulo/SP –  Nos últimos 2 dias a Subaru apresentou à imprensa brasileira os novos Legacy e Outback 2016. O sedã e o crossover – ou “crossuv”, como a marca o chama – chegam em versão única para implementar as já crescentes vendas da marca no país: foram 864 unidades vendidas ano passado e 1.341 até novembro deste ano, 55% a mais. O número de modelos da Subaru disponíveis ao consumidor no país agora cresce para 7.

Os designs dos dois modelos foram totalmente revistos e transmitem ao mesmo tempo elegância e robustez, sem fazer uso de uma linguagem com data de validade anunciada. Preferindo sobriedade e simetria no layout interno, que é exatamente igual em ambos, a Subaru caprichou no acabamento, revestindo bancos, volante, coifa da alavanca de câmbio e boa parte dos painéis das portas com couro e complementando com alumínio, black piano e plásticos de excelente qualidade e aparência. O espaço interno impressiona, sendo possível acomodar adultos com conforto no banco traseiro mesmo com motorista e passageiro de estaturas generosas.

Começamos com o sedã, que mostrou bom isolamento acústico e filtragem de imperfeições dignas de um modelo premium. A ergonomia é exemplar e os bancos, largos e confortáveis. O volante tem boa pega e os (muitos) comandos ali facilitam a vida do motorista. O sistema de áudio Harman/Kardon tem excelente qualidade sonora e ajuste fácil e intuitivo pela tela touch no centro do painel, e o ar condicionado dual zone com saídas para o banco traseiro deixa a cabine fresca em instantes.

powertrain é exatamente o mesmo no Legacy e no Outback: motor boxer 3.6 com 6 cilindros, 256 cv de potência e 35,7 kgfm de torque; câmbio CVT Lineartronic; tração integral Symmetrical All Wheel Drive. No sedã o motor garante acelerações vigorosas, além de dar ao motorista o plus do ronco grave típico dos boxer. Em gráfico a Subaru demonstrou a vantagem do uso deste tipo de propulsor no que diz respeito ao ganho de estabilidade: o posicionamento do bloco é simétrico e bem mais baixo do que ocorre em outras configurações, o que ajuda a abaixar o centro de gravidade. O sistema de tração integral se encarrega de jogar força também de forma simétrica às rodas, tornando o carro muito mais estável.

Merece destaque o funcionamento do câmbio CVT. As trocas simuladas replicam quase à perfeição o funcionamento de uma transmissão automática convencional, mas com a linearidade que se espera de um sistema com relações infinitas. Os paddle-shifts atrás do volante apimentam a condução e trazem a diversão omitida nos sistemas CVT convencionais. O casamento com o motor é perfeito.

O sinuoso trecho da Rodovia dos Romeiros até a cidade de Cabreúva foi o que faltava para avaliar a capacidade do Legacy e do Outback. Previsivelmente “colado” no asfalto, o sedã mostrou desenvoltura de esportivo mesmo com 4,80 metros de comprimento. A direção elétrica assume peso correto em velocidade e a tração empurra o carro para onde se espera nas curvas, dando ao motorista um controle quase osmótico do carro. Legacy na ida, Outback na volta – e não pense que por ter perfil misto entre perua e SUV ela arregou.

Suspensão mais alta, mais massa para empurrar e apêndices aqui e acolá que atrapalham a aerodinâmica, e as acelerações, previsivelmente, ficaram um pouco aquém do que se obtém com o Legacy. Mas isso não significa falta de vigor muito menos incapacidade de enfrentar curvas. Projetada para aguentar o tranco no off-road sem maltratar os ocupantes, a suspensão é mais macia que no sedã, mas o mesmo sistema de tração que opera no sedã se encarrega de deixar o Outback no prumo. O mérito vai para o Active Torque Vectoring, sistema de controle direcional também presente no Legacy.

Se a ideia for levar a família ela é ideal. O mesmo espaço interno que se encontra no sedã está lá, com um porta-malas ainda maior: 1.048 litros declarados. Além do conforto de rodagem o condutor usufrui das várias features disponíveis em ambos os modelos, incluindo teto solar elétrico, computador de bordo com tela entre os mostradores principais, câmera de ré para auxiliar em manobras e a segurança dos 7 airbags. Única (e grave) falha é a ausência de GPS.

Com preços sugeridos de R$ 152.900,00 (Legacy) e R$ 159.900,00 (Outback), ambos são comercializados com garantia de 5 anos, revisões com preço fechado e intervalos de manutenção de 10.000 em 10.000 km.

Em breve colocaremos as nossas impressões dos dois modelos, aguarde.

Colaborou: http://www.racionauto.blogspot.com.br/

Viagem a convite da Subaru

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo