Sem categoria

Nós queremos mais pocket rockets

Fotos: Marcus Lauria (DS3, A1, March SR e Mini Coupé) / Ford Ka Sport (Divulgação)

Estava brincando em um track day quando, em um piscar de olhos, surgiu um Citroen DS3 em meu retrovisor com seus vistosos LEDs pedindo passagem. Imediatamente dei seta para a direita e recolhi-me na insignificância dos 107 cv do meu Ford Ka Sport. Mas o DS3 teve sua vida fácil interrompida por um Audi A1 que surgiu ainda mais rápido, em uma cena que remeteu à histórica batalha da Linha de Maginot, aonde o francês cedeu seu território ao alemão que apontou mais equilibrado no hairpin traiçoeiro à direita.

Há dois pontos em comum a serem destacados nesse meu devaneio: o primeiro ponto é que todos os carros em questão são pocket rockets (foguetes de bolso), ou seja, carros pequenos o suficiente para a falta de espaço dos centros urbanos e também rápidos o bastante para fugir dessa falta de espaço. O segundo ponto em comum é que são todos carros econômicos, que consomem menos de 1 litro a cada 12 km em média, ou seja, sabem se divertir sem pagar uma conta de três dígitos na balada.

O problema é que as opções de pocket rockets são poucas, sendo que desses, apenas Ka e March são sonhos possíveis para os pobres mortais. Acima destes, há o HB20 1.6 (com câmbio manual) que não puxa para o lado da esportividade mas faz estrago com seus 128 cavalos bem nutridos. Fiat Palio Sporting e Renault Sandero GT Line usam maquiagem denorex e ficam devendo em agilidade.

Caríssimas montadoras, seus consumidores imploram: nós queremos mais pocket rockets. Deixem os “contadores de grãos” falando sozinhos e ofereçam mais versões divertidas com peças disponíveis na prateleira. Dona VW, há sim um público aguardando ansioso o retorno do Gol GTI. Coloquem um 1.4 TFSi de 122 cv nele, não cobrem os olhos da face e nós ficaremos felizes. E quanto à Fiat? Todos adorariam ver um Palio 1.8 E.TorQ com 132 cv ou mesmo uma Uno 1.6 R de volta com o E.TorQ 1.6 e 117 cv. Já quanto à Renault, que tal um Renault Clio 1.6 16V por R$ 30 mil? E imagino quão delicioso seria um Chevrolet Onix  com coração 1.8 16V Ecotec de 140 cv.

Mas para a brincadeira ficar completa enquanto as montadoras não ouvem nossas súplicas, só a partir do Fiat Punto T-Jet (1.4 turbo com 152 cv por R$ 55.740 com 152 cv, que não é tão “pocket” assim mas serve), depois Citroen DS3 (1.6 turbo de 165cv por R$ 79.990) e Audi A1 (1.4 turbo de 122 cv com câmbio DSG por R$ 89.900). Os Mini mais fortes ficam acima de R$ 100 mil e são igualmente divertidos. Mas, quer saber? Se você pode pagar por um deles, faça isso, o que esses carros devolvem no fator diversão não tem preço.

Mostrar mais

Artigos relacionados

2 Comentários

  1. Concordo em gênero, número e grau!
    Um DS3 cai muito bem pra quem anda na cidade. Um 500 multi-air também não é nada mal. O Punto T-Jet nem tá tão caro assim.
    Mas realmente temos poucas opções…culpa das seguradoras, colocou alguma coisa de esportivo no carro, já era, dobra o preço do seguro….

  2. Sem dúvida os “pocket rockets” das décadas de 80 e 90, deixaram saudades, porém, acredito eu que as montadoras não fabricam mais esse tipo de carro porque pelo preço que se pagaria neles, daria para comprar um médio de categoria superior e mais recheado de equipamentos, ai então a escassez desse tipo de carro em nossas ruas.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo