NotíciasReportagens

Na onda da ostentação: conheça as máquinas que seduzem a nova geração

Fotos: Divulgação

A ascensão da nova classe média está refletida nos hábitos de consumo e também no status que as marcas e bens exercem. E não demorou muito para que carros e motos -símbolos de riqueza que sempre foram associados às classes sociais mais elevadas – fossem exaltados nas letras dos funks que embalam toda uma nova geração que quer adentrar o mercado luxo, que envolve também marcas de roupas, acessórios e bebidas.

O vídeo oficial da música “Plaquê de 100”, hit do funkeiro MC Guime, já superou as 49 milhões de visualizações na internet, e tem uma letra que faz uma rima com Citröen logo em seu primeiro verso, antes de  emendar: “De transporte nóis tá bem, de Hornet ou 1100, Kawasaky, tem Bandit, RR tem também”. Nos vídeos do cantor são exibidos os modelos das motocicletas, além do Veloster.

Já o MC Mensageiro Lee varia nos modelos apresentados em seu vídeo “Cordão de ouro”: Citroën C4, Mercedez Benz C300 e Porche Cayenne estão na lista de carros apresenta durante o clipe.  A paixão pelos carros vai além das citações nas letras e se transforma até em título das músicas, como em “Megane”, sucesso cantado pelo MC Boy do Charmes, também assistido mais de milhões de vezes na rede mundial de computadores.

Como não poderia deixar de ser, no estilo chamado ostentação a economia também não é o forte, como fica claro no clipe de maior sucesso do MC das Quebradas, que tem o tema “Ela gosta é de dinheiro” e exibe uma Ferrari vermelha em meio a muitas mulheres logo nas primeiras cenas.

O de culto ao luxo e amplamente divulgado em muitas outras canções do chamado funk ostentação é polêmico, mas não é nenhum segredo que um novo comportamento social e de consumo chegou para ficar. As letras refletem o desejo do grande público por produtos de alta qualidade. Afinal, qual motociclista nunca desejou pilotar uma potente Suzuky vestindo uma jaqueta Alpinestar? Ou quem não adoraria ter um Lamborghini na garagem?

 Em um período  em que os jovens resolvem aderir ao lema “quanto mais caro e chamativo, melhor”, não existem melhores representantes da ostentação do que grandes carros e motos. Muito antes mesmo da onda do funk, modelos exclusivos de grandes fabricantes faziam parte das fantasias de muitos jovens e já custavam milhões, como o Bugatti Veyron Supersport, que atualmente pode ir para sua garagem pela bagatela de R$ 5,2 milhões. Afinal, sonhar e cantar não custa nada!

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo