ColunasTrânsito e Vidas
Tendência

Muito Além de Rodas e Motores | Rogélio Golfarb e o empobrecimento da constelação de executivos da indústria automobilística

Concordo com a opinião manifestada pelo experiente jornalista Vicente Alessi, Filho, sobre o empobrecimento da constelação de executivos da indústria automobilística brasileira, com a aposentadoria de Rogélio Golfarb, que respondeu pela vice-presidência da Ford na América do Sul.

Rogério Golfarb é um personagem raro, que conheci no tempo em que trabalhei na Ford brasileira, na fase em que chefiou o departamento de Marketing. Inteligente, elegante, de raciocínio rápido e de multiconhecimentos e talentos.

Nosso relacionamento mais importante foi em sua passagem pelo departamento de desenvolvimento de produtos e foi responsável pela coordenação da inauguração da modernização da fábrica de São Bernardo do Campo para a produção do novo Fiesta, que passaria a ser equipado com o motor Zetec-Rocam, produzido na fábrica de Taubaté, desenvolvido com as mais modernas tecnologias disponíveis. Confesso que foi um período gratificante porque conheci um executivo singular e respeitável.

Lembro do trabalho de comunicação para o anúncio dessa modernização e do novo Fiesta, que era de minha responsabilidade, como gerente de comunicação da Ford, que realizamos ao longo de seis meses. Desenvolvemos um plano, dividido em três fases, e o apresentamos inicialmente ao Rogélio que, com sua visão, presença de espírito e conhecimento de mercado, aperfeiçoou o material.

Numa reunião com toda a diretoria brasileira e a participação do vice-presidente da Ford mundial, Gurminder Bedi, o programa foi apresentado e o ouvimos dizer: “É o melhor plano que conheci em minha vida. E nomeio o presidente Ivan Fonseca e Silva, como responsável pelo cumprimento do programa”.

Conheci, nesse dia, outras virtudes de Rogélio: a calma, a segurança e a confiança, como um jogador, de posse das melhores cartas nas mãos. O plano proposto foi executado com sucesso e atingimos os objetivos traçados.

Desde essa reunião internacional até hoje, em outra demonstração da elegância de Rogélio, ele, ao nos encontrarmos, se refere a mim acrescentando ao cumprimento a palavra mestre.

Como funcionário de uma empresa da indústria automobilística, Rogélio desejou se aprofundar nas mais diferentes etapas da produção de um veículo. Dos desenhos iniciais às etapas finais do projeto, que envolvem, inclusive, a importância do atendimento ao cliente e, também, a primeira revisão e o nível de qualidade do serviço.

Com isso, ao longo se sua carreira buscou ser designado para diferentes posições com o objetivo, também singular, de não se fixar num único cargo. Em todos sempre alcançou êxito e respeito pelo elevado nível desempenhado.

Golfarb também foi presidente da Anfavea, entre 2004 e 2007, sucedendo a Ricardo Carvalho, da Volkswagen. Na Anfavea, repetiu o excelente trabalho prestado à Ford.

Em uma declaração, Martín Galdeano, presidente da Ford América do Sul, disse que nos últimos cinco anos, Rogéio Goldfarg desempenhou papel fundamental na condução do crescimento da empresa, apoiando iniciativas de sucesso como lançamentos de produtos, reposicionamento da marca e a reestruturação do modelo de negócio na América do Sul. Segundo ele, sua experiência e conhecimento do setor foram cruciais para nossos processos de tomada de decisão.

Depois de 43 anos de serviços prestados à Ford e indústria automobilística brasileira, Rogélio Golfarb vai deixar saudade. Tenho certeza de que a Ford irá aproveitar muito bem os seus talentos como consultor na área de Assuntos Governamentais.

Acesse nossos podcasts clique aqui.

Crédito das imagens: Divulgação Ford / Secco Consultoria

 

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo