CarrosNotícias

Ministro acredita que o Japão terá carros autônomos em 10 anos

Foto: Divulgação

Por Larissa Nogueira

O ministro dos transportes japonês Takeshi Maeda acredita que os carros autônomos (capazes de dirigir sozinhos) estarão disponíveis no mercado japonês até o ano de 2020. A ideia é que esses automóveis consigam andar sem a ajuda de um condutor em vias expressas que oferecem o suporte necessário para esse tipo de veículo.

O ministro japonês organiza um projeto que discute a concepção e as barreiras tecnológicas que envolvem esse planejamento. Com o nome de “autopilot system”, esse projeto demandará um sistema de navegação preciso e confiável, uma nova concepção na construção de vias e o grande desenvolvimento em engenharia de software para que se torne viável, por isso a janela dele é de 10 anos.

Também será preciso que os sistemas embarcados nos veículos sejam capazes de dirigir e monitorar o comportamento dinâmico em relação à via e aos outros automóveis. Outra necessidade é que existam vias específicas para esses carros possam transitar, assim o motorista poderá guiar o seu veículo até a pista específica e depois disso, o automóvel passa a assumir o controle.

O objetivo dessas medidas é que os carros guiados por esses sistemas embarcados funcionem em comunhão com a via, dando mais segurança e agilidade no transporte.  Outra vantagem desse sistema é a diminuição do consumo de combustível, dada a condução mais eficiente do computador em relação á humana e a possibilidade da redução de engarrafamentos e acidentes no trânsito.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. É… parece que querem acabar com os pequenos prazeres da vida, primeiro neguinho inventa uma vistoria de emissão de poluentes que prejudica a quem tem um carro antigo, mas em perfeitas condições de rodar (sendo que quem realmente polui são os carros novos e 0 km que saem das concessionárias todo santo dia para as ruas) agora os caras querem acabar com o próprio prazer de dirigir.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo