MotosNotícias

Honda PCX chega a linha 2017

pcx-2017

Sinônimo de mobilidade, liberdade e alta tecnologia, assim pode ser definida a Honda PCX, scooter mais vendido no Brasil desde o seu lançamento em 2013. Considerada a motocicleta com o menor índice de desvalorização do mercado, o modelo não para de evoluir e chega em sua versão 2017 com novas cores e preços. Na Standart as cores são Prata Fosco (inédito) e Cinza Metálico e preço público sugerido de R$ 10.300,00. Já na DLX, para aqueles que buscam um visual mais sofisticado e exclusivo a nova cor é o Marrom Perolizado e o preço é de R$ 10.800,00

Produzida em Manaus, a PCX é o único scooter na categoria até 200cc com 3 anos de garantia mais 7 trocas de óleo grátis, uma exclusividade Honda para o segmento. Com baixo custo de manutenção, representa uma excelente opção para quem busca um modelo econômico, com design avançado e diferenciais que atendam às expectativas de um público cada vez mais exigente na busca de mais praticidade para rodar no dia a dia.

pcx-2017-5

Ao subir no modelo já é possível observar toda sua inovação. Inédita no segmento, a versão 2017 mantém o exclusivo sistema “Idling Stop” que permite o desligamento automático do motor em situações cotidianas como uma parada em semáforo, e retomada automática após acionamento do acelerador. Com baixo impacto ao meio ambiente, o sistema permite maior economia de combustível e melhor autonomia (tanque com capacidade de 8,9 litros), no urbano.

Nas cores, a novidade é o Marrom Perolizado para a versão DLX, em uma combinação em 2 tons, com o couro do banco em um tom mais claro, com diferenciais exclusivos e visual mais sofisticado, além de adesivo remetente à versão na parte frontal da carenagem. Já na Standard, a novidade é o Prata Fosco com foco no público jovem e novos motociclistas, além do Cinza Metálico mantido no line up devido a sua boa aceitação no mercado.

pcx-2017-2

O conjunto mecânico permanece o confiável propulsor monocilíndrico OHC (Over Head Camshaft), 4 tempos, com injeção eletrônico PGM-FI (Programmed Fuel Injection) e arrefecimento líquido. A potência máxima é de 13,1 cv a 8.500 rpm e torque máximo de 1,36 kgf.m a 5.000 rpm, que lhe garantem boa rapidez nas arrancadas. A capacidade do motor é de 149,3 cm² e já esta em conformidade e adequada aos padrões exigidos pela segunda fase do Promot 4 (Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares).

Seu sistema de freios CBS (Combined Brake System), tecnologia que distribui parte da força aplicada ao freio traseiro para o dianteiro, garante mais segurança e eficácia, principalmente em situações de emergência, se tornando mais intuitivo aos novos motociclistas. Na dianteira, o disco possui diâmetro de 220mm e cáliper de duplo pistão. Já a traseira apresenta freio a tambor de 130 mm.

A relação de transmissão automática continuamente variável CVT (V-Matic), oferece conforto adicional por ser sucessiva e não exigir troca de marchas. Assegura uma pilotagem suave e prazerosa, além de contribuir para melhorar a eficiência no consumo de combustível. Os amortecedores oferecem maior absorção e resistência a impactos, resultando mais conforto e suavidade ao piloto e garupa.

O chassi do tipo berço em tubos de aço apresenta distância entre eixos de 1.315 mm. Seu conjunto  de suspensões apresenta, na dianteira, garfo telescópico com 100 mm de curso. Na traseira, conta com sistema de duplo amortecimento e curso de 85 mm. As rodas de 14 tem pneus 90/90-14M/C 46P na dianteira e 100/90-14M/C 57P na traseira, em um conjunto que garante maior segurança e conforto na cidade e cotidiano urbano com desníveis.

Fonte: Imprensa Honda Brasil

 

 

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo