CarrosNotícias
Tendência

GM comemora marca de 17 milhões de carros produzidos no Brasil

Empresa vai investir R$ 10 bilhões em desenvolvimento e produção de veículos inéditos

Em 96 anos de presença no Brasil, a General Motors já produziu cerca de 17 milhões de veículos em suas três fábricas de carros: São Caetano do Sul (SP), São José dos Campos (SP) e Gravataí (RS).

“Este é um marco importante e mostra o tamanho do compromisso que a GM tem com o Brasil. E este comprometimento é retribuído pelos brasileiros. Temos o Onix como o carro mais vendido há seis anos e liderança de mercado em geral há cinco. Nas vendas de varejo, que refletem a preferência do consumidor, somos líderes desde 2013 e esta liderança vem se ampliando nestes últimos anos. Fechamos 2020 com seis pontos percentuais a frente do segundo colocado. Como resultado de tudo isso, nossas pesquisas indicam que a marca Chevrolet nunca esteve tão bem posicionada como agora. É um aniversário carregado de conquistas e significado”, declarou Carlos Zarlenga, presidente da GM América do Sul.

Inovação, tecnologia e investimento

De 1925 – ano em que a empresa se instalou no Brasil – para cá, o mundo mudou e a GM se transformou inúmeras vezes, sempre desenvolvendo novas tecnologias, tanto automotivas, quanto fabris.

As mais recentes novidades à disposição dos clientes Chevrolet foram fruto do ciclo de investimentos de R$ 13 bilhões entre 2014 e 2019. Elas contam com o Wi-Fi embarcado, uma nova família de veículos e novos itens de segurança e conectividade. Além da completa reforma da fábrica de automóveis mais antiga em operação no Brasil, em São Caetano do Sul, que hoje produz o novo Tracker, Spin, Joy, Joy Plus e Montana.

As fábricas de Gravataí (RS) e Joinville (SC) também foram atualizadas e ampliadas para fabricar a nova geração do Onix e Onix Plus e motores três cilindros turbo e aspirado, respectivamente.

A indústria 4.0 chegou de vez ao Brasil a partir de novos equipamentos que vieram também para fabricar o Novo Tracker em território nacional. Realidade virtual, rebocadores autônomos, produção altamente automatizada, pintura sem utilização de água, robôs que são atualizados remotamente. Tudo isso faz parte do dia a dia do operador de produção da GM.

Segundo mercado Chevrolet no mundo

Não à toa, o Brasil se manteve pelo segundo ano consecutivo como o segundo maior mercado da marca Chevrolet no mundo, atrás somente dos Estados Unidos. Em 2020 foram mais de 338 mil carros emplacados no país.

Novos investimentos

E para continuar dando ao consumidor brasileiro o que ele quer e o que ele nem sabe que deseja ainda, a empresa está pronta para retomar o novo ciclo de investimentos. O aporte de R$ 10 bilhões será destinado às fábricas de automóveis do estado de São Paulo (São Caetano do Sul e São José dos Campos) e prevê o desenvolvimento e produção de veículos inéditos, além da ampliação da oferta de equipamentos, entre eles os exclusivos OnStar e o Wi-Fi nativo.

A evolução da GM no Brasil em números

Em mais de nove décadas, a GM passou por muitas expansões. “Aportamos dezenas de bilhões em investimentos, desenvolvemos inúmeras tecnologias, geramos empregos qualificados e impostos, puxando uma longa cadeia de fornecedores locais e levando o produto brasileiro para além das fronteiras nacionais”, ressaltou Luiz Carlos Peres, vice-presidente de Manufatura da GM América do Sul. Veja um pouco desta evolução em números.

Investimentos

Em 26 de janeiro de 1925, a General Motors do Brasil foi registrada com capital inicial equivalente a cerca de R$ 1,4 milhão.

Noventa e seis anos e mais de R$ 31 bilhões em aportes históricos equivalentes a valores atuais depois, a GM anuncia a retomada do mais novo plano de investimentos no Brasil, de R$ 10 bilhões para o desenvolvimento e produção de veículos inéditos nas fábricas de São Caetano do Sul e São José dos Campos, ambas em São Paulo.

Produção
Desde que a primeira linha de montagem da GM é instalada no Brasil, ainda na fábrica do Ipiranga, na capital paulista, passaram-se sete meses para a produção das primeiras 25 mil unidades.

Hoje, na fábrica mais eficiente do mundo, que é da GM, fica em Gravataí (RS) e produz o líder e vice-líder de vendas do Brasil, Onix e Onix Plus, respectivamente, são necessários menos de 22 dias para produzir 25 mil unidades.

No Brasil, a GM já produziu caminhões, ônibus, carrocerias, peças e até geladeiras da marca Frigidaire. Ao iniciar sua produção de carros de passeio, em 1968, com o lendário Opala, a GM se focou neste segmento e pelas suas linhas de produção já passaram mais de 35 modelos diferentes. Hoje, a fábrica de São Caetano do Sul produz cinco modelos diferentes na mesma linha de montagem.

Capacidade instalada
No início da produção da GM no Brasil, a sua única fábrica tinha uma capacidade produtiva estimada de 43 mil unidades por ano. Em 2021, com três fábricas de automóveis instaladas e altamente eficientes, esta capacidade está em cerca de 740 mil unidades/ano.

Automatização
Se em 1925 o processo de fabricação de um carro era essencialmente mecânico, hoje, a GM conta com cerca de 2.500 robôs nas suas fábricas no Brasil, diversos com tecnologias da indústria 4.0 em um processo altamente automatizado.

Confira os fatos relevantes da história da GM no Brasil

1925
• Em 26 de janeiro, é registrada, no II Tabelionato de São Paulo, a Companhia Geral de Motores S.A., com sede na Avenida Presidente Wilson, 2.935, no bairro do Ipiranga. O capital inicial era equivalente a US﹩ 270 mil. Pouco tempo depois, a razão social passa a ser General Motors of Brazil S.A. (GMB).

• Em 26 de fevereiro é instalada, na avenida Presidente Wilson, a linha de montagem.

• Em setembro, o Brasil conhece o primeiro Chevrolet montado no país, um furgão de entregas urbanas.

1927
• Em 17 de setembro, a linha de montagem produz o veículo de no 25.000.

• Em 24 de setembro, começa uma nova etapa na história da GMB: o início da construção da fábrica de São Caetano do Sul.

1928
• Produzido o 50.000° veículo Chevrolet no Brasil.

• Em 1º de outubro, foi iniciada a produção de veículos em São Caetano do Sul.

1930
• Em 12 de agosto, é inaugurada oficialmente a fábrica de São Caetano do Sul.

1932
• Em julho, uma novidade: o primeiro ônibus com carroceria fabricada no país. Nele, vários tipos de materiais são empregados, inclusive estruturas de madeira.

1942-1945
• A General Motors do Brasil participa, durante o período da Segunda Guerra Mundial, do esforço militar na produção de veículos e material bélico. São produzidos mais de 2.000 veículos a gasogênio para uso civil. Em 1943 é iniciada a fabricação de molas semi-elíticas.

1953
• Em outubro, é adquirido o terreno em São José dos Campos, com 1.634.008 m², para expansão futura.

1956
• Em 12 de dezembro, o Grupo Executivo da Indústria Automobilística (GEIA) aprova o plano de nacionalização para a fabricação de caminhões Chevrolet.

• Em 21 de dezembro, é iniciada a fabricação da Fundição e da fábrica de Motores, em São José dos Campos.

1957
• Em 28 de junho, o GEIA aprova o plano de fabricação de caminhões leves Chevrolet.

• Ainda em junho, sai o primeiro caminhão Chevrolet nacional.

1958
• Em 4 de dezembro, a fábrica de São José dos Campos – ainda em construção – entrega o primeiro motor Chevrolet fundido, forjado e usinado no Vale do Paraíba.

1959
• Em 10 de março, é inaugurada a segunda fábrica da General Motors do Brasil, em São José dos Campos. Na época, produzia somente motores e peças para os caminhões Chevrolet Brasil, picapes e camionetes Chevrolet Amazonas.

1966
• A GMB anuncia a expansão de suas duas fábricas para a fabricação de um carro de passageiros.

1968
• É lançado, em 19 de novembro, o primeiro carro de passageiros Chevrolet produzido no Brasil, o Opala, com quatro portas.

1969
• Desde setembro de 1925 a 26 de setembro deste ano, uma importante soma: 500.000 veículos.

1970
• A GMB inaugura uma nova linha de montagem em São José dos Campos, visando o lançamento do seu primeiro carro pequeno, o Chevette.

• Em 3 de agosto, o 50.000º Chevrolet Opala.

1972
• Em 14 de dezembro, é adquirido terreno com 11.273.205 m² em Indaiatuba, São Paulo, para o futuro Campo de Provas da GM.

1973
• Em 24 de abril, a GMB apresenta oficialmente à imprensa o Chevette duas-portas, o primeiro carro pequeno da GM.

1974
• Em 26 de março, é produzido o 50.000° Chevette.

• Em 5 de junho, é produzido o milionésimo veículo Chevrolet.

• Em 15 de julho, entram em operação as instalações do Campo de Provas da Cruz Alta, em Indaiatuba.

1978
• Em 26 de setembro, é inaugurada a Estação de Tratamento de Águas de São José dos Campos.

1979
• Em setembro, a GMB começa a vender veículos a álcool.

• Em 12 de dezembro, a fábrica de São Caetano do Sul comemora a produção do 1.500.000o veículo.

1980
• Em 8 de janeiro, a GMB produz o 2.000.000° veículo produzido no Brasil.

1981
• Em 27 de janeiro é iniciada a produção do motor Família II para o carro “J”.

• Em 1º de junho, a GMB é considerada a primeira empresa automobilística do mundo em índice de qualidade.

1982
• Em 19 de fevereiro, o Opala alcança sua 750.000 unidade.

• Em 19 de abril, a imprensa conhece o carro “J” da GM – o Monza.

• Em 13 de maio, a GMB lança ao público o Chevrolet Monza.

• Em 29 de julho, o Chevrolet Monza atinge outra vitória: 10.000 unidades.

1983
• Em 17 de fevereiro, sai da linha de montagem o 750.000° Chevette.

• O Chevette é o líder de vendas no país, com um total de 85.894 unidades comercializadas no ano.

1984
• Em 21 de fevereiro, é produzido o 100.000° Monza.

• Em março, a fábrica de São José comemora seus 25 anos.

• O Monza é o líder absoluto de vendas, com um total de 53.022 unidades comercializadas no ano.

1985
• A GM comemora seu 60º aniversário de atividades no país, no dia 26 de janeiro.

1987
• Em março, 1 milhão de Chevettes produzidos em São José dos Campos.

1988

• Em 2 de fevereiro, inauguração do Centro Tecnológico em São Caetano do Sul

1989
• Em abril, apresentação do Kadett à imprensa, no Rio de Janeiro.

• Em 5 de outubro, inauguração da Estação de Tratamento de Efluentes Industriais Ácido-Álcalis de São Caetano do Sul.

• Em 4 de dezembro, 5 milhões de motores Chevrolet produzidos.

1990
• Em fevereiro, lançamento do Monza Classic SE 500 EF com injeção eletrônica de combustível.

• Em 5 de junho, o primeiro projeto do “Empresários para o Futuro”, com a fábrica de cabides instalada na GM, completa um ano de atividades.

• Em 22 de agosto, inauguração da Pista Circular no Campo de Provas da Cruz Alta, em Indaiatuba, São Paulo, de 4,3 quilômetros de extensão.

1991
• Em maio, é comemorada a produção de 600.000 unidades do Monza.

• A GM lança em março o Chevette Júnior, propulsionado por motor 1,0-litro, a pick-up Conquest e o motor Maxion S4T turbo.

• Em abril, o Opala sai de linha, após 23 anos ininterruptos de produção, com a marca de quase 1.000.000 de unidades produzidas.

• A Prefeitura de São Caetano do Sul institui, em julho, o “Dia do Chevrolet”, a ser comemorado no terceiro domingo do mês de julho de cada ano.

• Em setembro, o Omega chega ao mercado para ser o automóvel mais moderno e sofisticado do país.

• Em 6 de novembro, a fábrica de São José dos Campos comemora a produção de 1.500.000 veículos.

• A fábrica de São Caetano do Sul coloca em funcionamento, em dezembro, a sua Estação de Tratamento de Efluentes Industriais Oleosos.

1993
• Em 13 de janeiro, as Fábricas de Motores de São José dos Campos atingem a marca de 6.000.000 de motores fabricados (Opala, Chevette, Comerciais e Família II).

• Em 3 de fevereiro, a Fábrica de Caminhões e Comerciais alcança a marca de 300.000 unidades produzidas.

• Nos dias 1o e 2 de abril a GMB apresenta à imprensa especializada seus dois novos produtos, a station-wagon Suprema, derivada do Omega, e a Kadett Ipanema de quatro portas.

• A GMB lança, em abril, o Chevette L 1.6, representante Chevrolet no segmento de carros populares.

• Em 8 de junho, a GM do Brasil lança, no Jardim Botânico de São Paulo, o primeiro carro movido a gás natural dotado de injeção eletrônica, um sistema multiponto.

• Em 27 de agosto, é criado o Instituto Cultural e Filantrópico General Motors, instituição que visa facilitar a ação de todo o Grupo GMB em ações de cunho social.

• Em 8 de setembro, é fabricado o Monza número 750.000.

• Em 22 de setembro, o MVA de São Caetano do Sul alcança a marca de 1.000 Vectras produzidos, antes do lançamento.

• Em setembro, a GMB lança a Garantia Estendida, serviço opcional que eleva a garantia de fábrica dos veículos Chevrolet para dois anos ou 50.000 km.

• O Vectra é oficialmente lançado, em 2 de outubro.

• A GMB lança, durante a Brasil Transpo 93, o Calibra, modelo esportivo importado da Opel alemã.

• Em 19 de outubro, é produzido o Monza número 760.000.

• Em 11 de novembro, durante a visita do presidente mundial da General Motors Corporation, Jack Smith Jr., a GMB comemora a produção do Chevrolet número 5.000.000, um Vectra GSi.

• O Chevette sai de linha em 12 de novembro, dia em que a GM comemora a produção de 1.600.000 unidades do modelo, desde 1973.

• O Centro de Treinamento Chevrolet de São Caetano do Sul é inaugurado em 13 de dezembro, juntamente com o Centro de Atendimento ao Cliente Chevrolet.

1994
• Em fevereiro, a GMB lança o Corsa Wind 1.0.

• O Corsa GL 1.4 é lançado em junho no mercado brasileiro.

• A GMB coloca à disposição do mercado, em agosto, o Omega táxi movida a gás natural.

• Em 4 de outubro, a GMB lança os novos motores 2,2-litros e 4,1-litros, que substituem, nas linhas Omega e Suprema, os propulsores de 2.0 e 3.0 litros.

• A GMB lança em outubro, durante o 18o Salão do Automóvel de São Paulo, o Corsa GSi 1.6 16V. No mesmo evento, anuncia o lançamento do Astra GLS hatchback, importado da Opel.

• Em novembro, a linha de montagem do Kadett e da Ipanema é transferida de São José dos Campos para São Caetano do Sul, para possibilitar um aumento da produção do Corsa na unidade do Vale do Paraíba.

1995
• Em 26 de janeiro, a GMB inicia as comemorações de 70 anos de atividade no Brasil.

• A General Motors do Brasil obtém, em fevereiro, o certificado de qualidade da norma ISO 9002 para as fábricas de veículos de passageiros de São Caetano do Sul e de São José dos Campos. A GMB é a primeira indústria automobilística da América Latina a conquistar a certificação para duas fábricas completas.

• Em março, a GMB lança a S10, a primeira pick-up do segmento compacto produzida no Brasil.

• É criada, em março, a GMC Caminhões, nova unidade de negócios da GMB dedicada aos segmentos de Caminhões e Comerciais.

• A diretoria da GM do Brasil anuncia em abril, em Brasília, um programa de investimentos no país da ordem de US$ 2 bilhões até 1998.

• A picape Corsa GL 1.6 chega ao mercado brasileiro em maio, com design traseiro totalmente brasileiro.

• Em maio, a GMB coloca no mercado o Astra Station Wagon, modelo importado da Opel, derivado do Astra GLS.

• Em 5 de junho, a fábrica de São Caetano do Sul comemora a produção do seu veículo número 3.000.000, um Vectra GSi.

• Em 21 de junho, entra em atividade, em fase piloto, o novo sistema de comunicação via satélite interligando a General Motors do Brasil e a rede de Concessionárias Chevrolet.

• A GMB anuncia, em junho, a implantação de um novo Centro de Distribuição de Peças e Componentes, em Sorocaba, São Paulo.

• Em agosto, é lançada a versão 5-portas do Corsa GL 1.4.

• Em outubro, a GM do Brasil apresenta o utilitário esportivo Blazer, a pick-up S10 cabine estendida e o motor diesel Maxion HST para propulsionar a S10 cabine simples.

• Em 11 de novembro, a GMB apresenta à imprensa especializada o Corsa Sedan GL e GLS, com motor 1.6 de 92 cv.

1996
• A GMB anuncia em 30 de janeiro a exportação de 500.000 veículos ao longo das duas últimas décadas.

• Em 21 de fevereiro, é apresentado à imprensa o novo ciclo do Vectra, que trouxe para o Brasil inúmeras novidades tecnológicas em segurança e conforto.

• No dia 5 de março é inaugurado oficialmente o CDP, Centro de Distribuição de Peças da GMB, localizado em Sorocaba (SP), a 100 quilômetros da capital paulista.

• Em 3 de julho a Câmara Municipal de São José dos Campos institui este dia como o “Dia do Chevrolet”, a ser comemorado a cada primeiro domingo deste mês.

• Em agosto, deixam de ser produzidos a Omega Suprema, o Monza e o Kadett GSi.

• A GMB introduz a “Garantia Estendida Chevrolet”, no dia 2 de outubro.

• Em 2 de dezembro, a GMB anuncia ao presidente da República a intenção de construir no país três novas fábricas, uma no Estado de São Paulo, outras no Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

1997
• Em 30 de janeiro, é oficializada a construção da fábrica de Mogi das Cruzes.

• Em fevereiro, a GMB assina contrato para instalação da fábrica de Gravataí, na Grande Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

• Em 17 de março, é anunciada a escolha do município de Gravataí, no Rio Grande do Sul, para sediar a terceira fábrica de montagem de veículos da GM no Brasil.

• Ainda em março, é apresentada à imprensa a pick-up Silverado, com três motorizações, sendo duas a diesel e uma a gasolina.

• Em 18 de agosto, o Corsa Sedan 1.6 passa a ser disponível com transmissão automática de quatro marchas.

• O 4.000.000° é produzido na fábrica de São José dos Campos.

• Em 24 de outubro, é lançada a Pedra Fundamental da fábrica de Mogi das Cruzes.

• Em 30 de outubro, é produzido o 8.000.000° motor pela GMB.

• Em 30 de dezembro, a GMB obtém a certificação ISO 9001 para todas as suas unidades no Brasil.

1998
• Começa, em abril, a importação do cupê 2+2 Tigra, da Opel da Espanha.

• Em maio é lançado o Corsa Sedã Super, o primeiro sedã de quatro portas com motor 1.0-litro da era moderna da indústria automobilística brasileira.

• Em julho, ocorre o lançamento do Blazer com tração 4×4.

• Em 31 de julho, encerra-se a produção do Omega.

• Em 16 de setembro, o último Kadett deixa a linha de montagem em São Caetano do Sul.

• Em 27 de setembro, o novo Astra hatchback de 3 portas é apresentado à imprensa sul-americana em Punta del Leste, no Uruguai.

• Em 30 de outubro, no XX Salão do Automóvel de São Paulo, é apresentado à imprensa o novo Omega CD, importado da GM-Holdens, da Austrália.

• Nessa mesma época, foi apresentado o utilitário esportivo Grand Blazer, produzido pela GM de Argentina.

1999
• A fábrica de São José dos Campos completa 40 anos, em 16 de março.

• Em 31 de março é comemorada a produção do milionésimo motor Corsa, em São José dos Campos.

• Em 19 de abril, é mostrada à imprensa, no Campo de Provas da Cruz Alta, a reformulação da linha Corsa, cujos principais destaques foram o novo motor 1,0-litro de 16 válvulas para os modelos Super e a Corsa Wagon Super.

• Em 3 de maio, a GMB e o governo gaúcho concluem acordo sobre a fábrica de Gravataí.

• Ainda em maio, é lançada a S10 cabine dupla Executive 4×2.

• Em 5 de novembro é inaugurado oficialmente o Complexo Industrial e Comercial Automotivo de Mogi das Cruzes (SP), a 60 quilômetros da capital paulista.

2000
• O Astra GL, de motor 1.8 litro, e o GLS 16V, 2.0litros e 16 válvulas, passam a desenvolver 110 cv e 136 cv respectivamente, com ganhos nas retomadas e acelerações.

• Ampliada em julho a linha Corsa com o lançamento do Corsa Furgão, utilitário destinado ao segmento de transporte de pequenos volumes.

• A GM completa 75 anos de atividades no Brasil.

• Incorporada à linha Chevrolet S10 uma nova geração de motores diesel – o Sprint 2.8 turbodiesel, que desenvolve potência 38,9% superior e nada menos que 51,7% a mais de torque em relação à versão anterior.

• A linha Astra não para de crescer. Depois do modelo hatchback de três portas e do Sedan de quatro portas, campeões de vendas em seu segmento desde o seu lançamento no Brasil em setembro de 1998 e fevereiro de 1999, respectivamente, a General Motors do Brasil está apresentando uma nova versão – o Astra Sport, hatchback 3-portas, para quem gosta de linhas ainda mais ousadas.

• Em 02 de setembro é lançado o Celta, um carro montado num Complexo Industrial com conceito totalmente novo na indústria automobilística mundial e que também introduziu no mercado, com pioneirismo, a sistemática de venda por meio da Internet.

2001
• A GM produz em 29 de outubro no Complexo Industrial Automotivo de Gravataí, no Rio Grande do Sul, a unidade de número 100.000 do Chevrolet Celta. O automóvel, na versão básica, terá a cor vermelho Beta – uma das novidades da linha 2002 disponibilizada ao mercado.

• Lançado o Astra Sedan Álcool para atender principalmente ao segmento do mercado que engloba os taxistas, além de clientes como frotistas e órgãos do governo.

• Alcançada a marca histórica de 1 milhão de unidades exportadas desde 1974.

• Lançado o Chevrolet Tracker no segmento de utilitários esportivos, no qual a empresa já tinha o Blazer.

• Lançado o monovolume Zafira, única em sua categoria com sete lugares e 28 posições diferentes de bancos, com variações no volume de bagagem de 150 até 1.700 litros, sem remoção de assentos.

2002
• A Chevrolet oferece uma alternativa aos clientes que desejam ter um veículo para funcionar com dois combustíveis, o álcool e o GNV. Trata-se do modelo Astra Sedã equipado com motor 1.8 litro a álcool, que pode, a partir de agora, ser convertido para o GNV sem perder a garantia.

• A GM produz em 18 de outubro no Complexo Industrial Automotivo de Gravataí, no Rio Grande do Sul, a unidade de número 200.000 do Chevrolet Celta. O automóvel é um Celta versão Super, na configuração de quatro portas e na cor prata.

• O Corsa Sedã, um dos maiores sucessos de vendas da General Motors do Brasil – que chegou ao mercado brasileiro em 1995 -, está sendo relançado no país como Corsa Classic, já como linha 2003. O novo modelo substitui a série especial Milenium e oferece ao consumidor a melhor relação custo-benefício dentre os automóveis disponíveis no segmento dos sedãs econômicos.

• Lançado o novo Corsa, nas configurações “hatchback” de cinco portas e sedã de quatro portas, um veículo totalmente novo e considerado na época um dos mais evoluídos em tecnologia embarcada.
Fonte: GM América do Sul
Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo