CarrosNotícias

Coluna Audio Excellence – Análise de sistema de som Citroën C3 1.2 Puretech 2017

IMG_6733

Veículo:                CITROËN – C3 Tendance                                            

Data:                     30 de agosto de 2016

Temperatura:     27 graus Celsius                                                              

Avaliador:           Roberto Mattos

Roberto[1]

NOTA:

Para a avaliação do veículo, foi utilizado o CD especial de campeoantos de qualidade de som automotivo “AUTOSOUND 2000 – IASCA”. Nele estão presentes as melhores gravações, onde os melhores sistemas se beneficiarão ainda mais !

O avaliador também se baseou nas regras da IASCA para fazer a pontuação, somente adaptando o sistema padrão IASCA para avaliar sistemas de áudio originais de fábrica, dispensando algumas avaliações específicas, destinadas basicamente as competições de qualidade de som automotivo.

Os controles de graves, agudos, ambiência, equalizações automáticas, etc… foram todos zerados ao padrão de fábrica. Nenhum artifício extra foi ligado ou ativado para a realização da avaliação.

TIMBRE

É observada a qualidade dos sons sub-graves, graves, médios e agudos do sistema.

O sistema possui uma deficiência nas frequências sub-graves e graves com distorções presentes em volumes médios/altos, e nas frequências médias que apresentaram distorções nas vozes. Falta um pouco mais de agudos (discretos), porém são razoáveis.

PALCO SONORO

São observados 3 itens: altura, largura e profundidade de palco, comparados com uma apresentação ao vivo.

  1. a) Altura de palco

A fábrica optou por instalar os 2 tweeters no alto do painel. Isso facilitou e evidenciou a altura do palco, deixando a voz com uma boa presença, quase na altura dos ouvidos.

  1. b) Largura do palco

Correta, indo quase nos limites laterais do carro. A largura foi beneficiada pelos 2 tweeters nas extremidades do painel. A separação de instrumentos nos 2 lados do palco é facilmente audível para qualquer usuário.

  1. c) Profundidade de palco

O posicionamento dos 2 tweeters quase “colados” no vidro dianteiro, resultou em uma boa profundidade entre o início do painel e o para-brisa, oferecendo ao ouvinte uma sensação real de instrumentos na dianteira e também na traseira do palco.

IMAGEM
É observada a definição e posicionamento correto dos instrumentos em relação a um palco musical.

As laterais (esquerda e direita) são boas e perfeitamente definidas. Já as imagens centro-esquerda e centro-direita, estão muito juntas das imagens esquerda e direita, como na maioria dos sistemas originais de fábrica.

Porém, o C3 possui uma boa presença de imagem central (dificil de se encontrar em sistemas originais) com um correto posicionamento do cantor e/ou solista, para os ouvintes dos bancos dianteiros.

LINEARIDADE DE SOM

É observado o comportamento dos timbres em 3 diferentes níveis de volume.

Em volume baixo, (referência 81 dB do CD da IASCA) observa-se um bom comportamento na presença dos timbres sub-graves, graves e médios, exceto a pouca presença de agudos, que são um pouco “acanhados”.

Em volume médio (referência 93 dB do CD da IASCA) temos uma resposta melhor de agudos.

Porém, em volume alto (referência 105 dB do CD da IASCA) as baixas frequências distorcem com facilidade em relação as demais.

PRESENÇA DE RUÍDO

É observado estalos e chiados de fundo no sistema.

Não foi notado qualquer tipo de estalo e/ou chiado de fundo, ao ligar, desligar ou colocar o sistema no volume máximo, usando o disco de testes da IASCA na faixa “ZERO BIT”.

ACABAMENTO

É observado a qualidade da instalação, integração da unidade principal (rádio) e do display principal

em relação ao painel, integração de falantes nas portas/painel e comandos no volante.

  1. a) Unidade principal

Muito bem acabada, sem nenhuma rebarba presente. Gostamos da moldura “gray piano”, que passa uma sofisticação ao painel do francês.

unidade principal

  1. b) Display/monitor

O display é integrado a unidade principal. Com isso, a fábrica se beneficia por uma perfeita integração ao painel. Ponto para a Citroën !

  1. c) Falantes dianteiros

O tweeter está perfeitamente alinhado com o painel, sem ressaltos. O médio-grave instalado nas portas dianteiras, também tem uma ótima integração, não possuindo ressaltos.

tweeter no painel

porta dianteira

  1. d) Falantes traseiros

Acabamento também correto, com uma integração de muito boa qualidade com a porta traseira.

porta traseira

  1. e) Comandos no volante

Achamos que o sistema mais fácil para o motorista  é a utilização de botões do sistema de áudio instalados diretamente no volante.

A Peugeot, assim como quase todas as marcas francesas, optou pelo uso de uma alavanca que fica atrás do volante, sendo encoberto pelo próprio volante.

Os botões “volume” e “source” (cuja função é trocar de CD para rádio, por exemplo) são fáceis de serem acessados. Já a operação para uma troca de faixa e/ou estação de rádio, a fábrica optou em dar 2 opções ao usuário, porém nenhuma delas em nossa opinião é completamente adequada: seja nos 2 botões acima e abaixo da alavanca ou pelo sistema de “rodinha”, ambos podem dar ao usuário alguma dificuldade de acesso, principalmente com o carro em movimento.

comandos volante

OUTRAS AVALIAÇÕES

  1. a) Ergonomia no uso do sistema

A localização da unidade principal é boa, em local correto. Os botões mais usados como “volume +” e “volume –” (além do botão “menu”) são físicos, mas não estão bem localizados e possuem um acesso inadequado principalmente quando a 3a marcha está engatada. Seria melhor a fábrica colocá-los perto do display, como no seu “primo” maior, o Peugeot 308 THP (testado pela nossa equipe) que ficam localizados acima da tela. O display é do tipo “touch”, com boa definição de imagem.

Curiosamente, a localização das entradas USB e AUXILIAR é justamente contrária a localização no 308. No Peugeot, elas estão localizadas entre os 2 bancos dianteiros, parecendo quase uma adaptação de última hora da fábrica, sendo até possível do passageiro dianteiro danificar um pen-drive conectado. No Citroën, estão em local bem melhor, no console central, abaixo do botão de pisca-alerta.

entradas USB e AUX

  1. b) Facilidade de uso

Para quem já tem uma facilidade com sistemas de áudio, não é difícil a utilização. Quando se escolhe a função desejada, a operação é bem fácil, com botões grandes, boa grafia e de fácil entendimento.

ajustes 1

ajustes 2

  1. c) Intuitividade de uso

Uma vez apertando o botão “menu”, os controles são fáceis de se achar e o usuário não terá maiores dificuldades para chegar na tela desejada e modificar funções como graves e agudos, por exemplo.

  1. d) Visualização do display

Bom tamanho de display, perfeitamente visível ao motorista e ao passageiro dianteiro. Tela com boa resolução.

  1. e) Fontes disponíveis

Nesse ponto, a Citroën “copiou” a irmã Peugeot e também dispõe para o usuário com as seguintes opções: RÁDIO, USB, AUX, BLUETOOTH, iPOD e MIRROR LINK.

entradas de áudio

  1. f) Manual de instruções

Bonito e bem acabado, possui informações corretas sobre o sistema de áudio, com boas (e várias) imagens explicativas, além de um bom passo-a-passo.

manual

CONSIDERAÇÕES GERAIS

O C3 possui um sistema de áudio bem acabado visualmente, com uma boa presença de palco (largura, altura e profundidade), mas que deixa um pouco a desejar na qualidade de áudio.

Um pouco mais de atenção com os timbes baixos (com distorções em volumes altos) e médios (distorções nas vozes) podem deixar a qualidade bem mais agradável para o uso diário, mesmo para o usuário menos exigente.

O Citroën C3 Tendance fez 205 pontos de 300 possíveis. Nota final 6,83.

Roberto Mattos

Etiquetas

Artigos relacionados

2 Comentários

  1. Olá Roberto,

    Estou há várias semanas “garimpando” informações sobre este sistema para tentar descobrir como desligar o sistema de som com o carro em uso. Simplesmente não há alternativa a não ser colocar o sistema em “mute”, mas isto compromete as outras funções…

    Att,
    Edu.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo