NotíciasReportagens

Aero Willys 2600 – O Primeiro Sedan de Luxo Brasileiro!

Fotos: Renato Pereira

A Willys-Overland foi uma montadora de automóveis norte americanas com uma daquelas histórias ímpares típica da primeira metade do século 20. A marca existiu até 1975, quando o último veículo Willys deixou a linha de montagem da montadora AMC – American Motors Corporation (uma fabricante automobilística norte-americana criada em 14 de janeiro de 1954 pela fusão da Nash Motors / Nash Kelvinator Corporation e da Hudson Motor Car Company / Hudson Motor Car Co.). É, era uma época meio confusa, onde mecânicos e engenheiros resolviam construir seus próprios carros mas, devido as imensas pressões sócio-financeiras das concorrentes acabavam sucumbindo. Preston Tucker que o diga!

As raízes da Willys estão na Standard Wheel Company, fundada em 1920, empresa que fabricava automóveis com motores de um e dois cilindros em Terre Haute, Indiana. Ao migrar para a capital do estado, Indianápolis, em 1905, a empresa mudou o nome para Overland Co. Uma crise financeira dois anos depois da mudança da sede fez com que o controle acionário da empresa passasse para o representante comercial vendedor de bicicletas e automóveis de diversas marcas John North Willys, e a empresa foi rebatizada como Willys-Overland Co., lançando um pequeno carro com motor de quatro cilindros que obteve boas vendas no mercado, além de dois modelos de luxo com motor de seis cilindros. O primeiro sucesso da marca foi o modelo 79 de 1914 que, com preço abaixo dos 1.000 dólares, vendeu 80 mil exemplares já no primeiro ano de produção.

A marca ficou famosa principalmente por ter criado e produzido o lendário Jeep da Segunda Guerra Mundial. O nome do veículo vem de general purpose, veículo de uso geral, abreviado para suas iniciais gp, pronunciadas em inglês como jeep. Em 1952, a empresa abriu uma filial no Brasil, a Willys Overland do Brasl, tornando-se uma importante personagem na nossa então nascente indústria automotiva, com o Jeep, a versão Utility Wagon Rural (e a versão pick-up), o Aero e o esportivo Interlagos, até encerrar suas atividades, sendo adquirida por completo pela Ford, em 1963.

O Aero Willys foi lançado em 1951, e era um modelo destinado às famílias de mais baixa renda do pós-guerra. Em 1953 a empresa foi comprada pela Kaiser Motors e novamente re-batizada, então como Willys Motor Company. Mas as vendas dos carros de passeio da Willys e da Kaiser continuaram em declínio e, em 1955, a fabricação de carros cessou e todo o maquinário para fabricação do Aero foi mandado para o Brasil. Antes de seu lançamento, porém, a montadora colocou no mercado nacional o pequeno Dauphine, produzido sob licensa da francesa Renault, sendo este seu primeiro veículo urbano nacional.

Apenas em 1960 foi lançado o Aero-Willys brasileiro, com a carroceria arredondada do modelo norte-americano. Sua mecânica era integralmente a mesma do Jeep, com o mesmo motor 6 cilindros em linha, 2.6 litros e míseros 90 Cv de potência máxima, que levava os 1.440 kg de peso do carro a 120 km/h de velocidade máxima, com aceleração de 0 a 100 km/h em 17,8 segundos e seu consumo de combustível era da ordem de 7 km/litro. È, parece muito pouco, mas para a época era bastante! Desenhado por Brooks Stevens, em 1962 chegou a reestilização do Aero 2600, com linhas retas e modernas para a época, além de algumas alterações no motor que elevaram sua potência para 110cv. Esse novo Aero deu origem a uma versão de luxo lançada em 1966, comercializada com o nome Itamaraty,  cujo maior diferencial de seu design eram a grade dianteira e as lanternas traseiras horizontais. Em 1967, quando a Willys oferecia 7 carros de passeio e utilitarios, em 19 versões e era a montadora com a maior linha de produtos no Brasil,  a Ford assumiu o controle acionário da empresa. Os carros das linhas Jeep e Aero continuaram a ser produzidos, sob a marca Ford-Willys até 1970, e posteriormente, por mais alguns anos, apenas com a marca Ford. A linha Jeep ainda permaneceu em produção até 1983.

A ficha Técnica do Aero Willys 2600 é a seguinte:

Motor: Willys Hurricane, 6 cilindros em linha, 2,6 litros, 12 válvulas, dois carburadores de corpo simples, 90 / 110 Cv a 4.400 Rpm, a gasolina, dianteiro, longitudinal.

Transmissão: Alavanca na coluna de direção, 3 / 4 marchas, primeira “seca”, demais sincronizadas.

Tração: Traseira

Freios: Tambor nas 4 rodas sem assistência.

Comprimento: 4.638mm; Largura: 1.828mm; Altura: 1.593mm; Porta-malas: 450 Litros.

 

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo