CarrosNotícias

Coluna Audio Excellence – Análise de sistema de som do Fiat Toro Freedom Flex 2016

IMG_2422

Veículo:                FIAT – Toro Freedom Flex                                                                  

Data:                     23 de junho de 2016

Temperatura:     21 graus Celsius                                                              

Avaliador:           Roberto Mattos

NOTA:

Para a avaliação do veículo, foi utilizado o CD especial de campeoantos de qualidade de som automotivo “AUTOSOUND 2000 – IASCA”. Nele estão presentes as melhores gravações, onde os melhores sistemas se beneficiarão ainda mais !

O avaliador também se baseou nas regras da IASCA para fazer a pontuação, somente adaptando o sistema padrão IASCA para avaliar sistemas de áudio originais de fábrica, dispensando algumas avaliações específicas, destinadas basicamente as competições de qualidade de som automotivo.

Os controles de graves, agudos, ambiência, equalizações automáticas, etc… foram todos zerados ao padrão de fábrica. Nenhum artifício extra foi ligado ou ativado para a realização da avaliação.

TIMBRE

É observada a qualidade dos sons sub-graves, graves, médios e agudos do sistema.

O sistema reproduz com boa qualidade as frequências sub-graves e graves, com pouca distorção. Isso é bem difícil encontrar em carros nas suas versões básicas. Nas frequências médias, timbres razoáveis, pois notamos vozes com alguma distorção presente. Os agudos foram as frequências que menos apresentaram distorção, porém são muito acanhados e poderiam estar mais presentes.

PALCO SONORO

São observados 3 itens: altura, largura e profundidade de palco, comparados com uma apresentação ao vivo.

  1. a) Altura de palco

A fábrica optou por instalar os 2 tweeters dianteiros acima do painel, encostados no parabrisa, que ajuda a elevar a altura do palco. Porém, mesmo assim o sistema da Fiat Toro ficou devendo nesse item e não conseguiu chegar com a voz e instrumentos na altura dos ouvidos.

  1. b) Largura do palco

Razoável, mas não chegou nos limites laterais do carro. Faltou um pouco mais de abertura.

  1. c) Profundidade de palco

O sistema não possui grande sensação de profundidade, porém conseguimos notar instrumentos na frente e na traseira do palco.

IMAGEM

É observada a definição e posicionamento correto dos instrumentos em relação a um palco musical.

As imagens laterais (esquerda e direita) são corretamente definidas. O sistema perde um pouco quando se aproxima cada vez mais do centro. As imagens centro-esquerda e centro-direita estão encostadas nas laterais, e a imagem central está bem deslocada para a esquerda, quase em frente ao volante.

LINEARIDADE DE SOM

É observado o comportamento dos timbres em 3 diferentes níveis de volume.

Notamos uma grande deficiência do sistema em relação a potência total. Em todos os testes realizados anteriormente, consguimos manter o padrão de volume em 85dB. No sistema da Toro, ele chegou apenas a 82 dB de volume, mesmo estando em volume máximo.

Em volume baixo, (referência 81 dB do CD da IASCA) o sistema comporta-se bem, porém com falta de agudos. Em volume médio (referência 93 dB do CD da IASCA) temos o mesmo problema com os agudos. Já em volume alto (referência 105 dB do CD da IASCA) as baixas frequências (graves e sub-graves) ficaram um pouco excessivas (mas com pouca distorção), além de novamente apresentar falta de agudos.

PRESENÇA DE RUÍDO

É observado estalos e chiados de fundo no sistema.

Não foi notado qualquer tipo de estalo e/ou chiado de fundo, ao ligar, desligar ou colocar o sistema no volume máximo, usando o CD de testes da IASCA na faixa “ZERO BIT”.

ACABAMENTO

 

É observado a qualidade da instalação, integração da unidade principal (rádio) e do display principal

em relação ao painel, integração de falantes nas portas/painel e comandos no volante.

  1. a) Unidade principal

Boa integração da unidade principal com o painel, sem rebarbas aparentes. Acabamento dos botões correto e limpo.

unidade principal

  1. b) Display/monitor

Display totalmente integrado com a unidade principal.

  1. c) Falantes dianteiros

O tweeter está perfeitamente alinhado com o painel. O médio-grave da porta possui uma bonita moldura em black piano, que combina com o painel central aonde está instalada a unidade principal.

tweeter no painel

porta dianteira

  1. d) Falantes traseiros

Mesma observação dos falantes das portas dianteiras. Bom acabamento com moldura black piano.

porta traseira

  1. e) Comandos no volante

Aqui a Fiat tropeçou. Apesar de ter vários (e bonitos) botões na frente do volante, a fábrica italiana optou por colocar os comandos do rádio (6 botões) atrás do volante, nas 2 laterais abaixo da borboleta de mudança de marchas. Alô Fiat ! Isso é muito complicado !

No lado esquerdo, os botões traseiros UP e DOWN fazem a mudança de faixa/estação, e o botão central assume funções como mudança da memória das estações de rádio, por exemplo.

Já nos botões traseiros do lado direito, as teclas UP e DOWN mudam o volume e o botão central muda o “INPUT” do sistema (USB, RÁDIO, AUX).

comandos volante

comando traseiro do volante

OUTRAS AVALIAÇÕES

  1. a) Ergonomia no uso do sistema

Boa localização da unidade principal, com fácil acesso e visualização. O display é do tipo “touch”. Os botões físicos (e redondos) para volume e mudança de faixa/troca de estação são fáceis de usar, facilitando muito a operação. Os outros botões de toque (quadrados) são grandes e com boa diagramação.

  1. b) Facilidade de uso

O sistema de ajustes de áudio é fácil de usar e possui várias funções como: equalizador, loudness, auto-on (liga o rádio automaticamente ao ligar o carro), volume automático de acordo com a velocidade do carro e balance/fader com “espacialização”, onde o usuário pode definir aonde deseja que o sistema de áudio tenha uma ênfase. Em nossos testes, usamos a opção “C” (central), e todos os outros ajustes desligados (fotos).

ajustes 1

ajustes 2

ajustes 3

ajustes 4

ajustes 5

  1. c) Intuitividade de uso

O usuário que já está acostumado com equipamentos automotivos, não terá muita dificuldade de uso, porém, um usuário menos experiente pode ter uma certa dificuldade.

  1. d) Visualização do display

Boa visualização dos comandos, mas o display poderia ser maior.

  1. e) Fontes disponíveis

A Fiat optou por deixar de lado o CD e a entrada SD CARD. As possibilidades são RÁDIO, USB, AUXILIAR e BLUETOOTH.

  1. f) Manual de instruções

Na unidade avaliada, o manual do sistema “UCONNECT” é separado do manual do veículo. Ele é bem apresentado e com boa explicação.

manual

CONSIDERAÇÕES GERAIS

O nome Toro faz jus ao sistema de áudio na parte de frequências baixas. Os timbres sub-graves e graves são fortes e com boa presença e poucas distorções aparentes. Os timbres médios são razoáveis porém possuem algumas distorções nas vozes. Os agudos não são ruins, mas foram “economizados” pelos italianos, pois deveriam estar mais presentes.

O sistema de comandos no volante é confuso, e a tela touch poderia ser um pouco maior. Isso fez a Fiat perder pontos precisosos nesses 2 aspectos.

A Toro fez 213 pontos de 300 possíveis. Nota final 7,1.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

2 Comentários

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo