AvaliaçõesNotíciasTestesToyota

Avalição – Toyota Corolla Cross 2.0 XRE CVT 2024

Mantendo as tradições da marca, SUV continua sendo uma boa escolha do segmento

Por Marcus Lauria (texto e fotos)

“Em time que está ganhando não se mexe”, talvez essa seja a intensão da marca japonesa em não fazer muitas alterações na linha 2024 do Toyota Corolla Cross. O modelo segue como um dos SUVs mais vendidos do Brasil. De acordo com a Fenabrave, o modelo da Toyota vendeu 3.682 unidades em outubro, e já acumula 35.037 emplacamentos em 2023. O SUV tem preços a partir de R$ 162.590 na versão de entrada XR com motor 2.0 e chega aos R$ 210.990 na topo de linha XRX Hybrid.

CONFIRA O VÍDEO: https://youtu.be/U_6g4gVqaMQ?feature=shared

A versão avaliada por uma semana foi a XRE que parte de R$ R$ 177.390 e com pintura metálica chega a R$ 162.940 (ainda tem a GR-Sport 2.0 por R$ 196.290 e a XRV Hybrid por R$ 202.690). Bem equipado a versão XRE chega com assistente de pré-colisão (PCS) com alerta sonoro e visual, frenagem automática, sistema de assistência de permanência de faixa (LTA), alerta de mudança de faixa (LDA), controle de velocidade de cruzeiro adaptativo (ACC) e farol alto automático (AHB), sete airbags (dois de cortina, um de joelho para motorista, dois frontais e dois laterais para motorista e passageiro), barra de proteção no interior das quatro portas, controles eletrônicos de estabilidade e de tração, assistente de subida em rampa (HAC), sistema de alarme volumétrico e perimétrico, acendimento automático de faróis e lanternas e luzes diurnas (DRL) nas lanternas dianteiras, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, computador de bordo com visor de 4,2”, indicador de direção econômica, chave com comandos integrados para abertura, travamento das portas e alarme, ar-condicionado automático digital frio e quente com duto traseiro, banco do motorista e passageiro dianteiro com regulagem manual e volante multifuncional.

Que ainda inclui rodas de liga leve aro 18″ com acabamento na cor cinza escuro e diamantada, acabamento interno e volante com partes revestidas de couro e material sintético preto, espelho retrovisor interno com antiofuscante eletrocrômico, Start Button/Push Start e Smart Entry, limpador do para-brisa intermitente com sensor de chuva, computador de bordo com tela TFT de 7’’.

Comparado nas dimensões ao seu principal concorrete, o Jeep Compass, o Corolla Cross sai na frente. Ele tem 4,46 m de comprimento, 1,82 m de largura e 2,64 m de entre-eixos. Seu rival tem 4,41 m de um para-choque ao outro, 1,81 m de largura e 2,63 m de distância entre-eixos. O Compass vence apenas na altura: 1,63 m contra 1,62 m do modelo da Toyota. O volume do porta-malas também é maior no Corolla Cross, que tem capacidade de 440 l, enquanto que o Compass oferece apenas 410 l para as bagagens.

Neste segmento competitivo, os designers fizeram questão de criar um modelo que atraísse a atenção por onde passa, ao mesmo tempo que desse a sensação aos ocupantes de estar em um veículo de categoria superior. Logo na frente, SUV revela a configuração da grade trapezoidal dupla que fornece uma aparência mais ampla. A grade superior, pintada em cinza escuro e em formato de colmeia, ao melhor estilo Lexus, acomoda a logomarca Toyota. Já a grade inferior em plástico preto garante um estilo off-road e conta com os faróis de neblina em LED.

O para-choque possui grandes vincos, onde repousam os faróis em formato horizontal, que partem desde a lateral do Corolla Cross até encontrarem a grade superior dianteira. Na versão avaliada os faróis são de LED. Além disso, toda a linha conta com luzes diurnas, o Daytime Running Lights – DRL.

Visto de lado o Corolla Cross revela uma linha de cintura formada por um eixo proeminente que percorre o carro da frente até a traseira. O acabamento em plástico preto segue toda a lateral do veículo até a traseira, inclusive envolvendo as rodas. Já o rack de teto longitudinal garante a sensação de utilidade de um verdadeiro SUV.

Na traseira, os para-lamas seguem o perfil do SUV oferecendo um formato tridimensional dos para-choques dianteiros e as lanternas seguem o estilo horizontal, “abraçando” o veículo desde a lateral. Destaques para a parte central da traseira, onde se encontra a abertura da tampa do porta-malas, com a inscrição Corolla Cross, e o spoiler traseiro.

Já o interior segue o padrão do sedã, com pequenas diferenças. No SUV, todo o acabamento é disposto horizontalmente até se conectar com as portas, dando uma sensação maior de amplitude. O console central também tem espessura mais grossa e é sustentado por duas hastes nas extremidades com acabamento na cor prata. Além disso, os puxadores internos das portas têm um design flutuante, trazendo uma impressão poderosa característica de um SUV e uma sensação de alta qualidade. Outros detalhes que chamam a atenção são as maçanetas internas das portas e os difusores de ar no painel central que possuem acabamento na cor prata.O acabamento interno dos bancos conta exclusivamente com partes revestidas de couro e material sintético preto.

O volante de três raios com controles de áudio e computador de bordo tem acabamento em couro. A versão XRE ainda conta com aletas para trocas de marcha (paddle shift). O SUV oferece ainda muitos porta-copos e objetos nas portas, no console central e no apoio de braços no banco traseiro, oferecendo conforto e comodidade.

O painel de instrumentos conta com três mostradores: um circular, no centro, onde é possível visualizar o velocímetro e o nível de combustível; um semicircular do lado esquerdo, onde exibe ao motorista o conta-giros (nas versões XR e XRE) e o indicador do sistema híbrido (na versão XRV Hybrid) e o termômetro do motor para ambas abaixo do semicírculo; e uma tela de TFT de 4,2” colorida do lado direito que mostra o computador de bordo, com informações como indicador de marcha, consumo de combustível, hodômetro, autonomia etc.

Bem equipado, o SUV traz central multimídia com tela sensível ao toque, rádio AM/FM, função MP3, entrada USB e câmera de ré, podendo ser de 8”, 9” ou 10”, espelhos retrovisores com ajustes e rebatimento elétricos, rack de teto longitudinal, acabamento interno com partes revestidas de tecido preto, acabamento do volante em couro na cor preta, painel central em black piano, difusores de ar com acabamento na cor prata, banco traseiro bipartido, rebatível 60:40 e reclinável, cobertura retrátil do porta-malas, pacote Toyota Safety Sense.

Sob o capô está o já conhecido motor 2,0L flex de ciclo Atkinson rende 177 cv (a 6.600 rpm) com etanol e 169 cv (a 6.600 rpm) com gasolina. O torque de 21,4 kgfm, disponível a 4.400 rpm, é igual para os dois combustíveis. Para esse motor, a transmissão é a Direct Shift, que é um câmbio automático CVT de 10 marchas, sendo a primeira real e mais nove simuladas. O desempenho Corolla Cross é muito satisfatório, o motor dá conta do recado e faz o seu trabalho direitinho, é confiável para ultrapassagens e retomadas. O câmbio é suave e sem trancos e com trocas de marcha bem tranquilas. A suspenão faz seu dever de casa e faz com que o SUV não dê trabalho em curvas ou buracos nas ruas. Enfim, não senti falta do turbo (usado na maioria dos concorrentes) em nenhum momento.

Em se tratando de consumo, o modelo avaliado estava com etanol e não chegamos a fazer uma avaliação com gasolina. No teste de uma semana, sempre com o ar-condicionado ligado e uso diário no trânsito, a marca ficou em 4,6 Km/l chegando a 5,7 em alguns momentos.

Lançado em 2021, o Toyota Corolla Cross será atualizado após quatro anos de mercado. A boa notícia é que o SUV produzido em Sorocaba (SP) mudará o ultrapassado freio de estacionamento mecânico, por pedal, que já recebeu muitas críticas e deve ser substituído por um sistema eletrônico por tecla.  Assim, o Corolla Cross será o segundo Toyota nacional a adotar a tecnologia, que curiosamente será estreada, entre os modelos da marca fabricados no Brasil, pelo Yaris Cross, um produto menor e mais barato que a família Corolla.

FICHA TÉCNICA:

Mecânica

Motorização 2.0

Combustível             Álcool            Gasolina

Potência (cv)            177     169

Torque (kgf.m)         21,4    21,4

Consumo cidade (km/l)      8,2      11,7

Consumo estrada (km/l)    9          13

Câmbio          CVT

Tração           dianteira

Direção          elétrica

Suspensão dianteira          Suspensão tipo McPherson e dianteira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Suspensão traseira            Suspensão tipo eixo de torção, roda tipo semi-independente e molas helicoidal.

Dimensões

Altura (mm)   1.620

Largura (mm)           1.825

Comprimento (mm)             4.460

Peso (Kg)      1.420

Tanque (L)    47

Entre-eixos (mm)     2.640

Porta-Malas (L)        440

*Dados do fabricante

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo