AvaliaçõesNotíciasTestesVW
Tendência

Avaliação – Volkswagen T-Cross 1.4 250 TSI Highline Aut. 2020

Fotos Marcus Lauria

Depois de avaliar o T-Cross 200 TSI com câmbio manual, fiquei curioso para conhecer a versão mais potente 250 TSI e eis que surge a oportunidade oferecida gentilmente pela Volkswagen do Brasil para avaliar por uma semana a versão topo de linha Highline.

O T-Cross faz parte dos cinco SUVs completamente novos que a Volkswagen lançará no Brasil até 2020. O primeiro deles foi o Tiguan Allspace, que já é o segundo SUV premium mais vendido do País, com mais de 1.000 unidades vendidas mensalmente. O segundo foi o T-Cross (vendido no Brasil desde março deste ano) e o terceiro SUV dessa estratégia será o Tarek, a ser produzido na fábrica de General Pacheco, na Argentina, fruto de investimentos de US$ 650 milhões naquele país.

Atualmente, os SUVs representam 23,3% do mercado total de automóveis de passeio no Brasil. Considerando o mercado de carros e comerciais leves, estima-se que em quatro anos, de dez unidades vendidas no Brasil, no mínimo três serão SUVs.

O T-Cross avaliado oferece itens que se destacam no segmento de SUVs compactos, como o painel de instrumentos totalmente digital (Active Info Display), seletor de perfil de condução, Controle de Estabilidade (ESC) de série, bloqueio eletrônico do diferencial, Park Assist 3.0, suporte para smartphone no painel, quatro entradas USB (inclusive para o banco traseiro), iluminação ambiente em LED e acabamento com apliques decorativos no painel. Além de todos esses equipamentos, o T-Cross Highline também conta com faróis full-LED, seis airbags, saída de ar-condicionado para o banco traseiro e teto solar panorâmico, entre outros recursos.

O T-Cross Highline 250 TSI agrega os itens citados acima: bancos revestidos de couro, espelho retrovisor interno eletrocrômico, espelhos retrovisores externos com rebatimento automático, iluminação ambiente em LED, detector de fadiga, sistema Kessy, sistema start&stop (que desliga/liga o motor quando parado em semáforos, por exemplo) e sensores de chuva e crepuscular.

Visto por fora, essa versão se diferencia visualmente das outras pelo rack de teto na cor “prata anodizada”, moldura cromada para os faróis de neblina e para a grade dianteira e frisos laterais na região inferior dos vidros. Por dentro, destacam-se a iluminação ambiente em LED, manopla da alavanca de freio de estacionamento revestida de couro e cobertura dos pedais de alumínio.

O conforto à bordo é sentido logo ao entrar no SUV da VW, os bancos são macios e confortáveis, o volante tem ótima empunhadura e todos os comandos de rádio, ar-condicionado entre outros estão à mão, tornando a ergonomia um dos pontos altos do carro. Depois de achar a posição de dirigir fica fácil conduzir o T-Cross para onde você for, o carro está sempre à mão e deixa o motorista bem à vontade para realizar qualquer tipo de manobra sempre com muita segurança.

Há três pacotes opcionais para a versão Highline: o Innovation traz o painel totalmente digital (Active Info Display); sistema de som “Discover Media” com navegador via satélite, tela colorida de 8 polegadas, comando por voz e entrada USB no console central e o seletor de modo de condução. O opcional Sky View inclui o teto solar panorâmico. E o pacote Tech&Beats engloba o sistema Park Assist 3.0 de auxílio ao estacionamento; faróis full-LED com luz de condução diurna em LED; e o sistema de som “Beats” com subwoofer.

O T-Cross tem exclusivamente motores TSI, que combinam injeção direta de combustível e turbocompressor O motor 250 TSI Total Flex equipa a versão Highline avaliada pelo site, esse propulsor gera potência de até 150 cv (110 kW), com gasolina ou etanol, a 4.500 rpm. O torque máximo, também com ambos os combustíveis, é de 250 Nm (25,5 kgfm) – é o maior torque da categoria. Esse motor é combinado exclusivamente à transmissão automática de seis marchas com função Tiptronic e aletas (“shift paddles”) para trocas no volante. O conjunto motor e transmissão dão muita disposição ao T-Cross, as acelerações são lineares e sem trancos, ao pequeno toque no acelerador já é possível sentir a força que o motor transmite ao motorista, deixando as tocadas bem interessantes e dinâmicas e porque não esportivas, as retomadas são feitas com tranquilidade assim como as subidas em ladeiras mais íngremes. O câmbio não dá tranco e as trocas são bem suaves e imperceptíveis como um bom câmbio automático deve ser.

De acordo com a marca o 250 TSI acelera de 0 a 100 km/h em apenas 8,7 segundos e atinge a velocidade máxima de 198 km/h – com gasolina ou etanol. Em relação ao consumo, o T-Cross Highline percorre 11 quilômetros com um litro de gasolina na cidade e 13,2 km/l na estrada. Com etanol, são 7,7 km/l na cidade e 9,3 km/l na estrada. Os valores são conforme as normas NBR6601 e NBR7024, corrigidos pela portaria INMETRO nº10 de 11/01/12. O tanque de combustível tem capacidade para 52 litros.

O modelo tem freios a disco nas quatro rodas como item de série. Os discos tem 276 mm de diâmetro nas rodas dianteiras e 230 mm de diâmetro nas rodas traseiras. As suspensões do T-Cross têm configuração dianteira independente tipo McPherson e interdependente na traseira, com eixo de torção. Traz pneus “verdes”, de baixa resistência ao rolamento, que colaboram para a redução no consumo de combustível – sem deixar de lado a performance dinâmica (dirigibilidade e frenagens). São duas medidas disponíveis: 205/60 R16 e 205/55 R17.

A exemplo de outros modelos fabricados sobre a Estratégia Modular MQB, o T-Cross utiliza aços especiais em sua estrutura. Essa tecnologia colabora para reduzir o peso do veículo, ao mesmo tempo em que melhora seu desempenho em testes de colisão. O T-Cross Highline 250 TSI pesa 1.292 kg em ordem de marcha, com capacidade para 448 kg de carga útil.

O preço da versão avaliada Highline 250 TSI Automático é de R$ 109.990, mas voc~e pode optar pelas versões de entrada que começa em R$ 84.990 para a 200 TSI com câmbio manual, também pela 200 TSI com câmbio Automático por R$ 94.490, ou pela Comfortline 200 TSI Automática por R$ 99.990.

*FICHA TÉCNICA:

Mecânica

Motorização 1.4

Combustível             Gasolina

Potência (cv)            150     150

Torque (kgf.m)         25,5    25,5

Velocidade Máxima (km/h)           198

Tempo 0-100 (s)      8,7

Consumo cidade (km/l)      7,7      11

Consumo estrada (km/l)    9,3      13,2

Câmbio          automática com modo manual de 6 marchas

Tração           dianteira

Direção          elétrica

Suspensão dianteira          Suspensão tipo McPherson e dianteira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Suspensão traseira            Suspensão tipo eixo de torção e traseira com barra estabilizadora, roda tipo semi-independente e molas helicoidal.

Dimensões

Altura (mm)   1.558

Largura (mm)           1.760

Comprimento (mm)             4.199

Peso (Kg)      1.250

Tanque (L)    52

Entre-eixos (mm)     2.651

Porta-Malas (L)        420

Ocupantes    5

*Dados do fabricante

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo