AvaliaçõesFiatTestes

Avaliação – Jeep Renegade Trailhawk 2.0 Diesel AT9 4×4 2019

Fotos Marcus Lauria

Após quatro anos em nosso mercado, a Jeep resolveu dar uma repaginada no Renegade para dar mais fôlego ao modelo e manter a liderança no segmento de SUVs compactos. Para isso, a marca aproveitou a oportunidade para deixar o simpático “Jipinho” com mais recursos e equipamentos de série e opcionais, assim como um tapa no visual, praxe nessas mudanças de “meia-vida” até a uma mudança mais profunda que deve ser feita em breve.

O Renegade 2019 chega em 7 versões: 1.8 Flex AT6 (exclusivo para PCD) por R$ 69.999; Sport 1.8 Flex MT5 por R$ 78.490 (redução de R$ 7.000); Sport 1.8 Flex AT6 por R$ 83.990 (redução de R$ 8.000); Longitude 1.8 Flex AT6 por R$ 96.990 (valor igual); Limited 1.8 Flex AT6 por R$ 103.490; Longitude 2.0 Diesel AT9 4×4 por R$ 125.490 e a versão avaliada pelo site Trailhawk 2.0 Diesel AT9 4×4 por R$ 136.390. A marca ainda destaca que, mesmo com o acréscimo de equipamentos, algumas versões tiveram reduções de preço ou mantiveram o valor – sempre em relação à tabela cheia de 2018, sem promoções. O teto solar panorâmico é opcional e acrescenta R$ 8.140 ao preço do modelo, já a pintura metálica acrescenta R$ 1.630 e a pintura perolizada acrescenta R$ 2.300 ao valor total do veículo.

O Renegade foi o primeiro produto da fábrica do grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA) do mundo, fabricado em Pernambuco, o modelo inaugurou uma nova era da Jeep no Brasil. Sozinho, o Renegade já acumula 160 mil emplacamentos apenas no mercado interno com 22% de participação em nosso mercado e liderança na categoria.

Para 2019, a Jeep fez pequenas mudanças estéticas em sua carroceria, que exibe a grade com um redesenho nas tradicionais sete fendas, um pouco mais baixas. Nas versões Limited e Trailhawk, os faróis agora são de LED, tanto os principais quanto os de neblina, bem como as luzes diurnas (DRL). Desta forma o Renegade ficou com o “rosto” mais alinhado com o da nova geração do Jeep Wrangler (que já está à venda no Brasil). Esse conjunto de iluminação, com alcance mais de 50% superior ao padrão atual (de lâmpadas halógenas), também está disponível como opcional nas opções Longitude. O visual agradou a maioria dos jipeiros, mas alguns preferiam o desenho anterior.

Outra novidade é o para-choque dianteiro, que proporciona ao modelo um dos mais amplos ângulos de ataque da categoria, com 30º na versão avaliada, e 28° nas versões Flex. Sempre de liga leve, as rodas ganharam novos desenhos em todas os Renegade, com destaque para o Limited, que exibe aros de 19” polegadas, medida exclusiva no segmento. Por sinal, nessa configuração, as rodas têm duas inéditas opções de cor, de acordo com a pintura da carroceria. A Tralhawk é mais elevada que as outras versões e tem 21,2 centímetros em relação ao solo.

Quando o Renegade Limited é Cinza Antique, os contornos das aberturas da grade dianteira e as rodas são grafite. Se o veículo é na cor Deep Brown (disponível apenas nesta versão), tais detalhes ostentam acabamento bronze, com a grade grafite. Nas demais tonalidades do Renegade Limited, a grade, as rodas e outros pontos são em prata acetinado. Há duas novas pinturas: Jazz Blue e Billet Silver, esta exclusiva para os Longitude.

A versão avaliada conta com a maior tela multimídia da categoria, de 8,4 polegadas. Ela faz parte do mesmo sistema Uconnect aplicado no “irmão maior” Jeep Compass. Dessa forma, é possível parear o smartphone por meio das interfaces Android Auto e Apple Car Play, para acessar pelo monitor do veículo aplicativos de navegação, como Google Maps e Waze e de música, a exemplo do Spotify e Deezer, apenas para citar alguns. O Uconnect 8,4” permite ainda acessar as funções do ar-condicionado remotamente, por toques no monitor ou por comandos de voz.

Além das novidades no design frontal, atrás a tampa traseira ganhou uma maçaneta externa, que torna a abertura mais fácil e ergonômica. Ao fazer isso, é possível conferir que agora o porta-malas de todas as versões agora comporta 320 litros. São 47 litros extras, obtidos com a adoção do estepe temporário – que as opções Flex já haviam recebido no início deste ano. A exceção é o Trailhawk, que manteve o estepe full size por conta de sua vocação maior para o fora de estrada.

Por dentro, mudanças pontuais fazem a diferença, a área central foi redesenhada. Os comandos do ar-condicionado são novos, bem como os porta-objetos, mais numerosos e espaçosos. Tanto o que fica à frente da alavanca do câmbio quanto o posicionado entre as poltronas, onde se abriu um novo nicho, para acomodar itens como um telefone celular. Nas versões Diesel, o botão giratório do Selec-Terrain subiu um pouco para gerar mais amplitude na área ao redor. O acabamento é um dos destaques do SUV da Jeep, matérias de boa qualidade, sem muito plástico duro e muito material macio e agradável.

A linha 2019 é equipado com controles de estabilidade (ESC) e de tração, suspensão independente nas quatro rodas, freio de estacionamento eletrônico, tela multifuncional no quadro de instrumentos e rodas de liga leve, entre outros destaques. A versão avaliada conta com faróis principais e de neblina de LED, luzes diurnas de LED, sistema multimídia Uconnect com tela de toque de 8,4“, compatível com interfaces Android Auto e Apple Car Play, controle do ar-condicionado pelo monitor ou comandos de voz e novas rodas de liga leve aro 17”. O consumidor pode escolher até como e quando comprar os mais de 60 itens da linha Jeep Authentic Accessories. Eles podem ser encomendados já no momento da aquisição do veículo, por meio dos kits do programa Custom Shop ou adquiridos nas concessionárias, de forma avulsa ou em combos, que reduzem os valores dos acessórios em, no mínimo, 10%.

Sob o capô está o já conhecido e eficiente motor turbodiesel 2.0 que gera 170 cavalos a 3.750 rpm e o um torque de 35,7 kgfm que já está disponível em 1.750 giros. Em conjunto está o moderno câmbio automático de 9 marchas que dispõe de um sistema de tração com opções 4×2, 4 x4, 4 x4 com reduzida e 4×4 com bloqueio do diferencial. Além disso, o Jeep Active Control oferece configurações selecionáveis para neve, areia, lama e pedra, que adaptam a performance do motor e do câmbio, e um modo automático que alterna a tração entre frontal e integral, de acordo com a demanda. O motor é suficiente para empurrar os 1.674 kg do Renegade, o torque entra logo na primeira acelerada mais forte deixando o Jeep bem disposto para ultrapassagens e dá muita disposição em subidas, assim como em circuitos off-roads.

*FICHA TÉCNICA:

Mecânica

Motorização 2.0

Combustível             Diesel

Potência (cv)            170

Torque (kgf.m)         35,7

Velocidade Máxima (km/h)           190

Tempo 0-100 (s)      10

Consumo cidade (km/l)      9,4

Consumo estrada (km/l)    11,5

Câmbio          automática com modo manual de 9 marchas

Tração           4×4

Direção          elétrica

Suspensão dianteira          Suspensão tipo McPherson e dianteira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Suspensão traseira            Suspensão tipo McPherson e traseira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Freios            Quatro freios à disco com dois discos ventilados.

Dimensões

Altura (mm)   1.714

Largura (mm)           1.798

Comprimento (mm)             4.232

Peso (Kg)      1.674

Tanque (L)    60

Entre-eixos (mm)     2.570

Porta-Malas (L)        260

Ocupantes    5

*Dados do fabricante

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo