AvaliaçõesNissanTestes

Avaliação – Nissan Versa S 1.0 12V Flex 2016

Fotos: Marcus Lauria

Quando a Nissan passou a fabricar o Versa no Brasil (em Resende/RJ), o sedã passou por mudanças discretas no visual, que contribuíram para deixar seu estilo um pouco mais interessante, especialmente na dianteira. Mas a principal novidade da nacionalização do modelo estaria guardada embaixo do capô: o novíssimo motor 1.0 de três cilindros da Nissan.

Esse motor é fabricado no Brasil, traz bloco/cabeçote em alumínio, 4 válvulas por cilindro, duplo comando acionado por corrente, variador de fase na admissão e partida a frio sem tanquinho. Tanto com Etanol como com Gasolina, ele desenvolve potência máxima de 77 cv @ 6.200 rpm e torque máximo de 10 kgfm @ 4.350 rpm, números um pouco mais discretos que o da concorrência (Etanol: 80 cv na Hyundai/Kia, 82 cv na VW e 85 cv na Ford), mas sem prejuízo na prática, como veremos adiante.

Dentro do carro, o acabamento é espartano, lembrando que essa versão é apenas um nível superior à versão de entrada. Mas apesar de simples, tudo no carro é bem montado, sem rebarbas ou falhas no acabamento. Em matéria de equipamentos, traz apenas o trivial: ar-condicionado, direção elétrica, vidros elétricos (apenas dianteiros), travas elétricas e rádio. Do lado de fora, a simplicidade persiste, nada de cromados ou penduricalhos, apenas as rodas de liga leve.

A direção elétrica é bem suave em manobras, e o carro pode ser manobrado sem dificuldades, graças aos bons espelhos retrovisores e ampla área envidraçada. Falta apenas sensor de estacionamento na traseira, que obriga o motorista a confiar em sua intuição ou então ir “no tato” até o limite da vaga. Apenas a versão mais cara, Unique, traz assistência de estacionamento por meio da câmera de ré. Já quanto à posição de dirigir, há ajuste em altura dos bancos e da coluna de direção, mas como o painel é bem recuado, dá para jogar o banco mais à frente que o habitual e livrar-se da sensação de dirigir como um macaco (braços esticados e pernas curtas).

Em movimento o carro agrada, especialmente pela maciez e conforto em uso urbano. Depois de dirigir o Versa por um tempo, você até imagina que a Prefeitura da sua cidade deu um jeito no asfalto, mas o fato é que a suspensão do carro é deliciosamente confortável, e bem casada aos pneus de medida 185/65 R15, com altura adequada para a nossa realidade. O isolamento acústico é apenas razoável, mas não chega a incomodar na cidade.

Pegar estrada com um sedã 1.0 pode gerar um certo receio, ainda mais quando se trata de um carro de 4,45 m capaz de levar 5 pessoas com folga e suas bagagens (460 litros). De fato, com o carro cheio, alguma dificuldade pode ser sentida em subidas, mas basta trabalhar o ótimo câmbio, elevar o giro acima das 4.000 rpm, e o Versa ganha força de forma dedicada. Por sinal, conforme o giro sobe, o timbre metálico do motor vai se encorpando, e chega a lembrar um BMW ou Porsche (com os devidos descontos) perto das 6.000 rpm.

Mas viajando sozinho ou em dupla o motor se torna mais do que suficiente, com folga inclusive para ultrapassar com certa segurança. Condizentes com o motor estão a direção, que se mostra um pouco mais leve que o desejado em velocidade, e a suspensão, que garante segurança nas curvas mas deixa a carroceria rolar e balançar um pouco. Sua dinâmica, entretanto, é segura, com tendência dianteira um pouco menos exacerbada que no Versa mexicano, mas que ainda está lá. Seus freios à disco ventilado na dianteira e tambor na traseira são ótimos, com boa atuação do ABS. É uma pena que a Nissan se iguale às outras ao não oferecer controles de tração e estabilidade ao carro.

E quando falamos do bolso, o Versa novamente se mostra bem agradável, especialmente em seu consumo: com gasolina eu fiz 11 km/l na cidade e até 18 km/l na estrada, andando suave. Pena que o tanque de 41 litros limite sua autonomia. Já seu preço é relativamente honesto: R$ 45.490. Sim, é uma soma de dinheiro bem elevada, mas analisando friamente, o Versa 1.0 S traz o suficiente que você precisa e entrega mais do que você espera, tornando-se uma ótima opção de compra.

Se voltarmos os olhos para a concorrência com motor 1.0 3 cilindros, o Ford Ka+ SE Plus sai por R$ 45.690 e o Hyundai HB20S Comfort sai por R$ 45.495, sendo que todos eles são equivalentes em equipamentos, desempenho e consumo, cabendo ao consumidor ter a deliciosa tarefa de experimentar um por um na concessionária antes de assinar o cheque.

CONFIRA NOSSOS VÍDEOS:

CONTINUA NA PÁGINA 2

1 2Próxima página
Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo