Avaliações de motosMotosNotícias
Tendência

Avaliação – Honda CB 250F Twister CBS 2020

A moto cumpre o que promete, super honesta

Fotos: Eduardo Motoca (http://vivocommoto.com.br/) – especial para o CarPoint News

Digo honesta pois cumpre integralmente o que se propõe, oferece tudo que se necessita para um transporte diário, um degrau a mais para aquele que já teve uma 125 ou é até para aqueles pilotos que curtem uma viagem no fim de semana.

Na versão 2020 as maiores mudanças são as cores, agora a versão ABS será comercializada somente na cor amarela com rodas pretas, já a CBS é oferecida em duas cores, prata com rodas pretas e vermelha da mesma cor vermelhas.  Seu design segue a linha das CB´s maiores, tem um visual moderno e agressivo, me agradou muito. Destaco também o desenho das rodas que dão impressão de movimento mesmo com a moto parada.

Apresentada ao público no Salão Duas Rodas em 2015 e com início de vendas em 2016, chegou com a missão de manter o reinado da Honda nos modelos naked´s street no país, substituindo a CB 300R que teve cerca de 370.000 unidades emplacadas (dados FENABRAVE) nos seus 7 anos de comercialização e que teve sua produção interrompida em 2015 e que por conta de alguns problemas apresentados não deixou saudade para alguns pilotos.

Voltando a CB 250F Twister 2020, além do excelente custo benefício tem uma pegada esportiva, vai de comportada a divertida em um giro do acelerador, passa fácil no corredor, muito ágil no trânsito graças a seu peso (cerca de 156kg em ordem de marcha com todos fluidos) e a posição do guidão alto e largo, deixando os braços levemente flexionados e o os ombros mais retos, responde prontamente aos comandos, muda rápido de direção sem sustos, passando sensação de controle total e segurança.

Rodamos por quase 600Km nas ruas de “sampa” com chuva, sol e também por estradas próximas a capital. Durante nosso teste fez em média 37,5Km/l, ou seja, sua autonomia fica em torno de 600Km com seu tanque de 16,5 litros, dando para viajar com tranquilidade, lembrando que esse valor pode mudar radicalmente conforme estilo de pilotagem.

O nome herdado da versão anterior foi mantido, é um nome forte (lembrei agora da dupla Twister e Tornado) mas ainda confunde algumas pessoas em relação a outras motos maiores, as avantajadas abas laterais contribuem para esta visão, fazendo com que pareça maior. Além disso, outra pergunta frequente é se o motor é o mesmo da Twister antiga. Galera não é mesmo, ela é toda nova, totalmente redesenhada.

Sem alteração, segue o mesmo de 2019, monocilíndrico OHC refrigerado a ar, tem 249,5 cc e sua potência máxima segundo dados da Honda é de 22,4 cv (gasolina) e 22,6 cv (Etanol), alimentada pela conhecida e eficiente injeção eletrônica PGM-FI, tem um torque de 2,24 kgf.m a 6000 RPM na gasolina e um pouco mais 2,28 kgf.m também a 6000 RPM com etanol. Posso dizer que é um motor forte, elástico que responde rápido ao acelerador, tem uma entrega de torque excelente, muito gostosa de pilotar. O Chassi é do tipo Diamond, tubular de aço.

Suspensões e Freios

As suspensões são muito boas, na traseira curso de 108mm com duas molas (sendo que a superior se destina a absorção das maiores irregularidades, e a inferior para oferecer maior conforto deixando ela sempre em contato com o solo). Na dianteira garfo de 130mm de curso e diâmetro de 37mm, na estrada a moto é bem estável, mesmo abusando um pouco nas curvas ela respondeu bem sem sustos, mesmo com ondulações se manteve no chão, os pneus Pirelli Diablo Rosso II tem um excelente grip, dá para brincar bastante. O pneu dianteiro na medida 110/70 e na traseira 140/70.

Eficientes e precisos, os freios CBS contam com disco de 276mm na dianteira e 220mm, na dianteira a pinça de freio tem 3 pistões o “terceiro” é o do sistema CBS que funciona quando se aciona o freio traseiro 30% da força vai para a roda dianteira, fiz vários testes em velocidades diferentes tendo sempre um resultado muito bom, um iniciante (a quem mais se destina esse tipo de freio) mesmo sem habilidade vai se dar muito bem.

Conforto

O banco é inteiriço em dois níveis com uma espuma bem confortável, as pedaleiras estão posicionadas de forma deixar sua ergonomia adaptada tanto para uso urbano quanto para uso na estrada. O banco está a 784mm, ou seja, atente bem a todo tamanho de piloto, a distância mínima do solo é 192mm.

O conjunto de suspensões absorvem bem os impactos e não transmite ao piloto as pancadas, a vibração do motor (a partir dos 100km/h) não chega a incomodar, nem nas pernas nem nas mãos, a sensação de segurança é muito boa.

O painel blackout (fundo preto com caracteres mais claros) tem uma visualização muito boa mesmo sob o sol, é moderno e conta com velocímetro, hodometro total e parcial, marcador de nível de combustível, conta-giros, relógio, luzes espia, e o melhor de tudo mostra o consumo médio e instantâneo de combustível.

A lanterna e piscas são em LED, mas o farol ainda lâmpada comum, esse é um ponto negativo, pois seria muito bem-vindo o conjunto todo em LED, mas nem por isso deixa de ser eficiente, principalmente quando se pilota a noite.

Em resumo, a moto é muito gostosa, tem uma esportividade não só na aparência, o motor reage bem a tocada, tem ótimos freios e conforto. Pontos que não são tão negativos, mas que merecem observação, o farol que poderia ser de LED e me incomodou a visão dos parafusos aparentes no “gargalo” do quadro a frente do tanque, poderiam sem mais escondidos ou de outra cor.

A moto é vendida em todas as concessionárias da Honda, ambas com 3 anos de garantia sem limite de quilometragem, mais sete trocas de óleo gratuitas, a ABS por R$ 15.490,00 e a CBS por R$ 14.490,00 (preços públicos sugeridos, base Estado de São Paulo) sem custos de frete e seguro.

*FICHA TÉCNICA:

Motor Tipo: OHC, monocilíndrico, 4 tempos, arrefecido a ar

Cilindrada: 249,5 cc

Potência Máxima: 22,4 cv a 7.500 rpm (Gasolina) / 22,6 cv a 7.500 rpm (Etanol)

Torque Máximo: 2,24 kgf.m a 6.000 rpm (Gasolina) / 2,28 kgf.m a 6.000 rpm (Etanol)

Transmissão: 6 velocidades

Sistema de Partida: Elétrico

Diâmetro x Curso: 71,0 x 63,0 mm

Relação de Compressão: 9,6:1

Sistema Alimentação: Injeção Eletrônica PGM-FI

Combustível: Gasolina e/ou Etanol

Ignição: Eletrônica

Bateria: 12V – 5 Ah

Farol: 60/55 W

Tanque de Combustível: 16,5 litros

Óleo do Motor: 1,8 litro

Comprimento x Largura x Altura: 2065 x 753 x 1072 mm

Distância entre eixos: 1386 mm

Distância mínima do solo: 192 mm

Altura do assento: 784 mm

Peso Seco: 137 kg

Tipo: Diamond Frame

Suspensão Dianteira/Curso: Garfo telescópico / 130 mm

Suspensão Traseira/Curso: Mono Shock / 108 mm

Freio Dianteiro/Diâmetro: A disco / 276 mm

Freio Traseiro/Diâmetro: A disco / 220 mm

Pneu Dianteiro: 110/70 – 17

Pneu Traseiro: 140/70 – 17

*Dados do fabricante

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo