AvaliaçõesFordNotícias
Tendência

Avaliação – Ford Ranger 3.2 CD FX4 4WD 2023

Rodamos quase 1.000 km com a nova FX4 que vem equipada com motor 3.2 turbodiesel de 200 cv de potência

Por Marcus Lauria (texto e fotos)

A Ford tem tradição em fazer picapes de verdade, e desde que comecei a testar os modelos da marca, a Ranger sempre chamou a atenção. O que não foi diferente dessa vez, quando foi oferecido o teste de uma semana com a versão FX4 2023. Após apresentar recentemente as versões Black e Storm (já testamos as duas) a FX4 é a opção da vez, a picape “foi criada para os consumidores que querem uma aventura off-road, ela é robusta e exclusiva sem abrir mão do requinte e conforto de uma topo de linha”, afirma a montadora.

A FX4 faz parte da estratégia da Ford de ampliação e diversificação da Ranger, com opções desenvolvidas para atender diferentes perfis de clientes – a chamada subsegmentação do mercado. Com isso, a picape média da Ford tem crescimento tanto na participação de vendas do segmento como nos indicadores de qualidade e de satisfação dos clientes. Um bom sinal para quem realmente vem apostando nas várias opções de versões e acabamentos para públicos específicos. O nome FX4 começou a ser usado pela Ford no começo dos anos 2000 para identificar o pacote off-road de suas picapes – formado pela junção de Ford e 4×4.

A Ranger traz também outras novidades, agora todas as versões – XL, XLS, Black, Storm, FX4, XLT, e Limited – vêm com um novo sistema de controle de emissões que atende e supera as exigências do Proconve 7, sem perda de potência e desempenho do motor. A Ford foi ainda a primeira a anunciar a aplicação integral da redução de 2% do IPI em todos os seus veículos.

A Ford Ranger conta hoje com versões voltadas para o trabalho (XL), para uso misto (XLS) e para uso pessoal (Black, Storm, XLT e Limited). Este último grupo se subdivide em dois perfis de clientes: os que buscam sofisticação (Black, XLT e Limited) ou aventura (Storm). A Ranger foi o modelo que mais cresceu em participação de mercado entre as picapes médias de 2012 a 2021. Num segmento extremamente competitivo, ela avançou nada menos que 62% e chegou a 15,2% das vendas. Outra tendência que ganhou força na linha é o uso pessoal da picape, que aumentou de 47% para 60% nos últimos três anos.

A Ranger FX4 vem com o motor mais forte da linha, o Duratorq 3.2 turbodiesel com potência de 200 cv e torque de 47,9 kgfm, transmissão automática, direção elétrica, tração 4×4 e diferencial traseiro blocante. Rodamos quase mil quilômetros com a picape, tanto no transido da cidade quanto na estrada em uma viagem de ida e volta do Rio até São Paulo. O comportamento dela é bem estável e deixa o motorista bem à vontade para fazer ultrapassagens nas estradas ou mesmo enfrentar um terreno mais acidentado sem se preocupar com disposição para isso. A Ranger FX4é uma picape “pau pra toda obra”, como se diz no ditado popular.

O novo sistema de redução de poluentes que equipa todos os modelos da Ranger 2023 reduz significativamente as emissões de óxido de nitrogênio, ultrapassando em mais de 70% as exigências legais do Proconve 7, além de duplicar o intervalo entre as regenerações do filtro de partículas. Ele protege o meio ambiente sem perda de potência e torque do motor, com uso do reagente líquido Arla 32, que é facilmente encontrado nas concessionárias Ford e postos de combustível. Abastecido em um tanque com capacidade de 20 litros, permite rodar de 10.000 a 14.000 km em condições normais, com custo de menos de R$0,01 por quilômetro rodado.

O sistema de suspensão da Ranger FX4 é igual ao da versão Storm, o que contribui para o bom comportamento dinâmico e dirigibilidade da picape, seja vazia ou carregada e em diferentes condições de terreno. O que pude comprovar durante o teste de uma semana, seja na cidade ou na estrada, onde rodei com ela o comportamento foi bem dinâmico e ela se adapta facilmente a todos os tipos de terreno.

Quando o assunto é segurança, a FX4 oferece sete airbags, sistema AdvanceTrac com controle eletrônico de estabilidade e tração, controle anticapotamento e adaptativo de carga, assistente de partida em rampas, controle automático em descidas, câmera de ré e sensor de estacionamento traseiro. Todos esses itens em conjunto deixam o motorista bem tranquilo para dirigir a picape, que apesar do tamanho e da altura se comporta praticamente como um carro de passeio.

Entre os itens de conforto, a picape oferece ar-condicionado digital de dupla zona, banco do motorista com ajuste lombar e elétrico, sensor de chuva, painel com duas telas de LCD, central multimídia SYNC com tela de 8 polegadas, acesso a Android Auto e Apple CarPlay e assistente de fechamento da tampa da caçamba.

Como toda a linha Ranger, a FX4 conta ainda com o sistema de conectividade FordPass Connect, com comandos e informações remotas do veículo pelo celular. Com ele é possível dar partida remota e climatizar a cabine, conferir a autonomia, o odômetro e pressão dos pneus, travar e destravar portas, receber alertas de alarme e de funcionamento e localizar a picape, além de agendar serviços nas concessionárias da marca e acessar o manual do proprietário.

A Ranger FX4 traz um visual diferenciado e mais despojado, visando o uso off-road. O DNA está focado em outros modelos da marca como a F-150 e a Maverick, além de oferecer de destaque em preto que valorizam a esportividade, combinando partes foscas e brilhantes. A grade dianteira com desenho exclusivo traz o logotipo oval da marca em destaque no centro. Assim como a parte central inferior do para-choque, ela tem acabamento em preto brilhante, e se conecta aos faróis com máscara escura. Os faróis full-LED com projetores são exclusivos da versão.

A traseira exibe um distintivo vermelho FX4 em alto relevo e o nome Ranger em letras grandes totalmente em preto. As lanternas têm máscara escurecida. O para-choque traseiro, assim como os retrovisores e maçanetas, são em preto brilhante. O santantônio tubular e funcional, dispõe de pontos de ancoragem para amarração de equipamentos. Na lateral, os alargadores de paralama em preto fosco são projetados para enfrentar batidas de pedras no off-road. A faixa cinza na região inferior das portas, logo acima dos estribos tipo plataforma, é complementada pela assinatura FX4 em vermelho.

As rodas de 18” têm desenho esportivo e são calçadas com pneus Pirelli Scorpion 265/60 R18 All Terrain (50% on-road e 50% off-road), caso da versão avaliada. Quem quiser enfrentar trilhas mais pesadas pode optar pelas rodas de 17” com pneus 265/65 R17 All Terrain Plus da versão Storm, por um custo adicional de R$2.000.

Como acessórios, a Ranger FX4 oferece um snorkel desenhado especialmente para ela, que aumenta a margem de segurança na travessia de lâminas d’água – com profundidade de até 800 mm, a maior da categoria. Há também caixas organizadoras da caçamba com 42 litros e chave, muito úteis para transportar pequenos equipamentos e compras.

O interior da nova picape inclui bancos de couro “premium” com costuras vermelhas e o emblema FX4 em relevo nos encostos. O mesmo acabamento é visto na alavanca do câmbio e no descansa-braço central. Outro detalhe que chama a atenção é o aplique com acabamento escuro brilhante no painel em frente ao passageiro, no volante e nas molduras das maçanetas internas. O interior é bem aconchegante, os bancos são macios e confortáveis, na viagem que fiz até São Paulo, tanto na ida como na volta não senti cansaço e a posição de dirigir também deixou o trajeto bem tranquilo.

A Ranger FX4 chega por R$288.990, mesmo preço da versão XLT, já com a redução do IPI, para que o consumidor possa optar pelos dois modelos de acordo com a sua necessidade. Ela é disponível em seis cores selecionadas, com tonalidades de tendência, como Vermelho Toscana e Vermelho Bari, e outras mais tradicionais: Prata Geada, Branco Ártico, Preto Gales e Cinza Moscou.

*FICHA TÉCNICA:

Mecânica

Motorização 3.2

Combustível             Diesel

Potência (cv)            200

Torque (kgf.m)         47,9

Velocidade Máxima (km/h)           180

Tempo 0-100 (s)      11,6    N/D

Consumo cidade (km/l)      8,6

Consumo estrada (km/l)    9,9

Câmbio          automática com modo manual de 6 marchas

Tração           4×4

Direção          elétrica

Suspensão dianteira          Suspensão tipo braços triangulares e dianteira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Suspensão traseira            Suspensão tipo eixo transversal (beam), roda tipo rígida e molas feixe de lâminas.

Dimensões

Altura (mm)   1.848

Largura (mm)           1.860

Comprimento (mm)             5.354

Peso (Kg)      2.269

Tanque (L)    80

Entre-eixos (mm)     3.220

Ocupantes    5

*Dados do fabricante

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo