Avaliações de motosMotosNotícias
Tendência

Avaliação – Ducati Scrambler Custom 2019

Fotos: Eduardo Motoca (http://vivocommoto.com.br/) – especial para o CarPoint News

Avaliamos a Ducati Scrambler Custom 2019, uma moto com alma retrô, mas cheia de modernidades e tecnologia. A Ducati criou um núcleo para desenvolver a motocicleta que fosse a porta de entrada para o universo da marca sem perder a alma das máquinas da década de 70, sendo então apresentada oficialmente ao público em outubro de 2014 no salão de colônia na Alemanha.

O “tipo” scrambler surgiu na década de 50 quando não existia motos para enduro ou simplesmente para andar na terra e subir montanhas então depenavam as motos que tinha e colocavam pneus de jeep por exemplo, assim nasceu as Scrambler ou as vovós das motos enduro. Abaixo a foto da primeira Scrambler e a referência ao modelo na tampa do tanque da atual com a inscrição “Born free 1962”

Pequena, esguia, baita pneuzão traseiro de uso misto, amortecedor traseiro aparente do lado esquerdo, suporte de placa na balança traseira, retrovisores na ponta do guidão, conjunto óptico em LED e paralama curto são alguns itens que a diferenciam e a deixam exclusiva

Montado na moto a sensação é de que sou muito maior, ela é “magrinha”, o banco é confortável e acomoda bem piloto e garupa que tem que se segurar no piloto pois não há uma alça de apoio, está a apenas 790mm do chão, o piloto mais baixinho (sem ofensas) não irá encontrar problemas é uma moto democrática nesse sentido.

Como o guidão é baixo e largo, os braços ficam mais abertos, mesmo assim não senti dores ou desconforto em nenhum momento. Confesso que não gosto muito dos retrovisores na ponta do guidão e no trânsito em meio aos carros chega a atrapalhar, mas nada que tire nossa alegria em pilotar e apesar do porte ela é leve!

Uma coisa que gostei muito e que nas manoplas existe uma saliência para encaixar a mão que é perfeita. O conjunto ótico em LED é um show à parte, a lanterna (uma das mais bonitas na minha opinião) fica embutida embaixo do assento é tem um desenho muito moderno, o farol é contornado por 4 feixes de LED com a lanterna no meio dá um superefeito e ilumina muito bem, andei bastante a noite e foi muito eficiente.  Outo item legal e que debaixo do banco tem uma prática porta USB para carregar seu celular nas paradas.

CIDADE

Quando saí na rua, de cara senti as suspensões um pouco duras, principalmente a dianteira, ela transmite ao piloto as irregularidades do solo, procurei algumas ruas de paralelepípedo e com alguns buracos para tirar a prova, mas assim que melhora o caminho ela trabalha de forma excelente deixando a moto sempre grudada no chão, apesar do apelo de uso misto ela se dá melhor no asfalto liso.

Rodando na cidade ela vai muito bem e freia muito bem, os excelentes conjuntos da Brembo com disco simples de 320 mm e pinça radial de 4 pistões na dianteira e disco de 245 mm na traseira com pinça flutuante, ambos com ABS de série com opção de desligamento nas duas rodas, dão conta do recado de forma progressiva e segura. Quando você dá a mão ela pula na frente das outras motos como uma verdadeira street fighter.

O belo painel acompanha o estilo da moto tem ótimo acabamento digital com um aro prateado por fora, as informações no LCD são fáceis de ler mesmo com sol batendo em cima, a escala do conta-giros fico contornando a parte inferior e as luzes espia ficam escondidas (quando apagadas) no aro preto interno, conta ainda com (velocidade, hodômetro total e dois parciais, temperatura ambiente, relógio).

Com tantos itens faltou o marcador de combustível, só existe uma luz de alerta de reserva. Falando em consumo o tanque tem 13,5 litros de capacidade, em nossa avaliação fez a média de 17,5 km/l sempre respeitando a velocidade da via. Ela abriu reserva com 162Km, poderia andar mais uns 50km com a cerca 3 litros restantes.

O Motor L-Twin de 803cc com 75 cv a 8.250 rpm, bicilindrico em L, com distribuição desmodrômica, 2 válvulas por cilindro, refrigerado a ar, câmbio de 6 marchas, é rápido nas respostas, tem uma maravilhosa retomada e muito torque (6,9 kgfm a 5.750 rpm). Seu Escapamento em aço inoxidável com 2 sondas lambda e acabamento primoroso e o ronco é uma delícia.

ESTRADA

Peguei a Rodovia dos Bandeirantes (uma das melhores do Brasil) com destino a cidade de Vinhedo a 75km da capital uma cidade muito bonita, com população de cerca de 75.500 habitantes. A motocicleta me deixou de boca aberta logo que acelerei na estrada, ela inclina muito bem nas curvas as suspensões com garfo telescópico invertido da Kayaba na dianteira de 150 mm de curso e o monoamortecedor Kayaba com carga pré-ajustável e 150 mm de curso na traseira transmitindo segurança e conforto graças ao bom acerto e a geometria de quadro é de treliça em tubos de aço.

Os belos pneus de uso misto são os Pirelli MT60 RS 180/55 aro 17 na traseira e RS 110/80 aro 18. Um dos grandes baratos dessa moto é sua personalização, pode-se personalizar por exemplo as laterais do tanque, retrovisores entre outros acessórios existe um mundo Scrambler dentro da Ducati, disponível tanto pela internet quando nas concessionárias da Italiana.

A Ducati Scrambler Custom é vendida por R$ 41,000 somente na cor Prata, no Brasil ainda existem duas possibilidades por R$ 42,900, a Classic (destaque para as rodas raiadas) e Full Throttle (destaque pelo visual e cores).

EM RESUMO

A motocicleta tem um visual retrô / moderno, andando parece muito como uma naked, tem tecnologia para atender a qualquer piloto, tem um baita motor, torque e potência. Excelente para se divertir no fim de semana e ótima de freios.

FICHA TÉCNICA:

 Motor: Bicilindrico em L, Distribuição desmodrômica, 2 válvulas por cilindro, refrigerado a ar

  • Cilindrada: 803 cc
  • Diâmetro x curso: 88 x 66 mm
  • Taxa de compressão: 11:1
  • Potência: 75 cv a 8.8250 rpm
  • Torque: 6,9 kgfm a 5.750 rpm
  • Emissões: Euro 4
  • Câmbio: 6 velocidades
  • Embreagem: Multidisco úmida APTC com controle mecânico
  • Quadro: Treliça de tubos de aço
  • Suspensão dianteira: Garfo Kayaba 41 mm invertido
  • Suspensão traseira: Amortecedor traseiro Kayaba, pré-carga ajustável
  • Pneu dianteiro: Pirelli MT 60 RS 110/80 R18
  • Pneu traseiro: Pirelli MT 60 RS 180/55 R17
  • Freio dianteiro: Disco de 330 mm, com pinça radial de 4 pistões com ABS de série.
  • Freio traseiro: Disco de 245 mm, com pinça flutuante de 1 pistão com ABS de série.
  • Distância entre eixos: 1,445 mm
  • Capacidade do tanque de combustível: 13,5 L
  • Peso seco: 170 kg
  • Peso em ordem de marcha: 186 kg
  • Altura do banco: 790 mm
  • Altura máxima: 1,150 mm / reservatório de freio
  • Largura máxima: 845 mm / espelhos
  • Comprimento máximo: 2,100 – 2,165 mm

*Dados do fabricante

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo