AvaliaçõesCitröenNotíciasTestes
Tendência

Avaliação – Citroën C3 Aircross 1.0 T200 Shine (Aut) 2025

Motor Turbo 200 de até 130 cv e câmbio automático CVT equipa todas as versões do modelo

Por Marcus Lauria (texto e fotos)

Seguindo com os lançamentos, a Citroën promete surpreender com as novidades que estão à caminho. O primeiro foi o novo C3, um modelo que ainda não se sabe se é um hatch ou um “mini” SUV, modelo que já testamos em duas versões, 1.0 aspirado e 1.6 automático. Agora a marca que pertence a Grupo Stellantis chega com o C3 AirCross, um SUV com dimensões bem generosas e design bem atual e bonito. O novo Citroën C3 Aircross oferece as opções de cinco ou sete lugares, sempre com a mesma motorização turbo.

ASSISTA O VÍDEOCLIPE: https://youtu.be/TJMCVBKv5FM?si=gG_UTp5YACQ7F1RL

Para a avaliação do site, chegou a versão de 5 lugares, lançada em novembro do ano passado. O Novo Citroën C3 Aircross destinado à América do Sul foi desenvolvido pelo time de engenharia da Stellantis na região, com forte integração de todos os fornecedores locais. Mais de 75% de seus componentes são fabricados na região, reforçando o compromisso da Stellantis em fortalecer o parque industrial do Brasil e América do Sul.

A novidade conta com três versões, e todas contarão com a opção de sete lugares, se ajustando aos diferentes tipos de consumidor. O Novo SUV começa a ser vendido em toda rede com mais de 170 concessionários espalhados por todo o Brasil a partir de R$ 109.990 na venda on-line. Confira os preços: Aircross Feel Turbo 200 AT: R$ 109.990; Aircross Feel Pack Turbo 200 AT: R$ 119.990 e Aircross Shine Turbo 200 AT: R$ 129.990 (versão avaliada)

O design marcante é o destaque do modelo, isso é percebido ainda na dianteira, com um para-choque proeminente, de visual marcante e elementos pintados no tom preto brilhante que contrastam com as cinco cores disponíveis: Preto Perla Nera, Cinza Artense, Cinza Grafito, Branco Banquise e o marcante Vermelho Rubi. Como em todo Citroën, esses tons podem ser combinados em diferentes opções de teto bitom, que pode ser Preto Perla Nera ou Branco Banquise.

As luzes de condução diurna (DRL) de LEDs de série se ligam às barras cromadas da grade do radiador, adornado pelo Duplo Chevron da Citroën. E o visual “musculoso” do Aircross não é só impressão: as bitolas maiores demandaram para-lamas alargados, que reforçam ainda mais a presença deste B-SUV único. Visualmente o C3 Aircross parece ser mais “gordinho” que os outros SUVs do mercado.

Esse porte avança pelas laterais, que destacam as amplas portas que dão acesso a todos os ocupantes. As rodas de até 17” formam um conjunto harmonioso, que agregam mais estilo ao SUV da Citroën, os arcos nos para-lamas oferecem uma proteção extra à carroceria.

Na traseira já é possível ver as lanternas proeminentes, com elementos que unem visualmente o para-lama com o porta-malas. O conjunto luminoso pode ser integrado por um elemento na cor preto brilhante. Destaque para o maior porta-malas entre seus rivais diretos: são 493 litros de volume (padrão VDA) em todas as versões. E esse espaço pode crescer ainda mais de acordo com a necessidade: com os bancos da segunda fileira rebatidos são mais de 1.000 litros de volume útil dentro da cabine.

Por dentro temos a adoção de novos materiais, forrações e bancos exclusivos, de acordo com cada versão. O Aircross entrega espaço para todos os seus ocupantes. Isso graças à plataforma variante CMP, que permite mudanças na arquitetura visando o melhor aproveitamento da cabine. Os 2,67 metros de entre-eixos do SUV garantem conforto equivalente ao de modelos superiores. Não à toa, o espaço para as pernas dos ocupantes da segunda fileira é o maior do segmento, permitindo que os passageiros até cruzem suas pernas.

Quem estiver em qualquer assento poderá aproveitar do conforto dos novos bancos, com diferentes tipos de espuma e projetados para apoiar todo o corpo, tornando até mesmo a mais longa viagem menos cansativa. Esses detalhes fazem parte do conceito Citroën Advanced Confort, que leva em conta todos os elementos que influenciam no bem-estar a bordo dos carros da marca.

O ar-condicionado, por exemplo, possui compressor e trocador de calor reforçados e projetados para garantir o melhor clima na cabine independente do calor (ou frio) que estiver do lado de fora. Detalhes para o apoio de braço para o motorista, passando pelas amplas portas traseiras com mais de 62 cm de vão livre, disponibilidade de até 15 porta-objetos espalhados pela carroceria.

Ele reúne diferentes tecnologias e soluções começando pelo novo painel digital TFT de 7 polegadas: totalmente customizável, ele oferece seis telas e duas opções de cores para que o motorista escolha somente o que ele quer ver, ao toque de um botão no volante. Nele, o condutor pode acompanhar diferentes parâmetros do veículo e dispõe do exclusivo Ecodriving. Esse sistema analisa a forma em que o veículo está sendo conduzido para indicar se o Aircross está entregando o máximo de eficiência. A informação é apresentada de duas maneiras, sendo uma na tela principal do painel digital, ao redor do velocímetro, e outra por meio de uma discreta folha no canto do quadro de instrumentos, que muda de cor conforme o veículo chega à melhor economia de combustível.

Já o conhecido Citroën Connect Touchscreen de 10” com Android Auto e Apple Carplay sem fio reúne facilidade de uso, rapidez de acionamento e ampla tela com até cinco conexões USB, na primeira, segunda e terceira fileira de bancos. Simples de operar, ele pode ser comandado tanto pela tela sensível ao toque de 10 polegadas quanto pelos botões no volante.

O motor Turbo 200 equipa todas as versões do Aircross. São até 130 cv com etanol (125 cv com gasolina) e 200 Nm presentes em uma ampla faixa de rotação, graças a recursos como o controle MultiAir III. Com ele, a gestão eletrônica do motor faz um monitoramento contínuo do acionamento das válvulas, incluindo o duplo acionamento das válvulas de admissão em um mesmo ciclo do motor. As acelerações são mediatas com um pouco de “Delay” quando o acelerador é muito exigido, mas sabendo dosar a força do pé direito pode-se obter bons resultados em ultrapassagens e retomadas.

Esse conjunto está sempre atrelado ao câmbio automático CVT de sete marchas e três modos de condução. No dia a dia seu gerenciamento otimiza a eficiência energética, privilegiando rotações mais baixas. O modo Sport é acionado ao toque de um botão, alterando o mapa de trocas para entregar ainda mais performance, porém não senti muita diferença ao usar esse tipo de modo de condução. E quem busca um passo além em esportividade pode optar pelo modo sequencial, onde o condutor poderá fazer trocas de marcha por meio da alavanca de câmbio.

Abastecido com etanol e rodando somente na cidade, sempre com o ar-condicionado ligado minha média no final do teste de uma semana e um pouco mais de 210 km rodados foi de 4,6 Km/l, chegando ao pico de 5,2 Km/l. Acredito que se estivesse abastecido com gasolina esses números seriam bem melhores.

Sua suspensão foi calibrada para conter as mais diferentes imperfeições e buracos presentes na região sem que a carroceria se incline excessivamente em curvas, acelerações e frenagens. Tudo isso em habitáculo moderno, com estrutura composta com 65% de aços de alta e ultra alta resistência. E graças aos amplos ângulos de entrada (23,8º), saída (32º) e excelente vão livre entre-eixos (233 mm), o Novo Aircross é capaz de passar pelos mais diferentes tipos de pisos e obstáculos, dentro e fora da cidade, com a aptidão que se espera de um legítimo SUV. E realmente isso foi comprovado no teste, buracos, valas, quebra-molas e curvas mais fechadas em uma pequena serra não foram problema para o Aircross, ele se saiu muito bem em todos esses problemas corriqueiros de uma cidade normal.

Esses recursos complementam itens já conhecidos do consumidor, como controle de estabilidade e tração com assistente de partida em rampa, airbags laterais, assistente de frenagem de emergência, câmera e sensor de ré, ar-condicionado reforçado, direção com assistência elétrica progressiva inteligente e controlador de velocidade com limitador integrado. Enfim, o novo Citröen C3 Aircross chegou para ser o “diferentão” da turma de SUVs e se destacar nesse segmento tão concorrido, acho que vale a pena dar uma chance ao modelo antes de fechar qualquer negócio.

*FICHA TÉCNICA:

Mecânica

Motorização 1.0

Combustível             Álcool            Gasolina

Potência (cv)            130     125

Torque (kgf.m)         20,4    20,4

Velocidade Máxima (km/h)           191     191

Tempo 0-100 (s)      9,7

Consumo cidade (km/l)      7,4      8,6

Consumo estrada (km/l)    10,6    12

Câmbio          CVT com modo manual

Tração           dianteira

Direção          elétrica

Suspensão dianteira          Suspensão tipo McPherson e dianteira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Suspensão traseira            Suspensão tipo eixo de torção, roda tipo semi-independente e molas helicoidal.

Dimensões

Altura (mm)   1.651

Largura (mm)           1.720

Comprimento (mm)             4.320

Peso (Kg)      1.216

Tanque (L)    47

Entre-eixos (mm)     2.675

Porta-Malas (L)        493

Ocupantes    5

*Dados do fabricante

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo