AvaliaçõesGMNotíciasTestes
Tendência

Avaliação – Chevrolet Tracker 1.2 Turbo Premier (Aut) 2021

Maior e mais sofisticado, modelo Flex ainda chega como o mais econômico do segmento; nova família de motores turbo e arquitetura específica

Fotos: Marcus Lauria

O segmento dos SUVs compactos é o que mais cresce em volume, atraindo consumidores dos mais diversos perfis. Com a concorrência ficando cada vez mais acirrada, quem sai na frente é sempre o lançamento mais recente, e nesse caso estamos falando do Chevrolet Tracker, não vou incluir o VW Nivus nessa disputa por ser um SUV Coupê (ou Crossover), que não é o caso do modelo da GM em questão, que se enquadra no segmento dos SUVs compactos.

Então vamos falar do novo Tracker, renovado e surpreendente o SUV da Chevrolet tem tudo para ser o novo líder de vendas do segmento. Nele é possível encontrar design, segurança, conforto, conectividade e desempenho em um só carro. E com o início da produção local, na fábrica da GM em São Caetano do Sul (SP) já no conceito de Indústria 4.0, o Novo Tracker passa a ter maior oferta de versões e preços. Além de ser o SUV Flex mais econômico, tanto na cidade como na estrada, de acordo com o Inmetro.

A versão avaliada pelo site foi a topo de linha Premier, que tem motor 1.2 turbo e câmbio automático de seis marchas, além dela existe ainda a opção de motor 1.0 turbo (o mesmo da linha Onix), câmbio manual de seis marchas e mais três opções de acabamento (versão de entrada, LT e LTZ), totalizando quatro opções. Para a carroceria há um leque com sete opções de cores, incluindo a de lançamento Azul Power, exclusiva do modelo topo de linha a mesma que avaliei.

Com suas linhas totalmente renovadas, o Novo Tracker chama a atenção por onde passa. Comparado ao modelo anterior ele cresceu em comprimento (12 mm) e na largura (15 mm), enquanto a altura foi ligeiramente reduzida para dar proporções mais contemporâneas. Visto de lado destaca-se a silhueta extremamente dinâmica pautada pela aerodinâmica. Descendo os olhos, observa-se que surge uma terceira janela na coluna C, ampliando a visibilidade em manobras. Pouco mais embaixo, há uma linha ascendente que conecta faróis, maçanetas e lanternas.

A parte inferior da carroceria foi uma das que recebeu maior atenção dos designers. Toda a base dos para-choques, das portas e dos para-lamas contam com uma moldura escura que acentua a distância do veículo em relação ao solo. No centro, a peça é trabalhada com elementos tipo 3D típica dos veículos utilitários. Além do formato mais quadrado das caixas de roda.

O Novo Tracker vem equipado com rodas de alumínio de série. Na versão avaliada, a Premier elas são de 17 polegadas com superfície usinada, fundo cinza metálico e aros “flutuantes” cromados para combinar com outros acabamentos em mesmo tom. As rodas trazem cinco parafusos para, além de maior poder de fixação, permitir uma perfeita harmonização.

Sobre os destaques tecnológicos, o modelo oferece os inéditos faróis Full LED. Seus projetores para luz baixa e alta têm poder de iluminação de duas a três vezes maior que sistemas tradicionais. Os faróis trazem ainda luzes de condução diurna (DRL) e um inovador sistema de luz auxiliar lateral que amplia em 11% a área iluminada em manobras e curvas. A luz de sinalização dianteira também é de LED, fica no para-choque e se diferencia pelo formato verticalizado.

Identificado pela recente linguagem de design dos SUVs globais da Chevrolet, o Tracker revela um capô marcado por vincos para dar maior rigidez à peça. A grade superior é mais estreita e acomoda a gravata dourada, enquanto a inferior é mais larga para ajudar na refrigeração do motor, com destaque para o formato estilizados das aletas. Já na base do para-choque há um aplique em cor diferenciada. Na versão avaliada, Premier existem LEDs também nas lanternas traseiras, agora bipartidas. À noite, criam uma espécie de assinatura luminosa que facilita a identificação do veículo.

Na parte traseira, a tampa do porta-malas foi completamente redesenhada, seguindo o mesmo padrão estético das demais superfícies. Para valorizar os vincos da área central e o logo Chevrolet, o suporte da placa do carro foi deslocada para o para-choque, que acomoda ainda refletores, a luz de neblina e um extensor, que, como na parte dianteira e o rack de teto, vem pintado em cor diferenciada. A Chevrolet oferece ainda um pacote de acessórios com mais de 30 peças exclusivas.

Maior e mais espaçoso o modelo está com o entre-eixos 15 mm alongado e a redistribuição dos elementos mecânicos refletiram em um maior aproveitamento do espaço interno. Se por fora é tudo novo, por dentro não poderia ser diferente, chama a atenção dos ocupantes a combinação de formas, cores, materiais e texturas da cabine. Os traços horizontalizados reforçam a sensação de amplitude do painel, que está mais largo e foi levemente rebaixado para dar uma maior sensação de domínio da direção. O design da peça foi pensado para a melhor visualização dos instrumentos pelo motorista. A tela central de LCD de oito polegadas tipo pedestal, por exemplo, que é o grande protagonista e, assim como toda a porção central do painel, fica levemente inclinada para facilitar o acesso aos comandos.

O quadro de instrumentos é bastante moderno e de fácil leitura, concentrando o velocímetro e o conta-giros contam com grafismos exclusivos e ponteiros iluminados por LEDS. No meio há a tela de TFT colorida, que exibe o nível de combustível e quais ocupante traseiros estão ou não com o cinto de segurança afivelados. Ali fica também o visor do computador de bordo de até 14 funções, entre elas o indicador de distância do veículo à frente, o monitoramento da pressão dos pneus e o percentual da vida útil do óleo.

Ainda por dentro, o motorista tem à disposição um volante com boa empunhadura e permite ajustes de altura e profundidade. Sua base reta foi pensada para dar maior liberdade no embarque e desembarque, além de agregar esportividade. O volante conta ainda com uma série de teclas. Nas do lado esquerdo ficam os comandos do limitador de velocidade e do controlador de velocidade de cruzeiro, enquanto que nas do lado direito estão os botões de atalho para o sistema multimídia e para o comando de voz.

O acabamento interno das portas está totalmente integrado com o do painel, com linhas e materiais que criam um aspecto de continuidade. Destaque para acabamento em dois tons (Preto JetBlack e Azul Captain) na versão Premier. Além da bela trama da cobertura dos alto-falantes, chama a atenção o puxador de porta de alça larga alusivo ao universo dos autênticos SUVs. O apoio de braço do console central também é revestido com material agradável ao toque. À frente há porta-objetos com um interessante suporte para smartphones, que deixa o aparelho melhor encaixado para evitar ruídos de trepidação.

A manopla da transmissão e o carregador wireless também ficam apoiados sobre o console central, que se estende até os comandos do ar-condicionado, da tecla que permite a desativação do sistema Stop/Start, e os botões das travas das portas e do assistente de estacionamento. Logo acima ficam as saídas de ar do sistema de refrigeração, que contam com formatos personalizados e molduras em cinza acetinado no melhor estilo “high-tech”.

A direção fica ainda melhor graças aos bancos extremamente confortáveis. Os dianteiros são do tipo envolventes com apoios nas laterais e revestidos em material premium caso da versão avaliada. Costura pespontada e detalhes personalizados típicos de produtos executados por artesões são exclusividades do modelo topo de linha Premier. E para quem vai atrás o modelo teve aumento das dimensões, principalmente para a área das pernas (+74 mm), ombros (+46 mm) e cabeça (+19 mm).

No Novo Tracker, os assentos são do tipo anfiteatro, ou seja, quem viajam atrás senta em um patamar mais alto para melhor visibilidade. O encosto de braço central é basculante e conta com porta-copos. A sensação de espaço interno e de liberdade ganham uma outra dimensão com as janelas extras laterais e a opção do teto-solar panorâmico, que ampliaram a área envidraçada do carro em até 15%.

Além do espaço interno melhorado em todos os aspectos, o novo Tracker ganhou mais espaço para a bagagem, são agora 30% maior. Ou seja cabem 400 litros no compartimento e agora a base pode ser ajustada em dois níveis de altura. No mais baixo, o usuário amplia a área de transporte em 36 litros. Já com a bandeja no nível mais alto, cria-se uma espécie de superfície plana quando o encosto dos bancos é rebatido, o que facilita a acomodação de objetos compridos ou pesados.

Quando o assunto é segurança, o Tracker vem bem recheado, estão lá seis airbags, cintos de segurança dianteiros com sistema de pré-tensionadores, controle eletrônico de estabilidade e assistente em partida em rampa de série em toda as versões.

O sistema de freios conta com diversos recuros: entre eles o Assistente de frenagem para situações de perda de eficiência por aquecimento. O carro é capaz de identificar potenciais situações de perda de eficiência de frenagem por aquecimento do sistema, como geralmente acontece em descidas de serra, quando a frequência e a intensidade de uso do equipamento é mais intensa. Neste caso, o veículo aumenta automaticamente a pressão do conjunto hidráulico para que o motorista não precise elevar demasiadamente a força de aplicação no pedal para realizar as frenagens.

Mais um mecanismo interessante refere-se à atuação do sistema de freio em curvas. O veículo analisa constantemente a velocidade, a aceleração lateral e o ângulo de esterçamento do volante para otimizar a distribuição da força de frenagem em cada roda, aumentando a estabilidade e melhorando a dirigibilidade do carro inclusive em condições cotidianas de uso, antes de situações consideradas extremas, quando existe a necessidade de intervenção do sistema eletrônico de estabilidade.

O veículo conta ainda com recurso que ajuda a manter a trajetória em frenagens em linha reta, podendo aplicar uma força específica em cada roda, compensando variações comuns de aderência da pista ou da distribuição irregular do peso de carga, por exemplo.

Outra novidade é a opção do sistema de alerta de colisão com sistema de frenagem autônoma em caso de emergência para mitigar ou mesmo evitar acidentes. Uma câmera localizada no alto do para-brisas faz o monitoramento visual, enquanto sensores ultrassônicos fazem a leitura a fim de detectar a aproximação de algum outro veículo à frente. Primeiro, o Novo Tracker tenta alertar o condutor por meio de um alarme sonoro e de um faixo luminoso que é refletido na base do para-brisas. Caso não haja qualquer reação do motorista, o sistema aciona automaticamente os freios.

O pacote de segurança ainda oferece alerta de ponto cego, sensores de estacionamento dianteiros, traseiros e laterais com indicação gráfica no computador de bordo e câmera de ré com linhas guias que projetam a movimentação do veículo conforma o ângulo de esterçamento do volante. Além do já conhecido OnStar.

O Novo Tracker também oferece uma extensa lista de itens complementares de conforto e comodidade. São itens que facilitam o dia a dia do usuário, como o assistente de estacionamento semiautônomo para vagas paralelas e perpendiculares. O sistema é capaz de girar o volante sozinho e ajudar a encaixar o veículo até mesmo em vagas mais apertadas. As instruções são passadas ao motorista na tela do veículo.

O conceito de “Smart SUV” se faz presente através do sensor de chuva, que aciona e ajusta automaticamente a intensidade de varredura dos limpadores conforme a condição climática e a velocidade de cruzeiro do veículo. Já o sensor crepuscular aciona automaticamente os faróis quando a luminosidade natural fica reduzida.

Ainda dentro dessa lógica de automação tem a chave inteligente. Ao se aproximar do carro, mesmo que com a chave dentro do bolso, o veículo identifica o usuário e permite o destravamento das portas e o acionamento da ignição por botão. A chave eletrônica é um item de série desde a versão LT e permite comandar remotamente a abertura e o fechamento das janelas. O SUV também pode vir equipado com retrovisor eletrocrômico, no qual o espelho se escurece temporariamente para evitar ofuscamento da visão do motorista enquanto um veículo logo atrás trafega com a luz alta ou desregulada, por exemplo. O ar-condicionado digital está mais eficaz e pode ser comando pela tela do Mylink.

Apesar da carroceria estar maior, o carro ficou até 144 kg mais leve que a geração anterior, o que contribui bastante para os avanços em dirigibilidade. Aliás, um ponto forte da versão avaliada, que chamou a atenção durante todo o teste de uma semana. O eixo traseiro agora tem perfil fechado e 8,5 kg a menos, trazendo maior controle dinâmico do veículo, enquanto uma estrutura avançada do chassi – inédita na categoria – agrega maior rigidez e permite um ajuste mais fino da suspensão.

Enquanto a maioria dos concorrentes está atingindo o nível dois de conectividade, o Novo Tracker passa a ser o primeiro em sua categoria a oferecer Wi-Fi embarcado. Com isso, o usuário não precisa usar o plano de dados pessoal para acessar a internet. No caso do Novo Tracker, o sistema de internet de alta velocidade é nativo. Ou seja, faz parte da arquitetura eletrônica do veículo, permitindo atualizações remotas como já acontece com smartphones.

Outra vantagem é que a antena amplificada do veículo proporciona intensidade de sinal até 12 vezes superior em deslocamentos, além do máximo nível de segurança cibernética devido ao sistema genuinamente integrado ao veículo. O Wi-Fi da Chevrolet é uma parceria exclusiva com a Claro. Além dos 3 GB ou três meses de cortesia para experimentação, o cliente poderá adquirir futuramente planos de dados adicionais de 2 GB até 20 GB/mês. Carregador sem fio para smartphones e duas saídas USB traseiras completam o pacote de conectividade

O novo modelo estreia com uma nova família de motores turbo que o deixam até 17% mais econômico. A versão avaliada carrega sob o capô um motor ECOTEC três cilindros 1.2T (21,4 kgfm e 133 cv com etanol e 132 cv com gasolina e 19,4 kgfm) com transmissão automática. Sua economia na estrada teve médias de 13,5 km/l (G) e 9,4 km/l (E). Na cidade, os números passam para 11,2 km/l (G) e 7,7 km/l (E).

O trabalho do motor feito em uma faixa de rotação mais baixa, contribui para um maior silêncio a bordo. O motor é composto por bloco de alumínio, cabeçote com duplo comando variável de válvulas, coletor de escape integrado, bomba de óleo de duplo estágio de pressão variável, além de diversos conceitos inovadores ou até mesmo inéditos na categoria:

*FICHA TÉCNICA

Mecânica

Motorização 1.2

Combustível             Álcool            Gasolina

Potência (cv)            133     132

Torque (kgf.m)         21,4    19,4

Consumo cidade (km/l)      7,7      11,2

Consumo estrada (km/l)    9,4      13,5

Câmbio          automática com modo manual de 6 marchas

Tração           dianteira

Direção          elétrica

Suspensão dianteira          Suspensão tipo McPherson e dianteira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Suspensão traseira            Suspensão tipo eixo de torção, roda tipo semi-independente e molas helicoidal.

Dimensões

Altura (mm)   1.624

Largura (mm)           1.791

Comprimento (mm)             4.270

Peso (Kg)      1.233

Tanque (L)    44

Entre-eixos (mm)     2.570

Porta-Malas (L)        393

Ocupantes    5

*Dados do fabricante

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo