AvaliaçõesGMNotícias
Tendência

Avaliação – Chevrolet Cruze Sport6 Premier 1.4 Ecotec Aut. Flex 2020

Modelo estreia com atualizações visuais, acabamento mais sofisticado e novos equipamentos, como a frenagem automática de emergência com detecção de pedestres

Fotos Marcus Lauria e Arnaldo Bittencourt

Se tem um carro que sempre gostei, mesmo quando ainda era da geração anterior é o Cruze, tanto na versão sedã quanto na hatch. A GM acertou em cheio na configuração desse carro, tanto que sempre quando aparece um para teste eu já fico empolgado e olha que não estou puxando saco da montadora, falo isso porque acho o carro sensacional mesmo, já testei mais de 450 carros nesses 15 anos de trabalho como jornalista automotivo e sei identificar um bom carro. Claro, ele tem seus pequenos defeitos, nenhum carro é perfeito, mas o Cruze é um modelo que chegou para mudar a opinião de muita gente em relação aos concorrentes.

CONFIRA NOSSO VÍDEO: https://www.youtube.com/watch?v=KptT8OXF-Yc

Desta vez a Chevrolet ofereceu a nova versão Premier do hatch Sport6 para um teste mais completo, de acordo com a marca uma das características de mercado determinante que guiou o desenvolvimento dessa versão mais cara foi o fato de a procura pelas versões mais sofisticadas do modelo terem duplicado nos últimos anos. Saltaram de 25% do mix em 2015 para mais de 55% até o fechamento do primeiro semestre de 2019.

O modelo traz como novidade o Wi-Fi nativo a bordo, ou seja, faz parte da arquitetura eletrônica do veículo, permitindo assim melhor funcionamento, máximo nível de segurança cibernética e acesso no futuro a serviços conectados na tela do painel, como aplicativos que já existem hoje para smatphones.

Desta forma passa a ser o primeiro no segmento com essa tecnologia, que proporciona conexão automática de alta velocidade para até sete dispositivos simultaneamente e a possibilidade de serviços conectados na tela do veículo, entre outras vantagens. Além de não precisar usar o plano de dados de seu smartphone para acessar a internet, o usuário do Cruze Premier ainda tem à disposição uma intensidade de sinal até 12 vezes maior em deslocamentos.

Outra novidade fica por conta do MyLink que agora é de nova geração. Ganha melhor resolução gráfica para a tela de 8 polegadas, mais velocidade de processamento e novas funcionalidades, entre elas navegação conectada, manual do proprietário digitalizado e ícone para agendamento online de revisão.

O novo MyLink permite ainda o pareamento via bluetooth simultâneo até dois celulares, traz mais uma entrada USB no console dianteiro, carregamento wireless compatível com maior gama de celulares e introduz o sistema para reconhecimento do motorista – o carro identifica qual de suas chaves eletrônicas está no comando e automaticamente ajusta o conteúdo da tela para as preferencias memorizadas de cada usuário (aplicativos, estações de rádio, etc). Tudo isso mantendo a compatibilidade com os sistemas Android Auto e Apple CarPlay de projeção de smartphones. Apesar de os serviços poderem ser independentes, o Wi-Fi utiliza-se da estrutura do sistema OnStar, outro item exclusivo do Cruze em seu segmento.

A Claro é a empresa de telecomunicações provedora do sinal para o Wi-Fi dos veículos Chevrolet. A parceria da Claro com a GM começou em 2015 no Brasil quando a Chevrolet lançou a tecnologia de telemática avançada OnStar. De acordo com a Chevrolet, o período de gratuidade é de três meses ou 3 GB (o que ocorrer primeiro). Após será preciso fazer uma renovação e escolher um dos três planos disponíveis: 2 GB (R$ 29,90 mensais), 5 GB (R$ 39,90), 10 GB (R$ 59,90) e 20 G (R$ 84,90).

Entre outros benefícios, o OnStar é capaz de identificar que o veículo se envolveu em um acidente e contatar a central 24h para providenciar resgate automático, se necessário. Há também assistência na recuperação veicular em caso de roubo ou furto e apoio em caso de problemas mecânicos cobertos pelo Chevrolet Road Service. Esses dois serviços são gratuitos no início e serão cobrados após a “degustação”. Igual ao Wi-Fi a bordo, o OnStar também é oferecido em planos: Standart (gratuito por 10 anos), Protect (R$ 69,90 mensais), Connect (R$ 59,90), Protect+Connect (R$ 89,00).

Vendido nas concessionárias Chevrolet do Brasil desde setembro de 2019, o Cruze Premier Sport6 traz atualizações visuais, novo acabamento interno, com destaque para os revestimentos premium em preto e castanho (caso do modelo avaliado). Um detalhe interessante é a barbatana no teto: o módulo tem quatro antenas, o que permite desfrutar do sinal do wi-fi a até 15 metros de distância.

Além de mordomias que vem bem à calhar como o botão para desabilitar o sistema Stop/Start (que desliga temporariamente o motor em paradas de semáforos, por exemplo, para economizar combustível), câmera de ré de alta definição e novos equipamentos, como o sistema de frenagem automática de emergência com detecção de pedestres são outras novidades do modelo. A versão Premier traz também os sistemas de alerta de colisão frontal, o alerta de ponto cego e o assistente de permanência em faixa.

Sistema de estacionamento semiautônomo, acionamento da ignição por controle remoto para prévia climatização da cabine, sistema de som de alta definição e banco do motorista com ajustes elétricos são apenas algumas das conveniências disponíveis para esta configuração.

Na parte estética o Cruze Premier segue a recente linguagem de design global da marca, que começam pela parte frontal do veículo, que traz novos para-choque, luzes auxiliares e grade. A tradicional gravata Chevrolet ganha destaque por estar agora mais centralizada verticalmente e posicionada sobre uma imponente moldura cromada que divide as duas entradas que de ar. As grades trazem novos elementos estéticos internos, alusivos à tecnologia. Na configuração Sport6 avaliada pelo site, o que mais chama a atenção são os apliques customizados nas extremidades do para-choque que acomodam as luzes auxiliares

Visto de lado chama a atenção o aro 17 de linhas exclusivas da versão Premier com acabamento diamantado na superfície e pintura escurecida na parte interna. Um friso cromado na base da área envidraçada ressalta a linha de cintura elevada e a silhueta do carro.

Visto por traz a novidade fica por conta das lanternas que agora extrapolam o limite da carroceria criando um interessante efeito 3D. As lentes acrílicas e a disposição dos elementos internos também foram retrabalhadas para receber uma nova assinatura luminosa em LED.

Enquanto por fora as mudanças são pontuais e bem interessantes por dentro a Chevrolet não vacilou, a versão avaliada está com um acabamento mais refinado na combinação de cores preto e castanho. Estes revestimentos premium dos painéis, dos bancos, volante e até do teto são inéditos na gama e foram inspirados em veículos de alto luxo. O que pôde ser comprovado nesses mais de um mês de convivência com o carro, que mostrou ser silencioso, couro por toda parte e plástico com acabamento softtouch e bancos extremamente confortáveis.

À noite, os LEDs do painel e o novo grafismo do computador de bordo digital no centro do quadro de instrumentos criam uma atmosfera bem moderna e eclética. Pensadas para combinar com o interior em preto e castanho, duas novas opções de cores para a carroceria estão sendo lançadas com o Cruze Premier: o Marrom Capuccino e Azul Eclipse, este puxado para o escuro (caso do modelo cedido para teste).

A mecânica também foi mantida. Segue sob o capô o estimulante motor 1.4 turbo flex de 153 cv e 24,5 kgfm de torque atrelado ao câmbio automático de seis marchas seduz pelo funcionamento suave e preciso. Sentimos falta de um paddle-shifts para trocas manuais, que talvez deixasse as trocas mais interessantes. O motorista desse hatch (no caso eu) é brindado com uma dinâmica mais apurada e maior prazer de dirigir desse modelo.

As suspensões voltadas para o conforto são resistentes e desfilam no nosso asfalto lunar ao passar por buracos e ondulações eminentes. Um problema percebido durante o teste foi o defletor dianteiro que raspa com facilidade nas valetas ou nas lombadas, tendo que ter mais atenção nessas horas. Os pneus Bridgestone Turanza de medidas 215/50 R17 ajudam na absorção das irregularidades do piso e mantém o carro no “trilho”, principalmente nas curvas mais fechadas, transmitindo segurança nas manobras. Já os freios utilizam discos ventilados de 276 mm na dianteira e sólidos de 264 mm na traseira mas fazem o seu papel, mantendo o carro alinhado mesmo em frenagens mais fortes.

De acordo com a marca o modelo faz de zero a 100 km/h em 8,8 segundos e a retomada de 60 km/h a 100 km/h em 4,8 s —, senti falta de um “modo Sport” no câmbio para deixa a direção mais estimulante e porque não, agressiva. O consumo ficou na média de 11,3 km/l e 7,6 km/l com etanol na cidade, e 13,6 km/l (g) e 9,3 km/l (e) na estrada. Ele é oferecido nas configurações LT (iniciais R$ 99.390), Black Bow Tie (R$ 101.390), LTZ (R$ 109.990) e a avaliada Premier (R$ 123.890).

*FICHA TÉCNICA:

Mecânica

Motorização 1.4

Combustível             Álcool            Gasolina

Potência (cv)            153     150

Torque (kgf.m)         24,5    24

Consumo cidade: 11,3 km/l (g) e 7,6 km/l (e)

Consumo estrada: 13,6 km/l (g) e 9,3 km/l (e)

Câmbio          automática com modo manual de 6 marchas

Tração           dianteira

Direção          elétrica

Suspensão dianteira          Suspensão tipo McPherson e dianteira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Suspensão traseira            Suspensão tipo eixo de torção, roda tipo semi-independente e molas helicoidal.

Dimensões

Altura (mm)   1.484

Largura (mm)           1.807

Comprimento (mm)             4.448

Peso (Kg)      1.331

Tanque (L)    52

Entre-eixos (mm)     2.700

Porta-Malas (L)        290

Ocupantes    5

*Dados do fabricante

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo