AvaliaçõesGMTestes

Avaliação – Chevrolet Agile LTZ 1.4 (Flex) 2014

Fotos: Marcus Lauria

Lançado em 2009, o Agile (fabricado na Argentina) logo foi criticado pelos seu desing um tanto ousado. A dianteira chamava atenção, com a enorme grade ostentando a gravata dourada da Chevrolet ao centro. Os faróis então, enormes, com formas irregulares deixavam o visual ainda mais “grotesco”. Mas é aquele velho ditado: “quem vê cara, não vê coração”. E foi nessa que a Chevrolet conseguiu fazer do Agile um modelo que vendeu bastante desde seu lançamento.

A reestilização realizada esse ano pela montadora fez muito bem ao Agile, o hatch estava precisando de uma sobrevida após o lançamento do Onix. Além da novidades estéticas e mecânicas, o modelo passa a ser vendido apenas na versão LTZ (por R$ 42.990) e na série especial Effect.

As mudanças mais destacadas são encontradas na parte dianteira, o Agile ganhou nova grade dianteira, novo para-choque (inclua o traseiro no pacote) e novo formato dos faróis de milha. Com esse conjunto o visual ficou muito mais agradável de se ver. De lado nada foi alterado, apenas as novas rodas (opcionais) de 16 polegadas com desenho esportivo, o antigo usava rodas de aro 15..

Ao entrar no hatch da Chevrolet, a única novidade fica por conta do o volante com base achatada, já com controles de velocidade de cruzeiro, rádio e telefone. Se for equipado com câmbio automático, ele oferece ainda a opção de seletor de marchas, os chamados paddle shifters atrás do volante. Foram adicionados também discretos de detalhes cromados no acabamento. Por dentro o espaço é suficiente para carregar cinco adultos sem aperto.

O acabamento peca pela má qualidade, poderia ser um pouco mais caprichado. É possível ver e sentir várias rebarbas, devido a utilização de plástico rígido por todos os painéis das portas e painel.

Como itens de série o Agile 2014 oferece acendimento automático dos faróis, chave tipo canivete (novidade no modelo), rádio com CD/MP3/USB, Bluetooth, reconhecimento de voz, discagem automática do celular e entrada auxiliar frontal,

Na parte mecânica, o Agile ganhou modificações no câmbio F1X, deixando as relações de marchas e os engates mais precisos, sentido na prática durante o teste de uma semana. Sob o capô o mesmo motor EconoFlex de 1.4 litro que rende suficientes 102 cavalos de potência. Com esse conjunto o modelo chega a 177 km/h, quando abastecido com etanol.

Seu consumo foi de 8,5 Km/l, sempre rodando na cidade com o ar-condicionado ligado, mas ele chega facilmente aos 10 Km/l de média. Para quem quiser optar pelo câmbio automático Easytronic, terá que desembolsar mais R$ 2,5 mil ao preço final do carro;

CONTINUA NA PÁGINA 2

1 2Próxima página
Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo