CarrosNotícias

Análise GP do Canadá de F1 – Temporada 2016, Corrida 07

sebastian-vettel-ferrari-sf16-h

Parece que a sorte do inglês Lewis Hamilton mudou, novamente. Para quem iniciou a temporada sofrendo com os mais inimagináveis problemas em sua Mercedes, seu resultado nas duas últimas corridas foi um misto de competência e sorte. Competência para pilotar da melhor maneira possível, claro, enquanto a sorte veio por meio da concorrência: enquanto na pista de Mônaco a RBR deu a vitória para Hamilton com um erro no pit stop de Ricciardo, dessa vez foi a Ferrari que usou uma estratégia furada para Vettel e deixou o inglês com a mão na taça canadense.

Uma pena, pois o carro vermelho estava muito bem preparado para a pista do Canadá, mesmo com um Vettel que não conseguia acertar a mão (ou o pé) na freada da chicane que antecede a temida Curva dos Campeões. O alemão passou do ponto inúmeras vezes por ali, e isso só atrapalhou sua tentativa de buscar Hamilton no final da prova. Ou seja, deu Hamilton no Canadá, pela quinta vez, com Vettel em segundo.

Por falar em Hamilton, não precisou mais do que uma curva para ele mostrar ao companheiro de equipe Rosberg que a luta pelo campeonato será dura. Após largar mal e ser ultrapassado por Vettel, Hamilton quase perdeu a liderança para Rosberg mas, na primeira curva, deu aquela espalhadinha marota, fazendo o alemão da Mercedes comprar um terreno no Canadá e perder algumas posições no grid. Rosberg fez uma corrida de recuperação e tentou buscar um lugar no pódio mas, graças a um furo de pneu e a um indigesto Verstappen, não fez nada melhor que um quinto lugar.

O terceiro lugar da prova foi para o finlandês Bottas, que parece ter recuperado o gosto pelas corridas e pilotou a Williams de forma exemplar. Não houve milagre, a Williams apenas rendeu em uma pista que ela tinha obrigação de render bem, graças às retas e mais retas do circuito canadense.

Logo atrás de Bottas veio Verstappen, que se não teve condições de chegar ao pódio, pelo menos protagonizou a melhor disputa do dia. Rosberg tinha pneus novos e um carro bem mais rápido na reta, mas Verstappen tinha raça, muita raça. Em todas as tentativas de Rosberg, Verstappen dava o lado de fora para o alemão na freada, e se saiu vencedor em todas. Na penúltima volta, Rosberg extraiu o máximo de sua Mercedes, não se importou em ficar com o lado e fora, passou Verstappen mas…errou a frenagem! Seu carro rodou, e ele deu sorte por Raikkonen estar muito longe, caso o contrário sua diferença para Hamilton no campeonato ficaria ainda menor.

Raikkonen e Ricciardo cumpriram a prova de forma discreta, chegando no sexto e sétimo lugar respectivamente, sem muitas disputas. Completaram a zona de pontuação: Hulkenberg em oitavo, Sainz em nono e Perez em décimo, mostrando que a situação da Force India vai bem, enquanto o espanhol Sainz continua dando as cartas na STR.

Alonso tentou o máximo que foi possível, mas sua McLaren lenta nas retas não possibilitou nada melhor que o décimo primeiro lugar. Atrás dele veio o desmotivado Kvyat, com os carros da Haas em sua cola, pilotados Gutierrez e Grosjean, nessa ordem, mostrando que o sonho americano voltou a ficar distante.

Ericsson colocou a Sauber em décimo quinto lugar, enquanto Nasr sofreu para chegar em décimo oitavo. Entre eles, Magnussen com a Renault em décimo sexto e Wehrlein com a Manor em décimo sétimo. Rio Haryanto fechou o grid em décimo nono, enquanto Felipe Massa (Williams), Jenson Button (McLaren) e Jolyon Palmer (Renault) não completaram a prova.

Conforme prometido em nossa primeira edição, segue a atualização do EST (Expectativa de Sucesso na Temporada).

Mercedes: EST 9,7 de 10 (+ 0,2)
Ferrari: EST 9,0 de 10 (+ 0,3)
RBR: EST 8,8 de 10 (+ 0,0)
Williams: EST 7,0 de 10 (+ 1,0)
STR: EST 5,8 de 10 (+ 0,2)
Force India: EST 5,8 de 10 (+ 0,3)
McLaren: EST 4,5 de 10 (- 0,3)
Haas: EST 2,5 de 10 (- 0,5)
Renault: EST 2,0 de 10 (- 0,5)
MRT: EST 0,1 de 10 (+ 0,0)
Sauber: EST 0,0 de 10 (+ 0,0)

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo