NotíciasPrimeira Volta

PRIMEIRA VOLTA – Linha de caminhões Delivery 2018

Fotos: Divulgação e Marcus Lauria

Já imaginou dirigir um caminhão pelas ruas sem precisar ter a Categoria “D” em sua CNH? Pois agora isso é possível graças a VW Caminhões. Trata-se da nova família Delivery para o segmento de caminhões leves. Desenvolvido e produzido na América Latina, o lançamento já atende a padrões internacionais para os mercados mais exigentes. A linha é composta por modelos de 3,5 a 13 toneladas. Sendo que a única versão que pode ser guiada por motoristas com carteira de habilitação categoria B e trafegar em áreas onde a circulação de caminhões é restrita, característica dos grandes centros urbanos é a Express.

A fórmula para se chegar no modelo atual, partiu de pesquisas com clientes da versão anterior do Delivery, que continua em linha ainda e menor número de versões, para atender a demanda de clientes da marca que gostam desse modelo. Com o lançamento da nova geração, fruto de um investimento de mais de R$ 1 bilhão, a marca Volkswagen chega ao disputado mercado de 3,5 toneladas, com um modelo chamado de Express. O Delivery de 4 toneladas é outra grande aposta dentre os modelos de entrada da nova família, já que contará com financiamento via Finame.

O novo Delivery de 6 toneladas chega, junto dos modelos de 9 e 11 toneladas, e o lançamento 13.180, com terceiro eixo, complementa a oferta de novidades, com a maior capacidade de carga do novo portfólio. Os novos modelos chegam em três versões: a City, de entrada; a Trend, sob medida para o dia a dia das mais diversas operações; e a Prime, que traz aspectos visuais e de conforto diferenciados.

De acordo coma marca, desde o lançamento, a nova família Delivery contará com ofertas especiais de comercialização, além das modalidades de leasing operacional e consórcio. A expectativa é de que, com o lançamento, as vendas nacionais se ampliem graças ao ingresso na nova faixa de 3,5 toneladas. Seu design foi modernizado para uma redução de, no mínimo, 10% no peso. Isso se reflete em mais capacidade de carga. Com esta e outras melhorias em suspensão, freios e eixos, os modelos da linha podem transportar ao menos 400 kg a mais do que seus antecessores.

O DNA dos novos Delivery traz consigo atributos da família Constellation: uma identidade que pode ser instantaneamente reconhecida na estrada ou na cidade. Por fora o modelo está mais moderno e mostra linhas atuais e de aspecto futurista. A grade dianteira e os faróis se unem formando um conjunto só. Os vincos laterais e os detalhes cromados das versões mais completas deixam o visual ainda mais robusto e ao mesmo tempo clássico. O bloco óptico multifunção foi totalmente redesenhado, reunindo farol alto e baixo, luz indicadora de direção frontal e luz posição frontal. A lente de policarbonato oferece proteção máxima contra batidas e pedras. As lanternas de posição laterais, indicadoras de direção laterais e delineadoras são de tecnologia LED, de melhor iluminação e maior vida útil.

Já na parte interna, o ambiente foi totalmente renovado. Com o maior espaço interno da categoria, de acordo com a própria marca, o novo Delivery usa assentos feitos com tecidos de alta resistência e hidro-repelentes, que não mancham. E até mesmo a posição dos pedais foi adequada ao anda e para das entregas urbanas, sem exigir grande esforço de acionamento ao motorista, o que reduz os riscos de lesão por esforço repetitivo (LER).

A cabine vem ainda com novo sistema de basculamento por meio de uma alavanca localizada em seu interior. No painel de instrumentos destaca-se o conceito modular, que permite ao operador organizar dispositivos como rádio, tacógrafo e equipamentos próprios de cada operação. É o caso da temperatura do baú frigorífico, por exemplo, que deve ser monitorada sem que o motorista tire os olhos da via. Além disso, o Novo Delivery sai de fábrica com sistema de chicote elétrico preparado para a instalação de rádio, alto-falantes e climatizador, sem que seja necessário comprometer suas características originais. 

Seu interior ainda é recheado de porta-objetos, incluindo consoles que comportam garrafas de até dois litros. Inclusive o encosto do banco central, rebatível, serve de mesa e apoio para o motorista fazer anotações em pranchetas, ou para uma refeição rápida em suas entregas.

O sistema de ar-condicionado possui uma caixa de ar de rendimento superior, tem alta e rápida capacidade de resfriamento da cabine, que se soma à ventilação com fluxo de ar intenso. A função econômetro é um destaque: indica se a direção está sendo econômica ou não, em termos de consumo de combustível. No painel, o modo de condução econômica é outra novidade da nova família Delivery: o motorista pode acompanhar as indicações sobre os momentos ideais de troca de marcha, o que preserva componentes de desgaste e ainda potencializa a redução no consumo de combustível.

Achar uma posição de dirigir é fácil no novo Delivery, o volante de múltiplas regulagens e menor diâmetro. A coluna de direção é ajustável em altura e profundidade, o que facilita a operação e proporciona ergonomia de carro de passeio.

Únicos da nova linha dotados com tecnologia EGR, o Delivery Express e o 4.150 são equipados com o motor Cummins ISF de 2,8 litros, os veículos alcançam 150 cv e um torque máximo de 360 Nm numa ampla faixa de rotações para garantir retomadas rápidas, agilidade e menor consumo de combustível nas entregas urbanas. Dirigi na pista de testes da MAN Latin América, em Resende (RJ), a versão 4,150 Trend e pude perceber que o modelo se sai bem nas arrancadas e é bem ágil nas acelerações. Proporciona segurança e conforto ao dirigir, além de ter uma ótima ergonomia e instrumentos de fácil leitura no painel e no console. A posição de dirigir foi fácil de achar, são muitas as regulagens oferecidas, desde o banco do motorista até o volante, fora os espelhos com regulagem elétrica. O câmbio manual de seis marchas é bem justo e ao mesmo tempo preciso, parece até câmbio de automóvel.

Para o Delivery 6.160, o motor também é o Cummins ISF, de 2,8l, mas desta vez com solução SCR para o pós-tratamento já tradicional em sua categoria. Sua potência chega a 160 cv e o torque máximo fica em 430 Nm.

Os veículos de 9, 11 e 13 toneladas, por sua vez, estão com o Cummins ISF, de 3,8 litros e tecnologia SCR, com robustez ideal para cada aplicação. Os três registram o torque máximo em 600 Nm, variando a potência entre 165 e 175 cv. Nesse caso, foram mais dois modelos com essa configuração que consegui dirigir, o 9.170 e o 11.180, onde tive a mesma sensação nos dois. Apensar de mais potentes e com mais recursos, essas versões mais pesadas tem uma dirigibilidade focada na estrada e sua força é toda concentrada no transporte de itens mais pesados, sendo até mais lento que as versões de entrada em algumas situações. Porém, ainda mais seguros e com mais recursos oferecidos ao motorista. No caso dessas versões, o câmbio é mais leve que os das versões menos pesadas, porém com a mesma precisão dos engates.

O novo Delivery estreia quatro versões de transmissão manual totalmente novas, além da opção automatizada. Desenvolvidas sob medida para cada tipo de aplicação pelas engenharias brasileiras da Volkswagen Caminhões e Ônibus e da Eaton, as caixas agora contam com seis velocidades. A suspensão dianteira independente, presente nos modelos de 3,5 a 6 toneladas, amplia o conforto a bordo. A suspensão para 9 e 11 toneladas também se destaca. Foi projetada com molas parabólicas, bastante afinada para entregar conforto e robustez.

O sistema de freios traz discos para os modelos de 3,5 a 6 toneladas, e tambores nos 9 a 13 toneladas. São soluções sob medida para o anda e para das grandes cidades, que contam ainda com sistemas de série ABS e EBD. A VW não informou os preços, mas a base na versão de entrada Express pode chegar a R$ 118 mil.

*Viajem a convite da VW Caminhões e Ônibus

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo