Avaliações de motosMotosNotícias
Tendência

Avaliação – Harley-Davidson FXDR 114 2020

Moto de gente grande

Fotos: Eduardo Motoca (http://vivocommoto.com.br/) – especial para o CarPoint News

Começo assim essa matéria, pois a Harley Davidson FXDR 114 realmente é muito forte, lembram do filme “Se beber não case” quando o Mike Tyson dá uma de direita no ator Zach Galifianakis , é mais ou menos isso.

Exageros à parte, não dá para um iniciante pilotá-la de primeira, não que seja indomável, mas seu torque pode assustar. Integrante da família Softail que teve o quadro reinventado, sendo mais leve e mais robusto o que se traduz em mais conforto e menos vibração.

Primeira Impressão

Vamos começar pelo design, inspirada nas Drag Bikes (motos de arrancada) tem 2,42 m de comprimento, um entre eixos de (1.735 mm) e ângulo de caster de 34°, um baita motorzão com belos canos de escape que saem da lateral direita finalizando na bem desenhada ponteira em preto fosco e prata, ainda do lado direito a entrada de ar com seu filtro exposto e o adesivo com a inscrição “114 cubic inches”. Ainda conta com uma útil porta USB do lado esquerdo abaixo do tanque.

A moto que avaliamos é da cor Vivid Black, com detalhes em preto fosco, cinza escuro e uma linha alaranjada que contrasta perfeitamente com o restante. Durante o processo de criação, a H-D entrevistou mais de 1000 usuários para definir a base de construção e o resultado foi a preferência por uma moto forte, com menos vibração e que emitisse menos calor, ou seja, acertaram em cheio o que os fãs e clientes sugeriram. Os mais puristas me parece que a observam com melhores olhos do que quando foi lançada a V-Rod que diziam que não era uma H-D de verdade.

Conforto e Ergonomia

A unidade que nos foi gentilmente cedida pela Harley Davidson do Brasil estava equipada com um kit conforto se é que podemos chamar assim, Guidão (Black Street Slamer) e assento para garupa.

Também estava com alguns acessórios originais (HDMC), manoplas, pedaleiras, capas de eixo, tampas do motor e tampa do tanque que são da linha Dominion Collection e podem ser encontradas nas cores bronze (na moto testada) e preto. Na minha opinião a esportividade do design não combinou muito com o desenho das manoplas e pedaleiras que remetem mais as clássicas.

Diferente dos semi-guidões originais que deixam o piloto em posição de “C” e cansam mais, esse conjunto dá maior conforto, mas eu utilizaria outro tipo de guidão, pois esse apesar de ser bem mais ergonômico acaba cobrindo a visão do painel e das luzes espia, eu que tenho 1,78m de altura tinha que dar uma levantada na cabeça para enxergar o painel, acredito que boas opções seriam o da Sport Glide ou da Iron 883 por exemplo.

Start no botão sem uso de chave (sistema keyless) e quando saí na rua percebi que ela tem um excelente conjunto de freios ABS de série (graças a um motorista no celular mudando de faixa sem sinalizar), são dois discos de 300mm de diâmetro na dianteira mordidos por pinça de 4 pistões,  na traseira disco simples de 292mm com pinça de dois pistões, forte para segurar os 303Kg deste touro mas fácil de modular, uma leve apertada na manopla já se sente ele atuando.

Motor

O Motor é o Milwaukee-Eight 114 de 1868 cm³, dois cilindros em V, com refrigeração liquida e comando simples que entrega um toque (absurdo) de 16,1 kgfm a 3500 rpm, como de costume a potência não é divulgada, mas não faz diferença, o melhor é vestir a moto e sentir a pancada. O câmbio tem 6 marchas que entram precisamente sem esforço, o Neutro também é fácil de achar. Vibra pouco em qualquer rotação, não incomoda, não cansa.

Nas largadas nos semáforos, segure com firmeza pois ela canta pneu e deixa todo mundo para trás, parece que está num trilho, chega rápido as três casas no velocímetro. Em meio aos carros ela se comporta muito bem, e por mais incrível que pareça ela fica leve, o assento a 720mm do solo facilita as manobras, pois o pé pode se apoiar no chão, até os pilotos mais “baixinhos” ficam bem acomodados.

No painel bem minimalista, escondido atrás de um pequeno para-brisa encontramos as informações necessárias, de LCD com 2,14 polegadas, conta com velocímetro, marcha engatada, nível de combustível, relógio, odômetro e indicação de restante de km x combustível.

Nas luzes espia, farol alto, piscas, ponto-morto, baixa pressão de óleo, diagnóstico do motor, iluminação auxiliar, viagem em cruzeiro, ABS, segurança, baixa tensão da bateria, baixo nível de combustível. O belo farol Daimaker é em FULL LED assim como os piscas e lanternas, iluminação garantida dia e noite.

Na Estrada

No fim de semana, o tempo melhorou e fui para estrada, destino da vez a cidade de São Roque via Castelo Branco, aí a brincadeira fica mais divertida, acelerar é uma delícia, cada acelerada um sorriso maior no rosto e uma descarga de adrenalina no corpo, como é bom. Moto é Vida!

Durante o trajeto já na cidade da uva, várias curvas consecutivas e a moto as contorna muito bem, suspensões e freios em conjunto copiando o asfalto e transmitindo segurança, mas seria interessante um controle de tração, já que na saída de curva se não maneirar ela despeja potência na roda e derrapa, não ralei as pedaleiras mesmo inclinando bastante.

A linda ponteira do escapamento já foi desenhada para não raspar no chão, ou seja, tem boa margem para brincadeira, mas cuidado nas curvas mais fechadas diminua a velocidade para contornar com mais segurança, ela é a H-D com maior ângulo de inclinação, cerca de 33 graus.

Dei um pulo na cidade de Santos, para sentir a moto na serra, pela imigrantes (um tapete), peguei bastante neblina na estrada, muitos carros descendo devagar, nos tuneis ahh que gostoso o som emitido pelo motorzão, meu Deus mais que música para os ouvidos, transmite uma paz, se esquece de tudo uma maravilha. Passei pela região do Valongo bati umas fotos naquele belo cenário e voltei a Sampa, desta vez sem chuva e com tempo mais aberto, deu para curtir mais o som na subida, torque sempre pronto, motor sempre cheio, uma delícia de pilotagem.

 Suspensões, Pneus e Rodas

Na dianteira suspensão invertida da Showa com diâmetro de 43mm e 130mm de curso e na traseira mono-amortecida com curso de 86mm e ajuste na pré-carga facilmente ajustada pelo manipulo ao lado do motor. Este ajuste que deixei em “3” sozinho e “4,5” com garupa, foi suficiente para rodar com mais conforto. O assento garupa tem somente uma “espuminha” mínima, mas minha parceira não sentiu muito os impactos do solo.

Bem calçada com os Pneus Michelin Scorcher (desenvolvido em parceria com a H-D) nas medidas 120/70ZR-19 na dianteira e 240/40R-18 na traseira, com rodas fabricadas em alumínio fundido com o nome da marca gravada a laser nas laterais em um acabamento perfeito.

Como a moto tem muito torque você não precisa ficar cambiando toda hora então você pode deixar uma terceira ou quarta marcha e quando você dá uma cutucadinha no acelerador e ela responde de pronto.

O tanque alongado comporta 16,7 litros de gasolina, que nos deu uma autonomia de cerca de 288km em média de 17,3km/l o que é uma marca muito considerável, levando em conta o tamanho do seu “coração”.

Valores

A moto está disponível nas concessionárias a partir de R$ 79.900 (Vivid Black) e R$ 80.500 (Barracuda Silver Denim, Black Denim, Performance Orange e River Rock Gray Denim) já no modelo 2020.

Em Resumo 

Uma motocicleta que realmente mexe com a gente, dá emoção, da alegria. É divertida e muito segura, tem força o tempo todo, só virar o punho que vai sentir a única porrada gostosa no estomago. Uma moto para a gente grande brincar, mas que com todo cuidado depois de alguma experiência vale muito a pena provar. Tem motor, tem excelentes freios ABS, tem autonomia, uma moto show, um motão!

FICHA TÉCNICA:

MOTOR 

Milwaukee-Eight® 114

CILINDRADA: 1.868 см3

SISTEMA DE COMBUSTÍVEL: Injeção eletrônica de combustível por portas sequenciais (ESPFI)

ESCAPAMENTO: 2 em 1, catalisador no cabeçote

DIMENSÕES

COMPRIMENTO: 2.425 mm

ALTURA DO ASSENTO (SOLO): 720 mm

DISTÂNCIA MÍNIMA DO SOLO: 140 mm

DISTÂNCIA ENTRE OS EIXOS: 1.735 mm

PNEU DIANTEIRO, ESPECIFICAÇÃO: 120/70ZR-19 60W

PNEU TRASEIRO, ESPECIFICAÇÃO: 240/40R-18 79V

CAPACIDADE DE COMBUSTÍVEL: 16,7 l

CAPACIDADE DE ÓLEO (C/FILTRO): 4,7 l

PESO, EM ORDEM DE MACHA: 303 kg

DESEMPENHO

TORQUE DO MOTOR2158 Nm

MOTOR E TORQUE (RPM)3,500

ÂNGULO DE INCLINAÇÃO, DIREITA (GRAUS)32.6

ÂNGULO DE INCLINAÇÃO, ESQUERDA (GRAUS)32.8 

CHASSI

RODA DIANTEIRA: Roda Ace de alumínio fundido na cor preta brilhante acetinada, 5 raios, com gráficos gravados a laser

RODA TRASEIRA: Roda Ace de alumínio fundido na cor preta brilhante acetinada com gráficos gravados a laser

FREIOS DIANTEIRO: Dois discos de 330mm com pinça de 4 pistões

FREIOS TRASEIRO: Disco Simples de 272mm com pinça de 2 pistões

*Dados do fabricante

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo