AvaliaçõesTestesToyota

Avaliação – Toyota Corolla GLI 1.8 VVTi 2012

Fotos: Marcus Lauria

A linha 2012 do campeão de vendas do concorrido segmento dos sedans médios no Brasil, o Toyota Corolla, trouxe algumas novidades estéticas para deixar o modelo no topo da preferência dos brasileiros por mais um tempo. Afinal, não faltam concorrentes em nosso mercado, entre eles podemos destacar o principal rival, o New Civic, – que em breve receberá um profundo face-lift -, o novo VW Jetta, o acertado Renault Fluence, o esquecido Peugeot 408 e o Hyundai Elantra, que chega em breve ao mercado.

Como em time que está ganhando não se mexe, a Toyota fez apenas pequenas mudanças estéticas no sedan, sem alterar muito o visual conservador do Corolla. O modelo recebeu novas rodas para as versões topo de linha, a versão avaliada, GLi, de entrada, usa as rodas da XLi. O sedan também ganhou novos para-choques, dianteiro e traseiro, uma nova grade dianteira e na parte traseira foram adicionadas novas lanternas, com uma nova disposição da iluminação. As versões XEi e Altis tem lanternas com lâmpadas de LED.

As tímidas mudanças aplicadas na carroceria, continuam no interior, a versão avaliada GLi tem um acabamento bem simples, com plásticos mais rígidos e algumas falhas de encaixe, observado nos comandos do som do volante, que estavam desnivelados com o centro da buzina. A linha 2012 ganhou novo revestimento nos bancos e novas cores no painel, que vem em dois tons de cinza, mais claro na parte inferior, e mais escuro na parte superior. A posição de dirigir é fácil de achar, graças às regulagens de altura e profundidade do banco e volante. O banco é um pouco duro e cansa em viagens mais longas, mas não incomoda do dia-a-dia do trânsito pesado.

O Corolla GLi, apesar de ser a versão de entrada, vem com muitos itens de série como sistema de áudio com conexão auxiliar e travamento automático das portas quando a velocidade do carro ultrapassa os 20Km/h, direção eletricamente assistida, com alarme com acionamento na chave, volante ajustável em altura e distância, rádio/toca-CDs com MP3, comandos do sistema de som e do computador de bordo no volante, air-bags frontais, ar-condicionado automático, comando interno para abertura do tanque de combustível e porta-malas e controle elétrico dos vidros com função um – toque, travas e retrovisores elétricos. Além de freios ABS, iluminação do painel Optitron retrovisores com recolhimento elétrico, banco traseiro bipartido na proporção 60/40 e rodas de alumínio de 16 polegadas.

CONTINUA NA PÁGINA 2

1 2 3Próxima página
Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

4 Comentários

  1. O Corolla é carro, o resto é equívoco.Quem fala que o Corolla não é melhor carro brasileiro é porque não conhece carro. Pode juntar todas as marcas que não chega no chulê da toyota. A Fiat também fabrica bom carro para o mercado brasileiro, temos que ser justos. o resto é balela.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo