AvaliaçõesJACTestes

Avaliação – JAC J3 Turin 2011

Ainda na parte interna, o isolamento acústico é razoável, só deixando passar o barulho do motor em certos momentos, quando o propulsor é mais exigido em subidas ou ultrapassagens. Outro detalhe que incomodou durante o teste é a posição dos comandos dos vidros elétricos nas portas, mais recuados do que deveriam estar, dificultam a utilização. Os retrovisores elétricos mostram uma das falhas da adaptação do modelo ao nosso mercado, por vir importado da china, as funções são ao contrário, quando se aperta para cima, o espelho vai para baixo e vice-versa, o mesmo acontece quando utilizados para a direita ou esquerda.

As duas alavancas que abrem o porta-malas e o bocal do tanque de combustível sem precisar de chave ajudam a amenizar o trabalho e ficam localizadas logo abaixo do banco do motorista, próximo da porta. O porta-malas é um dos predicados do J3 Turin, nele cabem 490 litros, bem próximo de seus principais concorrentes do mercado.

O J3 Turin chega completo de fábrica, estão lá direção hidráulica, ar-condicionado, volante com regulagem de altura, rádio AM/FM, com CD player, MP3 e conexão USB. Ainda estão incluídos no pacote vidros, travas e retrovisores elétricos, sensor de estacionamento traseiro, faróis com regulagem elétrica de altura, faróis de neblina e rodas de liga leve de 15 polegadas. Além de itens de segurança como airbags para motorista e passageiro e freios ABS de 8ª geração com EBD. Completinho assim, a montadora chinesa conseguiu chamar a atenção do consumidor, que busca sempre tudo quer há de melhor em um carro.

Equipado com um motor 1.4 VVT (variador de fase do comando de válvulas) de 16V, feito em bloco de alumínio, que rende 108 cv a 6.000 rpm, com torque máximo de 14,1 kgfm a 4.000 rpm, o J3 Turin se mostrou bem ágil no trânsito, com fôlego de carro com motor de maior cilindrada. Uma curiosidade fica pelo fato do motor ter sido desenvolvido em conjunto com a AVL, uma fábrica austríaca e que sua corrente, no lugar de correia dentada. Outra curiosidade fica por conta da tampa de óleo do motor, que segundo o jornalista especializado Edison Ragassi (www.reparacaoautomotiva.com.br): “deve-se ter precaução com a tampa do óleo do motor, pois ela tem ‘rosca esquerda’”.

As acelerações são garantidas por um pequeno toque no acelerador, com respostas rápidas e ágeis, ajudadas pelo câmbio de cinco velocidades, com trocas macias e precisas. Mesmo em subidas mais íngremes o propulsor garantiu uma disposição aceitável, e manteve o percurso sem resmungar muito, mas em certos momentos é necessário reduzir bastante as marchas. Em linha reta a uma velocidade média de 120 Km/h, o sadan chinês se mostrou instável e a carroceria começa a flutuar transmitindo insegurança ao motorista.

Na hora de fazer curvas, a suspensão traseira “dual link” auxilia o J3 Turin a seguir a trajetória correta sem medo. Mesmo em curvas mais fechadas, em velocidade moderada, o sedan não “pestanejou”. Em momentos em que o carro é mais exigido, os pneus 185/60 R15 começaram a “cantar”, nessa hora, o ideal é tirar o pé do acelerador para não escapar de frente. Um defeito que fez parte de todo o teste, foi o barulho vindo do plástico atrás do volante, em qualquer curva mais fechada, começava a trepidar, assim como o pedal da embreagem, que rangia o tempo todo. O JAC oferece seis anos de garantia, com preços fixos , feitas de seis em seis meses. O J3 Turin custa R$ 39.900. A montadora oferece ainda três cores sólidas (Branco Ártico, Preto Classic e Vermelho Cereja) e quatro metálicas (Prata Imperial, Cinza Mercúrio, Vermelho Rubi e Azul Pacífico), que sai a R$ 990 à mais no valor final do carro e também os bancos em couro, que pode ser instalado por um empresa terceirizada na concessionária.
CONTINUA NA PÁGINA 3

Página anterior 1 2 3Próxima página
Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

16 Comentários

    1. Fico admirado algumas pessoas fazerem questionamentos sobre o J3 TURIN sem ao menos terem ou possuirem. Gente acorda, isto é a globalização, tudo que é novo causa impacto. Me lembro quando a CINTROEN veio para Brasil, a grande maioria ficava falando essa marca aqui no brasil, como pode. E hoje, alguem tem coragem de falar negativamente desta marca. Acho desnecessário comentários impróprios sobre a marca chinesa. Só lembrando para alguns as nossas carroças brasileiras, sendo mudado graças ao Collor, que bom!!!!
      Cordiais Saudaçoes!!!!!

  1. Os Chineses tem muito oque melhorar ainda, para começar (Eu disse apenas começar) à concorrer com outras marcas já consagradas no mercado !!! Tem um abismo ainda de qualidade entre a Jac e as outras !!!

  2. está no padrão dos carros nacionais. o celta, prisma e siena tb tem esse problema de “passarinhar”. plasticos duros e que rangem está em quase toda a frota atual, me espantei até camaro e malibu estavam com esse tipo de acabamento. a falta de desempenho dos 1.0 é outro ponto comum, então quem sai de um 1.0 acharia esse 1.3 uma “bala” como ja ouvi de um colega que saiu de um siena 1.0 pra um j3.

  3. nao consegui editar o texto anterior. o termo passarinhar é devido a um balanço da carroceria, adernando levemente para os lados.

    o outro ponto que faltou foi falar que pelo menos o carro é ruim como os nacionais, mas vem com mais itens de conforto, conveniencia e segurança que varios nacionais na sua faixa de preço.

  4. Acrediei ecomprei um j3turim,estou satisfeito com a aquisição, o carro é bom ,economico,tem bom desempenho na estrada varios itens de segurança e aconselho a outras pessoas a fazerem o mesmo,pois as marcas nacionais brincam
    de nos vander como o collor dizia CARROÇAS.

  5. Eu espero que a JAC Motors não vá desistir do Brasil, tenho um J3 Turin com 300 Km e o carro é ótimo, mas se a JAC sair do mercado brasileiro, o carro vai virar um elefante branco, ou no caso um elefante preto.

  6. comprei um j3 turin estou gostando muito, so nao gostei do volante, o modelo é bonito mas me machuca os dedos no desenho das duas rachadura, e espelho do motorista a imagem do carro que vem atras fica muito distante, o melhor e conferir sempre pelo espelho de dentro e quando se passa as marchas ouve-se o barulho,na segunda abastecida ele fez 9 km por litro, mas esta amaciando, pois so tem 180 km, mas o resto eu adorei

  7. Primeiro controle de consumo, com 726 KM, na cidade e pisando forte, com 30% do controle com o ar condicionado ligado, o J3 Turin fez 9,97 KM/L acredito que após os 1500 ou 2000 KM melhore mais, no mais ótimo carro.

  8. Comprei um Turim e estou muito satisfeito, depois de rodar 700 km o motor está tendo um desempenho muito bom econômico e confortável, apenas o espaço para o joelho de um motorista alto como eu é um pouco incomodo. carro muito bom

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo