AvaliaçõesFiatTestes

Avaliação – Fiat Uno Sporting 1.4 8V Flex 4p 2011

Fotos: Marcus Lauria

Tenho saudades dos tempos em que no Brasil eram produzidos esportivos de verdade, com “alma” (motor) e visual mais agressivo. Nessa época existiam muitos concorrentes nesse segmento, entre as décadas de 80 e 90, como Volkswagen Gol GTi, Chevrolet Kadett GSi, Ford Escort XR3 entre outros. Nessa disputa por uma atenção maior entre os poucos fabricantes de carros que existiam no Brasil, a Fiat também apresentou suas opções, como o Uno 1.5R em 1987, 1.6R em 1990, 1,6R MPi em 1993 e o mais esportivo de todos, o Uno Turbo 1.4 com 116 cv em 1994, além de outros modelos da marca com as mesmas características esportivas, como o Tempra Turbo.

Mas ultimamente com o pensamento no lucro e nas vendas, as montadoras vêm adotando outra forma de conquistar mais consumidores, com versões que tem apenas o visual esportivo, são os “pseudo-esportivos”, que chegam para atrair aquela pessoa que gosta de um modelo diferenciado dos outros, mas com a performance que deixa a desejar qualquer um que goste de modelos com um motor mais forte. É o caso do modelo avaliado pelo CarPoint News por 10 dias, o novo Uno Sporting 1.4 com quatro portas.

O Fiat Uno Sporting é o tipo de carro que chama a atenção por onde passa, mesmo não sendo uma novidade (o novo Uno foi lançado em 2010). A versão com visual esportivo é cheia de perfumarias espalhadas pela carroceria e interior, a única alteração mecânica fica por conta da suspensão, que deixou a versão Sporting 2 cm mais baixa, com molas mais rígidas em relação às versões de entrada (Vivace e Attractive) e a barra estabilizadora dianteira ficou com maior diâmetro e passou de 17 para 18 mm. Segundo a montadora, essa alteração foi feita para melhorar a dirigibilidade, o que não deixa de ser uma verdade, o carro se comporta bem melhor que as outras versões.

Por fora, a Uno Sporting oferece um visual mais esportivo que o restante da linha, com faróis e lanternas com máscara negra, para-choque dianteiro com spolier, faixas e minissaias laterais, aerofólio traseiro, ponteira dupla do escapamento cromada, rodas de liga leve polidas de 15 polegadas e adesivos nas laterais com a inscrição “Sporting”. O modelo cedido para o teste estava pintado na cor Laranja Nemo, bem chamativa. Por esse motivo o modelo avaliado foi alvo de muitos olhares dos pedestres e motoristas dos outros carros que passavam ao lado.

Na parte interna, o Fiat seguiu o padrão do exterior e manteve as características esportivas com detalhes na cor laranja espalhados por toda parte, como nos bancos, volante, cinto de segurança e portas. A sigla “Sporting” vem costurada na parte superior do banco para dar destaque à versão. Em volta do painel de instrumentos, é possível notar um acabamento que imita fibra de carbono que se estende até o rádio, localizado na parte central. Já os comandos do ar-condicionado e aros dos mostradores no painel de instrumentos são prateados e contrastam com a cor vermelha e preta do tecido e painel.

O quinto modelo da Fiat a receber a linha Sporting chega bem equipado e oferece direção hidráulica, computador de bordo faróis de neblina, travas e vidros dianteiros elétricos. Como opcionais estão disponíveis ar-condicionado; rádio CD/MP3/USB/Bluetooth, airbag duplo, ABS, HSD –  high safety drive, entre outros.

O consumidor ainda pode abusar da criatividade com um Kit de personalização interna e externa oferecido na concessionária, com faixas externas, adesivo na capa de retrovisor e na parte interna as opções são bem variadas, como acabamento do freio de mão, pomo do câmbio, moldura do painel de instrumentos entre outros.

Uma das ótimas características do novo Uno é o acabamento interno, sem rebarbas e de qualidade superior a muitos modelos de entrada da mesma categoria, além da a excelente posição de dirigir, que é bem fácil de achar com as opções de regulagens do banco e volante. Os retrovisores são grandes e garantem a segurança nas ruas, principalmente nas mudanças de faixas.

Porém, a  Fiat não pensou muito nos passageiros do banco traseiro, quem viaja atrás se sentirá um pouco apertado, nada mais que dois adultos ou três crianças para deixar o espaço no limite e o passageiros não tem direito a vidro elétrico. O porta-malas é bem pequeno, cabem apenas 280 litros, suficiente apenas para pequenas malas. Os bancos são macios e não cansam em trajetos mais longos.

Sob o capô, está o mesmo motor encontrado nas versões mais comuns (Way e Attractive), o conhecido Fire 1.4 Evo que rende 88 cv e 12,5 kgfm com etanol ou 85 cv e 12,4 kgfm com gasolina. O propulsor não oferece emoções e muito menos esportividade, como a parte externa da carroceria almeja. As acelerações são lentas e as retomadas idem. O motor faz um pouco de barulho quando é mais exigido em subidas ou ultrapassagens.  A Fiat poderia substituir o fraco motor 1.4 pelo 1.6 eTorQ.

No início do teste, tive dificuldades para usar o câmbio, que se mostrava muito duro nas trocas da primeira marcha para a segunda e nas reduções da terceira para segunda, mas com mais alguns dias de uso, foi melhorando. Levei o Uno Sporting a um mecânico de confiança, o mesmo disse que a embreagem estava baixa, por isso a dificuldade nas trocas, que me aconselhou trocar as marchas com mais suavidade. Após isso o convívio maior com o câmbio ficou mais agradável. Outro problema foi o alto consumo com etanol, o modelo avaliado marcava em seu computador de bordo a média de 6,2 a6,8 Km/l, sempre com o ar-condicionado ligado, o que deixou sua autonomia prejudicada.

Apesar do visual atraente e de todos os itens de série encontrados na versão Sporting, a Fiat terá dificuldade de atrair mais compradores devido ao preço oferecido nas concessionárias. A versão com visual esportivo da marca tem preço inicial de R$ 32.370 para configuração de duas portas, passando para R$ 34.380 na de quatro portas. Para quem optar pela versão mais completa do Uno Sporting terá que desembolsar impressionantes R$ 41.491. Além do Uno, o Punto, Idea, Siena e Strada também possuem a versão Sporting.

*FICHA TÉCNICA:

Motor
Posição Transversal, dianteiro
Número de cilindros 4 em linha
Diâmetro x Curso 72,0 x 84,0 mm
Cilindrada total 1.368,3 cm³
Taxa de compressão 12,35:1
Potência máxima (ABNT) / regime 85 cv / 5.750 rpm (gasolina)
88 cv / 5.750 rpm (etanol)
Torque máximo (ABNT) / regime 12,4 Kgfm / 3.500 rpm (gasolina)
12,5 Kgfm / 3.500 rpm (etanol)
Nº de válvulas por cilindro 2
Eixo de comando de válvulas Um no cabeçote

Ignição
Tipo Magneti Marelli, eletrônica digital incorporada ao sistema de injeção
Alimentação
Combustível Gasolina/Etanol
Injeção Eletrônica Magneti Marelli, multiponto, seqüencial

Câmbio
Número de marchas 5 à frente e uma à ré

Suspensão dianteira
Tipo MacPherson com rodas independentes, braços oscilantes inferiores transversais e barra estabilizadora
Amortecedores Hidráulicos, telescópicos de duplo efeito
Elemento elástico Mola Helicoidal

Suspensão traseira
Tipo Com eixo de torção e rodas semi-independentes
Amortecedores Hidráulicos, telescópicos de duplo efeito
Elemento elástico Mola Helicoidal

Direção
Tipo Hidráulica com pinhão e cremalheira
Diâmetro mínimo de curva 9,8 m

Rodas
Aro 6,0JX15”
Pneus 185/60 R15

Peso do veículo
Em ordem de marcha (Std A) 955 Kg
Capacidade de Carga 400 Kg
Carga máxima rebocável (sem freio) 400 Kg

Dimensões externas
Comprimento do veículo 3.770 mm
Largura do veículo 1.673 mm
Altura do veículo (vazio) 1.487 mm
Distância entre-eixos 2.373 mm
Bitola dianteira 1.430 mm
Bitola traspira 1.420 mm
Altura minima do solo 170 mm

Volume do porta-malas 280 litros (290 litros com regulagem de inclinação de bancos traseiros e 690 litros com bancos traseiros totalmente rebatidos)
Tanque de combustível 48 litros

Desempenho
Velocidade máxima 170 km/h (gasolina) / 172 km/h (etanol)
0 a 100 km/h 11,5 s (gasolina) / 11,2 s (etanol)

Consumo
Ciclo urbano (NBR 6601) 13,2 km/l (gasolina) / 9,1 km/l (etanol)
Ciclo estrada (NBR 7024) 17,7 km/l (gasolina) / 12,2 km/l (etanol)

Produção: Betim, Minas Gerais.

Lançamento: 2010.

*Dados do fabricante

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

16 Comentários

  1. Cara, parabéns pela matéria!
    Todos normalmente tem uma visão crítica ácida sobre esse carrinho. Mas quem viu pessoalmente sabe que é apaixonante! Eu gostei muito, muito bem acabado, interior muito legal mesmo.. por fora o visual é agressivo e de muito bom gosto. Acho o preço dele na versão básica justo, porém com todos os acessórios, realmente é salgado.

  2. Já foi a época de carro esportivo ser sinônimo de motor forte, agora para as montadoras bastam adesivos e “plásticos” em formato de saias e spoilers para já ser caracterizado como “SPORT”. Sinceramente achei o carro até bem bonitinho… mas falta algo a mais do capô pra baixo !!! Que saudade do GTI e GTS !!!

  3. Otima materia, nao ficou babando no carro. hehehe

    Minha opniao sobre o carrinho, é bem legalzinho, cheio de firulas.

    Só esperava que vc ia curtir o motor.. pensei que ele fosse ‘divertido’ nesse aspecto.

  4. tenho um uno 1,4 sporting com 2000 km,
    achei muito alto o barulho que o cambio faz qundo começa a trocar as marchas da primeira, para segunda, para terceira,para quarta e quinta.

    na quinta faz menos barulho.

    reclamei na revenda da FIAT, me relataram que acontece isto so no uno com motor 1,4.

    e a revenda me disse que teve varias reclamações, ao qual
    informaram para a FIAT , e segundo a revenda a FIAT não
    se manifestou em resolver o problema ainda.

    espero que resolvam..pois o barulho é muito alto.

    1. tambem tenho um u carro e otimo anda bem mais u barulho interno e orrivel i afiat nao faz nada ja reclamei ja levei em consecionarias so falam que e normal para u modelo ,vamos por a boca no trombone galera

  5. Estou desinteressando em comprar este uno sporting 1.4;
    Fiquei eufórico em possuir um carro com motor apimentado
    e dentro de um padrão robusto, bonito e com poder de revenda bom; estou chegando a conclusão que este carrão
    não passa apenas de um tunadinho de fabrica. E o motor não dava para ser mais BRAVO que o preço dele completo?

  6. comentario inicial lamentavel a proposta do carro é fazer uma graça com economia ,não da pra correr mais como antes , voce perde a carta rapidinho. Para contra- por os antigos esportivos é so andar com o punto 1.8 16V e pronto 200 km /h 10 km/l na cidade e 13 km/l no gaz , andador, silencioso e muito estavel. Parem de falar bobagens !!!

  7. Esse motor Fire EVO 1.4 é bem esperto, pois até mesmo no Novo Palio ele consegue render bem, no Novo Uno ele fica melhor ainda, porém nas versões 1.0 EVO desse carro o desempenho deixa a desejar, pois ele é “manco”, mas fora isso, em todas as versões o carro é macio, tem um acabamento bom e é agradável de dirigir, mesmo na versão 1.0 “manca”.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo