AvaliaçõesCitröenTestes

Avaliação – Citroën DS3 Sport 1.6 16V 2012

O modelo trás um pacote de itens de série bem recheado, ao gosto do consumidor, que está cada vez mais exigente. Estão lá o computador de bordo, direção com assistência elétrica, ar-condicionado digital, rádio CD Player MP3 com comandos satélite na coluna de direção, sensor de chuva e piloto automático, para-brisa laminado acústico, faróis com acendimento automático, rodas de liga leve de 17 polegadas, entrada USB e seis alto-falantes, perfumador de painel, iluminação interna dianteira para os pés e no console e luz de acompanhamento externa após travamento das portas e porta-luvas refrigerado.

Para empurrar a “ferinha” nada mais adequando do que um motor potente, a Citroën caprichou nesse quesito e instalou sob o capô o mesmo propulsor do seu rival inglês, o Mini Cooper. Fruto da parceria PSA Peugeot Citroën e BMW o motor 1.6 THP rende 165 cv e 24,5 kgfm de torque entre 1.400 e 4.500 rpm (mesma calibração usada nos Peugeot 3008, 408 e RCZ), suficientes para carregar os 1.165 kg do hatch francês sem cerimônia. A mágica do desempenho acima da média fica pro conta de um toque a mais de esportividade.

Com o acelerador pressionado com 90% de sua capacidade, entra em ação o overbooster que eleva a pressão do turbo e adiciona 2 kgfm por 25 segundos, presente a partir da 3ª marcha. De acordo com a marca, o DS3 consegue realizar os tradicionais 0 a 100 km/h em 7,3 segundos. Seu consumo em trajeto urbano, com o ar-condicionado ligado chegou a impressionantes 10, 5 kml, uma média excelente para um esportivo.

Em conjunto está o bem escalona câmbio manual de seis marchas, com engates rápidos, precisos e firmes, típico dos esportivos. As retomadas foram feitas sem dificuldade durante o teste e o carro sempre manteve o giro alto. A suspensão trabalhou bem e não transmitiu as imperfeições dos buracos lunares das ruas do Rio de Janeiro para o interior do veículo, fato esse que surpreendeu comparado ao seu maior rival, o Mini Cooper S, que tem a suspensão mais dura. As curvas são feitas como se andássemos em trilhos, o carro não desgarra e segue a trajetória sem dificuldade.

Com um preço bem competitivo no mercado de compactos premium, o DS3 deve despertar o consumidor que gosta de esportivos de qualidade e tem dinheiro sobrando na conta para comprar, pois trata-se de um modelo de nicho. Com a ajuda do IPI reduzido, seu preço inicial é de R$ 79,9 mil e que pode chegar a R$ 82,8 mil com os opcionais, sendo eles: bancos de couro (por R$ 2,9 mil) e as rodas brancas de 17 polegadas (R$ 3,6 mil). O modelo chega com muitos itens de segurança, como: ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD) e auxílio à frenagem de urgência (AFU), controle de estabilidade (ESP) e seis airbags (frontais, de tórax e de cortina). Seus concorrentes no mercado nacional são o Mini Cooper S (bem mais caro) e o Audi A1 Sport.

CONTINUA NA PÁGINA 3

Página anterior 1 2 3Próxima página
Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Gostei desse DS3, principalmente pelo design exótico dele e das rodas brancas, que num DS3 vermelho ia ficar show, aliás, dizem que o único defeito dele é que as luzes de LED no parachoque não acendem em conjunto com os faróis, ou seja, ou se acende um, ou o outro.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo