AvaliaçõesCitröenTestes
Tendência

Avaliação – Citroën DS3 Sport 1.6 16V 2012

A linha DS foi criada para ser um produto diferenciado dentro dos já oferecidos pela Citroën. No que se refere à qualidade de materiais empregados, estilo marcante e dirigibilidade acima da média. Todos esses requisitos estão empregados nos modelos DS da marca francesa. Além do DS3, o primeiro hatch da linha Premium vendido no Brasil, existem ainda o DS4, que chega em 2013 e o DS5, previsto para o Salão de São Paulo deste ano.

Baseado no Citroën C3, o DS3 exibe formas bem radicais, com linhas mais arredondas e elementos que se destacam na carroceria. Visto de frente, destaque para o filete vertical com luzes de LED, que fazem conjunto com os faróis de neblina nas extremidades do para-choque.

O modelo exibe grandes faróis que vão se afinado em direção ao centro do para-choque. Está lá à tradicional grade cromada com o duplo Chevron e a entrada de ar com formato trapezoidal. Uma grade do tipo colméia completa o visual, com muito apelo esportivo.

Visto de lado, chamam à atenção as linhas ousadas e agressivas, como por exemplo, a coluna central em formado de “barbatana de tubarão” que destoa do restante das formas do carro. Um filete cromado na base da porta oferece certo requinte ao DS3.

Na parte traseira, a marca optou pela discrição, com linhas mais suaves e menos radicais, com a adoção de lanternas quadradas e pequenas, que invadem a lateral, a única peça que chama a atenção é o logotipo com o nome do carro no centro do porta-malas.

Seguindo a tradição desses modelos Premium, a Citroën oferece vários acessórios para personalizar a carroceria e o interior do carro. O mesmo ocorre com os seus rivais, o Mini Cooper e o Audi A1. No caso do modelo francês, porém, o DS3 usa artifícios inéditos e criativos, como na parte interna, onde existem cinco opções para as faixas no painel, e que podem ser usadas na manopla do câmbio.

Além da chave do carro reproduzir a cor da carroceria. Por fora, destaque para as oito opções de cores da carroceria, quatro adesivos de teto e três faixas, essas ainda podem ser combinadas com as cores das calotas centrais das rodas, formando um verdadeiro carnaval de cores, de acordo com o gosto do dono.

Por dentro o requinte da marca francesa é exaltado em peças que são compartilhadas com outros modelos da linha, como o volante, o mesmo usado do C3 Picasso, com boa empunhadura e a base achatada, típico dos modelos esportivos. Os materiais utilizados estão acima da média e possuem encaixes perfeitos e são agradáveis ao toque. Uma curiosidade do interior fica por conta da faixa que atravessa o painel, que pode ser amarela, branca e vermelha, para combinar com a cor da carroceria do carro.

O modelo trás um pacote de itens de série bem recheado, ao gosto do consumidor, que está cada vez mais exigente. Estão lá o computador de bordo, direção com assistência elétrica, ar-condicionado digital, rádio CD Player MP3 com comandos satélite na coluna de direção, sensor de chuva e piloto automático, para-brisa laminado acústico, faróis com acendimento automático, rodas de liga leve de 17 polegadas, entrada USB e seis alto-falantes, perfumador de painel, iluminação interna dianteira para os pés e no console e luz de acompanhamento externa após travamento das portas e porta-luvas refrigerado.

Para empurrar a “ferinha” nada mais adequando do que um motor potente, a Citroën caprichou nesse quesito e instalou sob o capô o mesmo propulsor do seu rival inglês, o Mini Cooper. Fruto da parceria PSA Peugeot Citroën e BMW o motor 1.6 THP rende 165 cv e 24,5 kgfm de torque entre 1.400 e 4.500 rpm (mesma calibração usada nos Peugeot 3008, 408 e RCZ), suficientes para carregar os 1.165 kg do hatch francês sem cerimônia. A mágica do desempenho acima da média fica pro conta de um toque a mais de esportividade.

Com o acelerador pressionado com 90% de sua capacidade, entra em ação o overbooster que eleva a pressão do turbo e adiciona 2 kgfm por 25 segundos, presente a partir da 3ª marcha. De acordo com a marca, o DS3 consegue realizar os tradicionais 0 a 100 km/h em 7,3 segundos. Seu consumo em trajeto urbano, com o ar-condicionado ligado chegou a impressionantes 10, 5 kml, uma média excelente para um esportivo.

Em conjunto está o bem escalona câmbio manual de seis marchas, com engates rápidos, precisos e firmes, típico dos esportivos. As retomadas foram feitas sem dificuldade durante o teste e o carro sempre manteve o giro alto. A suspensão trabalhou bem e não transmitiu as imperfeições dos buracos lunares das ruas do Rio de Janeiro para o interior do veículo, fato esse que surpreendeu comparado ao seu maior rival, o Mini Cooper S, que tem a suspensão mais dura. As curvas são feitas como se andássemos em trilhos, o carro não desgarra e segue a trajetória sem dificuldade.

Com um preço bem competitivo no mercado de compactos premium, o DS3 deve despertar o consumidor que gosta de esportivos de qualidade e tem dinheiro sobrando na conta para comprar, pois trata-se de um modelo de nicho. Com a ajuda do IPI reduzido, seu preço inicial é de R$ 79,9 mil e que pode chegar a R$ 82,8 mil com os opcionais, sendo eles: bancos de couro (por R$ 2,9 mil) e as rodas brancas de 17 polegadas (R$ 3,6 mil).

O modelo chega com muitos itens de segurança, como: ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD) e auxílio à frenagem de urgência (AFU), controle de estabilidade (ESP) e seis airbags (frontais, de tórax e de cortina). Seus concorrentes no mercado nacional são o Mini Cooper S (bem mais caro) e o Audi A1 Sport.

FICHA TÉCNICA:

Motor: A gasolina, dianteiro, transversal, 1.598 cm³, quatro cilindros em linha, turbo, com quatro válvulas por cilindro. Injeção eletrônica multiponto e acelerador eletrônico.

Transmissão: Câmbio manual de seis marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Oferece controle eletrônico de tração.

Potência máxima: 165 cv a 6 mil rpm.

Aceleração 0-100 km/h: 7,3 segundos.

Velocidade máxima: 219 km/h.

Torque máximo: 24,5 kgfm entre 1.400 e 4.500 rpm.

Diâmetro e curso: 77,0 mm x 85,8 mm. Taxa de compressão: 11,0:1.

Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com triângulos inferiores, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Traseira com barra de torção, com molas helicoidais, amortecedores telescópicos hidráulicos e barra estabilizadora. Oferece controle eletrônico de estabilidade.

Pneus: 205/45 R17.

Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás.

Carroceria: Hatch em monobloco com duas portas e cinco lugares. Com 3,94 metros de comprimento, 1,71 m de largura, 1,48 m de altura e 2,46 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais e de cortina de série.

Peso: 1.165 kg em ordem de marcha.

Capacidade do porta-malas: 280 litros.

Tanque de combustível: 50 litros.

*Dados do fabricante

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Gostei desse DS3, principalmente pelo design exótico dele e das rodas brancas, que num DS3 vermelho ia ficar show, aliás, dizem que o único defeito dele é que as luzes de LED no parachoque não acendem em conjunto com os faróis, ou seja, ou se acende um, ou o outro.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo