AvaliaçõesGMTestes

Avaliação – Chevrolet S10 CD 4×4 LTZ AT 2.8 Turbodiesel 2012

Fotos: Marcus Lauria

A Chevrolet S10, a picape mais vendida do Brasil precisava de melhorias urgente, o desenho ultrapassado já não agradava mais aos consumidores cada vez mais exigentes. O modelo foi produzido nos Estados Unidos entre 1982 e 2004 e no Brasil desde 1995. Conhecida pela sua robustez e desempenho recebeu várias configurações e séries especiais ao longo desse tempo. Vendo a chegada das concorrentes como Mitsubishi L200, Toyota Hilux Pick-up e Ford Ranger, que tem design mais moderno, a marca da gravatinha dourada não perdeu mais tempo e reformulou totalmente a S10.

A linha atual chega recheada de opções, são 12 versões, seja com cabine dupla ou simples, tração 4×2 ou 4×4 e motorização 2.4 Flex ou 2.8 Turbodiesel que oferecem, respectivamente, 141cv e 180cv. O modelo cedido para teste foi a topo de linha cabine dupla 4×4 LTZ automática com motor diesel, a mais completa da linha.

Antes o apelo de vendas da S10 era o preço, mas agora a nova carroceria busca a modernidade com a capacidade de enfrentar terrenos difíceis e conforto de um automóvel, linha essa iniciada pelas concorrentes japonesas. A nova S10 cresceu em tamanho e com a carroceria de cabine dupla se torna mais espaçosa. Já o seu volume de cargas varia de 1.061 a 1.570 litros, ideais tanto para o trabalho quanto para o lazer.

Com um visual mais atual, a Chevrolet fez um bom trabalho, mesmo que suas linhas lembrem muito os modelos da concorrência, como a Toyota Hilux. A dianteira ficou mais robusta, com a nova grade dianteira, do tipo colméia e emoldurada por frisos cromados. Os faróis espichados, encaixados nos recortes do capô e para-lamas são de duplo refletor. O capô se destaca pelos vincos assim como o para-choque que usam o mesmo recurso. Enquanto que o para-brisa é bem inclinado e o teto suavemente arqueado, com barras longitudinais, que são de série na versão avaliada.

Visto de lado, a nova S10 exibe linhas limpas, com frisos de plástico na parte baixa e os estribos, que auxiliam no embarque e desembarque da picape, que é alta. A parte traseira possui linhas mais retas com as mesmas lanternas verticais de três elementos da geração anterior, mas com desenho mais moderno. Vendidos como acessórios, o santantônio instalado atrás da cabine, a cobertura marítima e o revestimento de plástico da caçamba faziam parte do modelo avaliado. As rodas de 17 polegadas calçadas com pneus 255/65 R17 polidas chamam a atenção.

CONTINUA NA PÁGINA 2

1 2 3Próxima página
Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Um Comentário

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo