AvaliaçõesGMTestes

Avaliação – Chevrolet Onix LT 1.0 2013

Fotos: Marcus Lauria

A Chevrolet investiu bastante na criação e desenvolvimento do Onix, o carro veio para marcar uma época importante para a marca no Brasil. O “xodó” dos executivos da marca da gravatinha dourada devem estar orgulhosos com a performance do carrinho no mercado, tem até fila de espera para comprar o Onix nas concessionárias.

O modelo que substitui o Corsa já mostrou seu potencial em pouco tempo de mercado, sua linhas são mais modernas e já revelam a nova “cara” da Chevrolet, que iniciou a renovação de toda a sua linha no ano passado. O Onix foi apresentado pela primeira vez a imprensa especializada no Salão do Automóvel, em São Paulo, em um evento fechado e logo em seguida exposto na mostra internacional paulista. Somente em janeiro deste ano foram 10.724 unidades vendidas ficando em quinto lugar no ranking nacional, sendo que a estimativa inicial da GM era vender 12 mil unidades mensais.

O modelo avaliado, a versão LT mais completa com motor 1.0 traz de série direção hidráulica, airbag duplo, banco traseiro bipartido, ajuste de altura para volante e banco do motorista e ABS com EBD. Enquanto que a versão avaliada vinha com rodas de liga-leve de 15 polegadas pintadas, ar-condicionado, vidros e espelhos com acionamento elétrico e sistema My Link, que se trata de uma tela de LCD instalada no console central sensível ao toque que oferece conectividade via USB, iPod e Bluetooth, reprodutor de fotos e vídeos e espaço para aplicativos de comunicação com smartphones, entre eles, uma interface de GPS.

Usando a mesma plataforma global GSV, encontrada no Sonic, Spin e Cobalt, O Onix tem medidas que acompanham o segmento e se destaca ao oferecer um espaço interno ainda mais agradável. São 3,9 m de comprimento, 1,7 m de largura, 1,4 m de altura e 2,5 m de entre-eixos. O porta-malas suporta até 280 litros de bagagem, capacidade na média do segmento. Por dentro o acabamento é de qualidade boa, apesar de usar muito plástico, mas todos com textura agradável ao toque, sem rebarbas ou falhas à mostra, mostrando ter sido bem projetado e construído para agradar o exigente consumidor brasileiro.

A posição de dirigir é ideal e deixa o motorista bem á vontade, que é auxiliada pelos ajustes do banco em distância e altura e coluna de direção ajustável em altura. O puxador das portas não é muito ergonômico e dificulta na hora de fechar. Para quem vai atrás, o espaço é suficiente, só fica complicado para quem tem mais de 1,70 metros, além disso, o modelo não possui encosto de cabeça no meio.

Sob o capô a nova família de motores SPE/4, que na versão 1.0 rende 78 cv/80 cv com gasolina e etanol respectivamente, o propulsor é suficiente para empurrar o carrinho em linha reta, mas na hora de enfrentar ladeiras mais íngremes ele sofre, obrigando o motorista a reduzir constantemente para manter uma velocidade razoável. Apesar de ser na sua maior parte do tempo silencioso, o motor começa a ficar um pouco barulhento acima dos 4.200 rpm, que reflete dentro da cabine, assim como um cheiro forte de gasolina que foi notado durante todo o teste.

Outro ponto positivo do Onix é o conjunto suspensão/freio, o hatch oferece uma suspensão mais firme que deixa o motorista bem á vontade para abusar um pouco mais nas curvas e mais esperto nas manobras. Nas retas o modelo filtra as irregularidades do asfalto com facilidade deixando o interior mais silencioso. O consumo médio na cidade foi de aproximadamente 8,2 Km/l sempre com o ar-condicionado ligado.

Em conjunto está o câmbio manual de cinco velocidades, com trocas macias. curtas e bem escalonadas, o modelo ainda não oferece a opção de câmbio automático, mas a Chevrolet deve iniciar as vendas do Onix automático a partir do segundo trimestre deste ano, que deve ser o mesmo utilizado pelo Sonic, Cruze, Cobalt e Spin. A versão de entrada com motor 1.0 flex começa custando R$ 29.990 e traz airbag duplo frontal, ABS com EBD, direção hidráulica, ajuste de altura para o banco do motorista e coluna de direção e rodas de 14 polegadas com calotas. Já a versão LT sai por R$ 31.690 e acrescenta protetor de cárter, espelhos e maçanetas na cor do veículo, travas elétricas, alarme, vidros elétricos dianteiros e chave tipo canivete.

CONTINUA NA PÁGINA 2 (FICHA TÉCNICA)

1 2Próxima página
Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo