Coluna Alta Roda – RECUPERAR SEM ARTIFICIALISMO

Postado em: 20, abril 2017 por Fernando Calmon

Esse agitado ano de 2017 no √Ęmbito pol√≠tico, que amea√ßa atrapalhar a fundamental agenda de reformas econ√īmicas do Pa√≠s, pode explicar certa dispers√£o entre apresenta√ß√Ķes e conclus√Ķes dos palestrantes do VIII F√≥rum da Ind√ļstria Automobil√≠stica, organizado pela Automotive Business no √ļltimo dia 17, em S√£o Paulo. Deve-se reconhecer que fazer previs√Ķes de curto e m√©dio prazo, em meio a tantas incertezas, √© exerc√≠cio dif√≠cil e sujeito a erros. Mas n√£o deixou de atrair uma plateia maior que a do ano passado, √°vida por saber se vai demorar a aparecer pelo menos uma luz no fim do t√ļnel. Mesmo t√™nue.

Para quem quer comprar um carro agora, persiste a d√ļvida se chegou a hora. Resta a esperan√ßa de a classe pol√≠tica decidir trabalhar e aprovar uma agenda reformista de que o Pa√≠s tanto necessita. Se acontecer, a capacidade de rea√ß√£o do mercado pode ser maior do que se espera.

Guido Vildozo, da IHS Markit, pensa diferente. Indicou crescimento quase simb√≥lico de vendas no mercado interno de ve√≠culos este ano: apenas 0,4%, ou seja, alinhado ao crescimento previsto do PIB do Pa√≠s pela pesquisa Focus entre cerca de 100 analistas de mercado. Est√° muito distante das previs√Ķes da Anfavea: em janeiro √ļltimo esperava crescimento de 4% em 2017 ante 2016. Quanto √† produ√ß√£o, que inclui exporta√ß√Ķes, h√° tamb√©m vis√Ķes diferentes. Enquanto a associa√ß√£o dos fabricantes de ve√≠culos prev√™ alta de quase 12%, o Sindipe√ßas acredita numa alta de apenas 3%.

Outro complicador é o fim do programa Inovar-Auto em 31 de dezembro próximo. Novas diretrizes terão que ser implantadas pelo governo federal. Três premissas corretas, pelo que se sabe até o momento, estariam confirmadas: programa mudará de nome, perderá viés protecionista e lançará bases para 2030.

Sempre com vis√£o cr√≠tica sobre a pol√≠tica quinquenal vigente, Let√≠cia Costa, da Prada Assessoria, destacou dois importantes vetores em que o Pa√≠s ainda n√£o se posicionou: carro el√©trico e condu√ß√£o aut√īnoma. ‚ÄúDefinitivamente, precisa existir uma abertura para o mundo. √Č imposs√≠vel o Brasil ser bom em tudo o que produz. Necessitamos de uma integra√ß√£o bem feita, com foco sobre o que podemos fazer de forma competitiva e aquilo que n√£o d√° mesmo‚ÄĚ, enfatizou.

Ant√īnio Megale, presidente da Anfavea, foi mais longe: ‚ÄúVamos produzir para 3,6 milh√Ķes de consumidores do mercado interno quando nos recuperarmos ou devemos atentar tamb√©m para os 90 milh√Ķes que compram autom√≥veis no mundo todos os anos?‚ÄĚ

Entre os problemas de curto prazo ter√° de se encontrar uma solu√ß√£o para os fabricantes de modelos de maior pre√ßo e baixa produ√ß√£o, que investiram em instala√ß√Ķes industriais em territ√≥rio brasileiro. Ser√° que vale a pena importar componentes e mont√°-los aqui sem agregar outras opera√ß√Ķes fabris? Com a escala atual de produ√ß√£o a conta n√£o fecha.

E, no final, o economista Octavio de Barros, do Instituto Rep√ļblica, reafirmou sua vis√£o construtiva. N√£o arriscou n√ļmeros de recupera√ß√£o mais r√°pida do mercado de ve√≠culos, por√©m chamou aten√ß√£o para a queda da infla√ß√£o, j√° evidenciada, e da taxa b√°sica de juros (Selic) em patamares in√©ditos de baixa, sem artificialismo, at√© o fim do ano. Bonan√ßa perfeita.

RODA VIVA

COMPARAR pre√ßos de ve√≠culos agora com os de 2013 obriga a considerar tr√™s vari√°veis. Valor m√©dio do d√≥lar em torno de R$ 2,00 (agora 50% mais), IPI rebaixado naquele per√≠odo e, claro, a infla√ß√£o acumulada. H√° ainda um fator adicional: queda de produ√ß√£o e perda de escala. Na ponta do l√°pis houve aumento real, sem contar b√īnus atuais, inferior ao esperado.

VOLKSWAGEN alinhou o up! 2018 ao modelo alem√£o e acrescentou equipamentos. Novos para-choques aumentaram comprimento em 8,4 cm. Interior ganhou novo volante, instrumentos e, em vers√Ķes mais caras, at√© filete de LEDs. Smartphone pode ter fun√ß√Ķes de computador de bordo. Para identidade frontal, TSI ganhou friso vermelho na grade e para-choque preto. Pre√ßos: R$ 37.900 a 57.100.

SEXTA gera√ß√£o do BMW S√©rie 5 avan√ßou nos recursos de dire√ß√£o semiaut√īnoma, herdados do topo de linha S√©rie 7. Al√≠vio de 100 kg de peso, novo motor de 4 cilindros turbo (2 L/252 cv), al√©m do 6-cilindros (3 L/340 cv) e aerodin√Ęmica refinada (Cx 0,22) corroboram o lema da marca: prazer ao dirigir. Agora h√° estepe tempor√°rio. Pre√ßos entre R$ 314.950 e 399.950.

APESAR de mec√Ęnica e dimensionalmente n√£o se afastar do Fit, Honda WR-V proporciona sensa√ß√Ķes parecidas √†s de um SUV compacto pela altura de rodagem e estilo pr√≥prio. Quase n√£o toma conhecimento de buracos, quebra-molas e valetas. Aumento de peso impactou pouco no desempenho. Oferece alternativa ao HR-V, maior e mais refinado, em segmento importante.

MERCADO chin√™s √© t√£o relevante para marcas premium, como a Mercedes-Benz, que o Sal√£o do Autom√≥vel de Xangai (18 a 27 de abril) marcar√° n√£o apenas a estreia mundial do novo Classe S, topo de linha da marca alem√£. Tamb√©m est√° l√° o sucessor do atual Classe A sed√£ ainda na forma de conceito, mas com linhas ‚Äď bem ousadas ‚Äď praticamente definidas.

Contatos do autor: www.twitter.com/fernandocalmo fernando@nullcalmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2

Tag Cloud

Deixe um comentario

(*) Campos obrigatórios
ATENÇÃO: Todos os comentários postados nesse site, terão que ser aprovados pelo moderador e não irá aparecer automaticamente. Não serão permitidos comentários ofensivos contra a marca e os leitores, como palavrões. O texto tem que ser digitado em letras minúsculas respeitando as regras da nossa gramática. Comentários que não sejam sobre o assunto da matéria serão descartados. Ao postar um comentário, quer dizer que você concorda coma s regras acima. Obrigado.

© COPYRIGHT2017 CarPoint News - Todos os direitos reservados É proibida a reprodução de conteúdo deste site em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico, sem autorização por escrito