Lubrificante mais viscoso pode não ser a melhor opção para o motor do veículo

Postado em: 26, abril 2011 por Marcus Lauria

Fotos: Divulgação

* Por Marcelo Beltran

O consumidor brasileiro, em sua maioria, ainda tem em mente que o lubrificante mais viscoso √© o melhor. Criou-se uma cultura de que, quanto mais espesso, maior sua efici√™ncia, por√©m, na maioria das vezes, ocorre o contr√°rio. Por outro lado, o lubrificante menos viscoso tem melhor performance na partida √† frio, pois chega mais r√°pido √†s partes superiores do motor. Esse filme mais ‚Äúfino‚ÄĚ retira menos energia do motor e da transmiss√£o, possibilitando a redu√ß√£o do consumo de combust√≠vel. O que melhora a qualidade do lubrificante n√£o √© necessariamente a quantidade de aditivos adicionados, mas a tecnologia de cada um deles. Um exemplo √© a tecnologia ‚Äúlow saps‚ÄĚ que busca a redu√ß√£o de aditiva√ß√£o antidesgaste convencional, visando minimizar a emiss√£o de gases nocivos ao meio ambiente atrav√©s do aumento da vida √ļtil do catalisador (sem prejudicar o motor), assim como os aditivos modificadores de atrito na tecnologia ‚Äúfuel economy‚ÄĚ, visando a economia de combust√≠vel.

Os lubrificantes com a faixa mais baixa de viscosidade, est√£o em linha com a tend√™ncia de ‚Äúfuel economy‚ÄĚ (economia de combust√≠vel). Estas viscosidades s√£o normalmente encontradas entre as faixas SAE 5W20 e SAE 10W30, e est√£o dentro das exig√™ncias da norma ILSAC GF-5. Em parceria com empresas de lubrificantes, cada fabricante de ve√≠culo (OEM) desenvolve um √≥leo adequado para cada ve√≠culo e modelo, de acordo com as necessidades do projeto. √Č de fato uma tend√™ncia global o consumo de lubrificantes menos viscosos nos pr√≥ximos anos, tanto pela indica√ß√£o dos OEMs no manual do ve√≠culo, quanto pelo aumento da conscientiza√ß√£o e o poder aquisitivo do consumidor final. Ainda que minoria, haver√° aumento percentual gradativo no consumo de lubrificantes de alta performance, tanto no consumo de √≥leos b√°sicos sint√©ticos, quanto na redu√ß√£o da viscosidade dos mesmos. Sabemos que levar√° tempo para que de forma geral o consumidor¬† quebre o paradigma de que o lubrificante mais viscoso, nem sempre √© melhor. √Č bom lembrar que viscosidade √© diferente de √≠ndice de viscosidade, que √© a caracter√≠stica f√≠sico-qu√≠mica do √≥leo de manter a viscosidade em fun√ß√£o do aumento da temperatura. Infelizmente, na pr√°tica, o que manda no mercado nacional, na maioria das vezes, ainda √© o pre√ßo, mas com o crescimento da economia brasileira este cen√°rio deve ser minimizado atrav√©s da renova√ß√£o da frota e do aumento no poder aquisitivo do consumidor final.

*Marcelo Beltran é gerente técnico da TOTAL Lubrificantes do Brasil, empresa integrante do Grupo TOTAL, multinacional francesa posicionada como uma das maiores companhias globais de gás e óleo.

 

Tag Cloud

  • Curso de pilotagem SpeedMaster

2 comments on “Lubrificante mais viscoso pode n√£o ser a melhor op√ß√£o para o motor do ve√≠culo

  1. marcos girardi on said:

    Mas afinal em um fusca 1300 motor 78 vale a pena colocar um óleo mais viscoso.

    Grato.

  2. em um fusca desse pode colocar até óleo de cozinha meu amigo!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

HTML tags are not allowed.

(*) Campos obrigatórios
ATENÇÃO: Todos os comentários postados nesse site, terão que ser aprovados pelo moderador e não irá aparecer automaticamente. Não serão permitidos comentários ofensivos contra a marca e os leitores, como palavrões. O texto tem que ser digitado em letras minúsculas respeitando as regras da nossa gramática. Comentários que não sejam sobre o assunto da matéria serão descartados. Ao postar um comentário, quer dizer que você concorda coma s regras acima. Obrigado.

© COPYRIGHT2014 Car Point News - Todos os direitos reservados É proibida a reprodução de conteúdo deste site em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico, sem autorização por escrito