Coluna Fernando Calmon – COMPARTILHAR √Č PARA VALER?

Postado em: 11, abril 2019 por Fernando Calmon

Maior parte do mundo corre para diminuir emiss√Ķes de g√°s carb√īnico (CO2) no intuito de limitar o aquecimento da atmosfera e consequentes mudan√ßas clim√°ticas. Ritmo e intensidade n√£o s√£o os mesmos em todos os pa√≠ses. Autom√≥veis respondem por at√© 20% do efeito estufa, da produ√ß√£o prim√°ria do combust√≠vel ao que sai pelos escapamentos. Pa√≠ses europeus querem impor solu√ß√£o el√©trica a um custo demasiadamente alto e cercado de incertezas.

H√°, por√©m, solu√ß√Ķes racionais e a pre√ßo menor. Uma delas √© carona solid√°ria preconizada pela empresa francesa BlaBlaCar, atuante tamb√©m no Brasil. Ela apresentou um estudo sobre o potencial de parte dos carros trafegar com quatro pessoas a bordo. Apenas 1,6% a mais de autom√≥veis na estrada permite transportar tr√™s vezes mais passageiros com 26% menos emiss√Ķes de CO2.

Outra possibilidade é ampliar serviços de carona paga, por aplicativos de transporte. Podem ajudar a retirar veículos das ruas, mas como rodam um bom tempo vazios desconfia-se que ajudariam pouco a diminuir o consumo de combustível e, por consequência, o principal gás de efeito estufa.

Também existe a possibilidade de trocar a propriedade de um veículo por uso compartilhado e há dezenas de empresas no mundo oferecendo tais serviços. Deixando, agora, o aspecto ambiental de lado para focar na mudança de hábitos. Será que existe mesmo esse desejo latente e ardente de olhar para um carro que é seu, mas fica até 80% do tempo parado, e trocá-lo simplesmente por um serviço de transporte em que cada vez se dirige um carro diferente?

Europeus simpatizam com a ideia, por√©m americanos bem menos, como ficou demonstrado em mat√©ria de capa da revista Dealer, da Fenabrave. No Brasil, para cada ve√≠culo novo vendem-se entre 4 e 4,5 usados. Isso gera grande receita para portais e sites especializados em an√ļncios on line. Seria o compartilhamento uma amea√ßa para concession√°rias, lojistas e com√©rcio eletr√īnico? Veja a opini√£o de quatro executivos deste √ļltimo setor:

Caio Ribeiro (Mercado Livre) ‚Äď ‚ÄúHoje o carro √© o meio de transporte preferido pelos brasileiros e esse cen√°rio deve se manter por muitos anos. H√° interesse, ainda que limitado, por aluguel de autom√≥veis por curtos per√≠odos, inclusive via compartilhamento. E estamos preparados para essa demanda.‚ÄĚ

Eduardo Jurcevic (Webmotors, do Santander) ‚Äď ‚ÄúPessoas podem continuar a ter carro e ainda usar diferentes modais de mobilidade. Isso varia de cidade para cidade. Tentar dar mais acesso √© o nosso papel e investiremos nisso. A experi√™ncia de compartilhamento pode despertar tamb√©m o desejo de compra.‚ÄĚ

Giselle Tachinardi (OLX Brazil) ‚Äď ‚ÄúN√≥s permanecemos atentos √†s oportunidades em ve√≠culos compartilhados, mas o amadurecimento da ideia ser√° demorado aqui. Na cidade de S√£o Paulo pode vir mais forte. Estive nos EUA e vi que tamb√©m l√° os cen√°rios n√£o apontam para guinadas.‚ÄĚ

Ricardo Bonzo (iCarros, do Ita√ļ Unibanco) ‚Äď ‚ÄúEnxergamos os movimentos de mudan√ßas no que se refere √† mobilidade, mas temos convic√ß√£o de que concession√°rias continuar√£o sendo parte fundamental. Uma op√ß√£o seria loca√ß√£o de carros usados em seus estoques ou mesmo assinaturas para uso em diferentes prazos.‚ÄĚ

 ALTA RODA

PRIMEIRO trimestre fechou com alta de 11,4% nas vendas de ve√≠culos leves e pesados sobre o mesmo per√≠odo de 2018. Queda de 42% nas exporta√ß√Ķes (impactadas pela colossal queda do mercado argentino) levou a 1% de decl√≠nio na produ√ß√£o e 1.000 empregos a menos. Estoques totais de 41 dias est√£o cerca de 20% acima do normal (35 dias), mas devem melhorar em abril.

SEGUNDO dados do Banco Central, a ind√ļstria automobil√≠stica respondeu no ano passado por 25% de todo o modesto crescimento de 1,1% do PIB (Produto Interno Bruto, soma de tudo gerado pela economia brasileira). Em 2018, as vendas totais subiram 14,5% sobre 2017. Em 2019, Anfavea prev√™ 11,4% acima do ano passado. Fenabrave mant√©m previs√£o semelhante.

FORD ainda n√£o decidiu se oferecer√°, opcionalmente, pneus que rodam vazios (run flat) para outras vers√Ķes do EcoSport al√©m da topo de linha Titanium. Visual fica mais limpo na parte traseira sem estepe pendurado. Pequenos ajustes nas suspens√Ķes mantiveram conforto de rodagem no dia a dia, apesar dos flancos dos pneus mais r√≠gidos que resistem bem aos buracos.

TANTO Jeep quanto Mitsubishi n√£o deixaram passar em branco o dia 4/4 (4 de abril), tornado s√≠mbolo da tra√ß√£o total (4×4) ao redor do mundo. Marca americana lan√ßou s√©rie especial Compass S, com teto preto e pintura grafite nas rodas, por R$ 187.990. Curso b√°sico de 4×4, na Fazenda Coronel Jacinto, S√£o Paulo foi relembrado pela marca japonesa.

SEMPRE bom insistir sobre a eficácia dos cintos de segurança para preservar vidas. Dados do Cesvi, a partir de estatísticas de órgãos de segurança viária dos EUA, apontam as chances de sobrevivência em acidentes potencialmente fatais: somente airbags, 12%; somente cintos de segurança, 45%; proteção combinada cinto de segurança-airbags, 51%.

Contatos do autor: fernando@calmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2

Tag Cloud

Deixe um comentario

(*) Campos obrigatórios
ATENÇÃO: Todos os comentários postados nesse site, terão que ser aprovados pelo moderador e não irá aparecer automaticamente. Não serão permitidos comentários ofensivos contra a marca e os leitores, como palavrões. O texto tem que ser digitado em letras minúsculas respeitando as regras da nossa gramática. Comentários que não sejam sobre o assunto da matéria serão descartados. Ao postar um comentário, quer dizer que você concorda coma s regras acima. Obrigado.

© COPYRIGHT2019 CarPoint News - Todos os direitos reservados É proibida a reprodução de conteúdo deste site em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico, sem autorização por escrito