Coluna Fernando Calmon – EM BUSCA DE ALTERNATIVAS

Postado em: 1, março 2019 por Fernando Calmon

Causou impacto no exterior a comunica√ß√£o, nesta ter√ßa-feira, pela Porsche: a pr√≥xima gera√ß√£o do Macan, um SUV m√©dio (compacto, no padr√£o americano), ser√° totalmente el√©trica, sem op√ß√£o por motor a combust√£o. As primeiras an√°lises indicam decis√£o de risco, embora a empresa reafirmasse a continuidade de desenvolvimento de solu√ß√Ķes h√≠bridas e a gasolina para os demais modelos, pelo menos nos pr√≥ximos 10 anos. At√© 2025, no entanto, a Porsche espera que metade dos seus novos modelos sejam h√≠bridos plug√°veis ou el√©tricos.

Por se tratar do carro de maior comercializa√ß√£o da marca alem√£, pode ser escolha estrat√©gica a fim de baixar as emiss√Ķes diretas de CO2, na m√©dia dos seus modelos √† venda, e se manter dentro das sever√≠ssimas restri√ß√Ķes da Uni√£o Europeia. E, no resto mundo, como far√°?

Interessante observar que, duas semanas atr√°s, houve certa ‚Äúrebeli√£o‚ÄĚ nos posicionamentos de altos executivos da ind√ļstria automobil√≠stica mundial. Eles se reuniram em Paris para comemorar o centen√°rio da Oica (na sigla original em franc√™s, Organiza√ß√£o Internacional dos Fabricantes de Autom√≥veis). √Ä noite de gala compareceu o presidente franc√™s, Emmanuel Macron.

O novo presidente da Oica, Christian Peugeot, foi além de simplesmente afirmar que o automóvel faz parte também da solução para problemas de mobilidade. Pediu a neutralidade dos governos sobre a melhor opção para cumprir metas ambientais.

Pouco antes, Matthias Wissmann, seu antecessor na entidade e ex-ministro de Transportes da Alemanha, defendeu a possibilidade de escolhas, além da tecnologia elétrica. Para ele, combustíveis sintéticos poderiam alcançar os mesmos resultados em motores a combustão interna, sem precisar de investimentos pesados na construção de toda uma nova e caríssima infraestrutura para recarregar baterias.

Macron, no entanto, foi reticente. Como √ļltimo a discursar, saiu do texto lido para dizer que rotas tecnol√≥gicas s√£o tra√ßadas pelo governo. Na realidade estava despreparado para ouvir alternativas, ao defender a instala√ß√£o de fabricantes de bateria em territ√≥rio franc√™s.

O próprio Peugeot, em entrevista na véspera do evento, disse à coluna que aplicar a mesma solução globalmente pode ser inviável. Citou o Brasil, onde o etanol tem forte papel a cumprir como combustível quase neutro em CO2, no ciclo fechado de produção e uso. Também destacou que governos não têm como bancar subsídios permanentes, nem dispensar altos impostos incidentes sobre combustíveis atuais.

Em semin√°rio organizado, no dia seguinte ao evento, houve outras coloca√ß√Ķes de alguns representantes de 39 entidades nacionais filiadas √† Oica. Na √ćndia, por exemplo, poeira em suspens√£o no ar √© um grave problema e at√© modelos aut√īnomos sofrer√£o resist√™ncia em raz√£o de boa parcela da popula√ß√£o sobreviver como motorista ou motociclista. Biometano foi citado como capaz de zerar emiss√Ķes locais e at√© diminuir CO2 acumulado na atmosfera.

Definitivamente, há diversidade para mover o carro do futuro. A opção da Porsche talvez funcione, no caso específico. Para fabricantes generalistas os riscos continuam, inclusive sobre o papel dos governos e direcionamentos por simples voluntarismo.

 ALTA RODA

PEUGEOT pode come√ßar em breve as vendas dos SUVs importados 3008 e 5008 tamb√©m em vers√Ķes mais simples, provavelmente chamada Allure, na faixa de R$ 120.000,00 para o 3008, segundo fonte ligada √†s concession√°rias. Consultada, a marca respondeu: ‚ÄúSempre estudamos possibilidades para animar nossa gama, mas no momento n√£o h√° confirma√ß√£o.‚ÄĚ

SAIU a lista dos dez modelos mais vendidos na Europa, em 2018. Na ordem decrescente: VW Golf, Renault Clio, VW Polo, Ford Fiesta, VW Tiguan, Nissan Qshqai, Peugeot 208, Toyota Yaris, Opel/Vauxhall Corsa e Renault Sandero. Apesar dos avan√ßos, s√≥ 2 SUVs, na 5¬™ e 6¬™ posi√ß√Ķes. √Ä exce√ß√£o do Nissan, todos eles s√£o ou j√° foram comercializados tamb√©m no Brasil.

TOYOTA YARIS hatch, na vers√£o XL com motor de 1,3 L (101 cv/etanol) e c√Ęmbio autom√°tico CVT, destaca-se pelo estilo atual e evolu√ß√£o nos materiais de acabamento. Vem bem equipado, inclusive chave presencial, partida por bot√£o e central multim√≠dia, mas sem parear com Android Auto. Desempenho apenas regular. Suspens√£o apresenta √≥timo equil√≠brio conforto-estabilidade.

√ćNDICE de inadimpl√™ncia nos financiamentos de ve√≠culos para pessoas f√≠sicas caiu quase 70% desde o pico ruim de 2013, informa o Ita√ļ. No ano passado, a concess√£o de cr√©dito do banco alcan√ßou expressivos R$ 15 bilh√Ķes ou 42% a mais que em 2017. No √ļltimo trimestre de 2018, t√≠quete m√©dio de R$ 33,5 mil, prazo de 42 meses e entrada correspondente a 38% do valor do ve√≠culo.

RESSALVAS: pre√ßos do VW T-Cross variam de R$ 84.990 (c√Ęmbio manual, vers√£o de entrada) a R$ R$ 99.990 com c√Ęmbio autom√°tico e sempre com motor 1-litro turbo. Vers√£o de topo, 1,4-litro turbo, parte de R$ 109.990. Quanto ao CAOA Chery Tiggo 7, apenas este tem c√Ęmbio automatizado de duas embreagens; sed√£ Arrizo 5 usa o mesmo motor, mas c√Ęmbio √© CVT.

Contatos do autor: fernando@nullcalmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2

Tag Cloud

Deixe um comentario

(*) Campos obrigatórios
ATENÇÃO: Todos os comentários postados nesse site, terão que ser aprovados pelo moderador e não irá aparecer automaticamente. Não serão permitidos comentários ofensivos contra a marca e os leitores, como palavrões. O texto tem que ser digitado em letras minúsculas respeitando as regras da nossa gramática. Comentários que não sejam sobre o assunto da matéria serão descartados. Ao postar um comentário, quer dizer que você concorda coma s regras acima. Obrigado.

© COPYRIGHT2019 CarPoint News - Todos os direitos reservados É proibida a reprodução de conteúdo deste site em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico, sem autorização por escrito