Avaliação РCitroen C4 Lounge Exclusive 1.6 THP (Aut) 2014

Postado em: 23, maio 2014 por Marcelo Silva

Fotos: Marcus Lauria

Geralmente antes de efetivamente dirigir um carro de teste, eu dou uma volta ao redor do modelo para apreciar seu design, especialmente se o carro em questão for uma nova geração, como é o caso do C4 Lounge, que chegou ao Brasil para ocupar o lugar do C4 Pallas. Mas dessa vez foi diferente, minha primeira atitude foi colocar a chave presencial no bolso, abrir a porta e me acomodar no confortável banco do motorista, acionando o motor através de um botão à esquerda do volante, como nos Porsche.

Sair da vaga foi f√°cil, o C4 Lounge traz sensores de estacionamento na dianteira e na traseira, al√©m de c√Ęmera de r√©, com visualiza√ß√£o pela central multim√≠dia no centro do painel. Al√©m disso, comparado ao C4 Pallas, o sucessor est√° 15 cm mais curto, totalizando 4,62 m de comprimento. Enquanto o espa√ßo interno n√£o foi prejudicado, gra√ßas ao entre-eixos de 2,71 m, o porta-malas baixou de 580 para 450 litros, uma perda consider√°vel.

Mas essa redu√ß√£o no espa√ßo para bagagem pode atuar como desculpa para n√£o levar sua sogra na viagem, afinal ela definitivamente iria reclamar do ritmo da viagem, visto que o motor Prince 1.6 16V turbo de 165 cv de pot√™ncia @ 6.000 rpm e 24,5 kgfm de torque @ 1.400 rpm d√° uma vitalidade apaixonante ao sed√£, ainda que o c√Ęmbio autom√°tico de seis velocidades e a massa de 1.437 kg atuem contra o belo motor. De acordo com a Citroen, o carro acelera de 0-100 km/h em 8,8 segundos, e sua velocidade m√°xima √© de 214 km/h.

Ainda que n√£o sejam n√ļmeros t√£o expressivos de performance, √© delicioso utilizar um carro cujo torque m√°ximo chega em uma rota√ß√£o t√£o baixa. Use o modo manual do c√Ęmbio e pressione o acelerador em qualquer marcha para sentir as costas colando no banco. Na estrada, d√° para esquecer a sexta marcha engatada e viajar tranquiliamente no limite das rodovias brasileiras, seja com o cruise control ativado ou com o limitador de velocidade ativo, para evitar multas. Conforto, sil√™ncio ao rodar e solidez s√£o exemplares no C4 Lounge.

Utilizar o c√Ęmbio no modo manual e subir marchas cedo √© a melhor forma de economizar combust√≠vel, visto que em D o carro segura as marchas mais do que o necess√°rio. Com o modo S acionado, o carro ganha agilidade nas trocas de marcha e segura mais o giro, al√©m de praticamente esquecer a sexta marcha. Na pr√°tica eu esqueci o bot√£o S, visto que com um kick-down no D ou mesmo em modo manual, o c√Ęmbio reduz uma ou duas marchas e entrega a for√ßa necess√°ria para a situa√ß√£o.

O comportamento din√Ęmico do sed√£ √© primoroso, com ajuste de suspens√£o que tem bom compromisso entre conforto e estabilidade, apesar do eixo de tor√ß√£o na traseira. Seus freios a disco nas quatro rodas (ventilados na frente) s√£o √≥timos, com calibra√ß√£o correta do pedal e atua√ß√£o suave do ABS. Em curvas feitas no limite, a tend√™ncia do carro √© neutra, exemplar, sendo que os pneus Michelin Primacy HP 225/45 R17 praticamente deixam o ESP de folga, mesmo sob chuva. Este duende eletr√īnico, por sua vez, pode ser desligado por um bot√£o no painel, mas volta a funcionar automaticamente caso o motorista seja muito ousado nas curvas.

Como um bom carro franc√™s, o carro traz alguns mimos interessantes, como os far√≥is bi-xenon direcionais, que acompanham o movimento do volante, iluminando curvas. S√£o t√£o bons que voc√™ se pergunta como outros carros n√£o trazem tal recurso. H√° ainda um √ļtil sensor de ponto cego nos retrovisores, que acende uma luz laranja sempre que um carro ou moto se esconde em √°reas aonde os grandes retrovisores laterais n√£o cobrem. O √ļnico por√©m deste sensor √© que, sob chuva intensa, justamente quando os retrovisores molhados n√£o ajudam muito, as luzes laranjas ficam acesas o tempo todo, dando uma falsa indica√ß√£o da presen√ßa de carros no ponto cego.

Em um carro tão bom, é difícil achar defeitos, mas há alguns pontos que poderiam ser melhorados no C4 Lounge, como o ar-condicionado pouco eficiente no calor do RJ, o volante de raio grande demais e a falta de borboletas para troca de marcha atrás do volante (existentes até no C3, qual é Citroen?), embora as trocas manuais possam ser feitas na alavanca. Talvez um defletor mais eficiente possa ser instalado no teto solar, pois o ruído com o teto aberto é insuportável na estrada. E a central multimídia sem tela touchscreen carece de comandos mais intuitivos, especialmente para o GPS.

No uso urbano, a boa suspens√£o filtra buracos com facilidade, embora algumas batidas secas possam ser observadas, em parte por causa dos pneus de perfil muito baixo. A dire√ß√£o eletrohidr√°ulica tem baixo peso, e o di√Ęmetro de giro de 11,1 m √© razo√°vel para o tamanho do carro, tornando f√°cil a vida do motorista em ruas estreitas ou quando √© necess√°rio estacionar nas vagas de rua cada vez mais escassas no Rio de Janeiro.

Ap√≥s 1.600 km rodados em testes, chegamos a uma m√©dia razo√°vel de consumo de gasolina, total de 8,1 km/l na cidade e 13,6 km/l na estrada, mas em situa√ß√Ķes de tr√Ęnsito urbano pesado o computador de bordo chega a mostrar m√©dias obscenas, como 4 km/l por exemplo. O fato de n√£o ser flex √© um ponto ruim a respeito do motor THP do C4 Lounge, pois com os valores da Gasolina tendendo a subir no curto/m√©dio prazo, o consumidor comum poder√° optar pela concorr√™ncia.

Por falar em concorr√™ncia, tratando-se de desempenho, apenas o VW Jetta TSI fica √† frente do C4 Lounge THP, mas seu pre√ßo √© bem mais elevado. O Citroen sai por R$ 81.490 (R$ 84.590 como testado), enquanto o VW parte de R$ 92.890, mas traz motor 2.0 turbo de 211 cv e c√Ęmbio de dupla embreagem. Outro rival pr√≥ximo √© o Ford Focus, que se equivale ao C4 Lounge na vers√£o Titanium Plus de R$ 90.890, que entrega 178 cv do motor 2.0 aspirado casado ao c√Ęmbio DCT. O Renault Fluence corre por fora com a vers√£o GT com um belo 2.0 turbo de 180 cv e c√Ęmbio manual, que tem apelo mais esportivo, por R$ 88.990. H√° ainda outros rivais como Honda Civic, Toyota Corolla e Chevrolet Cruze, menos divertidos e no mesmo patamar de pre√ßo em suas vers√Ķes mais completas.

Por√©m, o maior concorrente do C4 Lounge, tanto em desempenho quanto em n√≠vel de equipamentos, mora em sua pr√≥pria casa. Trata-se do Peugeot 408 THP, com o mesmo conjunto mec√Ęnico do C4, mas com visual diferenciado e pre√ßo mais em conta: a partir de R$ 75.990. Talvez escolher entre um desses dois franceses seja a d√ļvida do consumidor que busca um carro confort√°vel, interessante e com desempenho agrad√°vel.

Paginas: 1 2

Tag Cloud

Deixe um comentario

(*) Campos obrigatórios
ATENÇÃO: Todos os comentários postados nesse site, terão que ser aprovados pelo moderador e não irá aparecer automaticamente. Não serão permitidos comentários ofensivos contra a marca e os leitores, como palavrões. O texto tem que ser digitado em letras minúsculas respeitando as regras da nossa gramática. Comentários que não sejam sobre o assunto da matéria serão descartados. Ao postar um comentário, quer dizer que você concorda coma s regras acima. Obrigado.

© COPYRIGHT2018 CarPoint News - Todos os direitos reservados É proibida a reprodução de conteúdo deste site em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico, sem autorização por escrito